Pr. Joaquim Neto

Pr. Joaquim Neto

Sede Internacional – SP   pr.joaquimneto@pazevida.org.br  

Pr. Crescio Rezende

Pr. Crescio Rezende

Sede Estadual – CE pr.crescio@pazevida.org.br

Pr. Rodrigo Rosa

Pr. Rodrigo Rosa

Sede Estadual - GO pr.rodrigorosa@pazevida.org.br

Pr. Ubyratan Araújo

Pr. Ubyratan Araújo

Sede Estadual – BA pr.ubyratan@pazevida.org.br

Pr. Carlos Pinheiro

Pr. Carlos Pinheiro

Sede Estadual – AL pr.carlospinheiro@pazevida.org.br

Pr. Alex Oliveira

Pr. Alex Oliveira

Sede Estadual – PA pr.alexoliveira@pazevida.org.br

Pr. Gilvan Gomes

Pr. Gilvan Gomes

Sede Estadual - SE pr.gilvamgomes@pazevida.org.br

Pr. Fábio Henrique

Pr. Fábio Henrique

Sede Nacional em Portugal pr.fabiohenrique@pazevida.org.br

Pr. Danyel Pagliarin

Pr. Danyel Pagliarin

Sede Estadual – MG pr.danyelpagliarin@pazevida.org.br

Pr. Delson Campos

Pr. Delson Campos

Sede Estadual – PR pr.delson@pazevida.org.br

Pra. Marta Aguiar

Pra. Marta Aguiar

Sede Estadual – SC pra.martaaguiar@pazevida.org.br

Pr. Jean Vilela

Pr. Jean Vilela

Sede Estadual - RN pr.jeanvilela@pazevida.org.br

Pr. Elianderson Castro

Pr. Elianderson Castro

Sede Estadual – AM pr.elianderson@pazevida.org.br

Pr. Luiz Carlos

Pr. Luiz Carlos

Sede Estadual – MA pr.luizcarlos@pazevida.org.br

Pr. Sandro Pinheiro

Pr. Sandro Pinheiro

Sede Distrital – DF   pr.sandropinheiro@pazevida.org.br

Pr. Luciano Alves

Pr. Luciano Alves

Sede Estadual – PE pr.luciano@pazevida.org.br

Pr. Márcio Silva

Pr. Márcio Silva

Sede Estadual - PI pr.marciodasilva@pazevida.org.br

Pr. Neilton Rocha

Pr. Neilton Rocha

Sede Estadual – RJ pr.neilton@pazevida.org.br

Pr. Gilson Marques

Pr. Gilson Marques

Sede Estadual – RS pr.gilsonmarques@pazevida.org.br

Pr. Regino Barros

Pr. Regino Barros

Sede Estadual – PB pr.reginobarros@pazevida.org.br

Por que trabalhar em casa pode ser bom para você e seu chefe

Funcionários que trabalham em casa são mais felizes em seus empregos, e podem até trabalhar mais do que aqueles que passam o dia no escritório.

Isso é o que comprova nova pesquisa da Universidade de Cardiff, na Inglaterra.

No Reino Unido, por exemplo, onde os autores se basearam, a porcentagem de pessoas que trabalham em locais de trabalho tradicionais caiu de cerca de 75% em 2001 para 66% em 2012.

Já nos Estados Unidos, a participação das pessoas trabalhando meio ou período integral em casa cresceu de 20% em 2003 para 24% em 2015. Manchetes como “o escritório está morto” e “evite o deslocamento, fique em casa”, têm chamado cada vez mais a atenção. Para esmiuçar o tema mais a fundo, os pesquisadores revisaram diversos estudos e pesquisas anteriores com diversos trabalhadores para melhor evidenciarem os resultados.

Os empregadores, dizem os estudiosos, podem se beneficiar de os funcionários acordarem até mais cedo para começarem o trabalho de casa. De acordo com as pesquisas, trabalhadores remotos têm mais propensão a isso em relação aos que trabalham em escritórios.

O estudo diz ainda que 39% dos trabalhadores remotos afirmam que muitas vezes trabalham além das horas formais de seus empregos, contra apenas 24% dos trabalhadores de escritório. Os funcionários tendem a relatar maiores níveis de satisfação no trabalho, além de serem mais propensos a dizer que seu trabalho é bem mais agradável do que o de quem faz a mesma coisa em um ambiente de escritório.

Sobre cumprir as tarefas em tempo mais longo, ressaltaram os custos associados a isso. Entre o principal: “relatos de dificuldades significativamente altas em ‘desligar’ e saber o momento de relaxar’.  (Sim, é verdade que mesmo as pessoas com empregados de mesa tradicionais se preocupam com o trabalho quando não estão no escritório. Mas a pesquisa mostra que essas preocupações afetam uma porcentagem maior de trabalhadores remotos –, 44% contra apenas 36%).

Alan Felstead, co-autor e professor de pesquisa no curso de Ciências Sociais da universidade, diz que os trabalhadores remotos podem também se beneficiar encontrando maneiras de restabelecer as fronteiras entre o trabalho e o lar.

Os autores acreditam que estudos maiores e mais longos devem ser feitos para determinar verdadeiramente as penúrias reais e os benefícios de se trabalhar em casa. Também apontam que, apesar das evidências existentes, algumas empresas ainda relataram experiências negativas sobre trabalho remoto.

Em 2013, por exemplo, o Yahoo proibiu o trabalho de casa porque “a velocidade e a qualidade do trabalho muitas vezes são prejudicadas”.

É necessário, no entanto, “pesar os contras”, escreveram os pesquisadores na revista New Technology, Work and Employment. Há desvantagens: pelo fato de os trabalhadores remotos trabalharem horas a mais eles  podem ter dificuldade em separar trabalho de vida pessoal e afazeres domésticos.

No geral, porém, os pesquisadores concluem que trabalhar remotamente parece ser “vantajoso para os empregadores e os funcionários”. E, embora o escritório ainda não esteja completamente morto, eles dizem que “o desapego do lugar de trabalho é, definitiva e inegavelmente, um aspecto importante de mudança da natureza do trabalho no século XXI”.

Com agências e revista Time

Fonte: VEJA


bannerMemorial

Terça, dia 24/10, às 19h Reunião do PROVER     SEDE INTERNACIONAL     Av. Cruzeiro do Sul, 1965 - Santana - São Paulo - SP

 

   

 



 

Qual destas três Mensagens abaixo você gostaria de ouvir na segunda-feira 30/10/2017?