Pr. Danyel Pagliarin

Pr. Danyel Pagliarin

Sede Estadual – MG pr.danyelpagliarin@pazevida.org.br

Pr. Rodrigo Rosa

Pr. Rodrigo Rosa

Sede Estadual - GO pr.rodrigorosa@pazevida.org.br

Pra. Marta Aguiar

Pra. Marta Aguiar

Sede Estadual – SC pra.martaaguiar@pazevida.org.br

Pr. Crescio Rezende

Pr. Crescio Rezende

Sede Estadual – CE pr.crescio@pazevida.org.br

Pr. Luciano Alves

Pr. Luciano Alves

Sede Estadual – PE pr.luciano@pazevida.org.br

Pr. Alex Oliveira

Pr. Alex Oliveira

Sede Estadual – PA pr.alexoliveira@pazevida.org.br

Pr. Joaquim Neto

Pr. Joaquim Neto

Sede Internacional – SP   pr.joaquimneto@pazevida.org.br  

Pr. Jean Vilela

Pr. Jean Vilela

Sede Estadual - RN pr.jeanvilela@pazevida.org.br

Pr. Gilson Marques

Pr. Gilson Marques

Sede Estadual – RS pr.gilsonmarques@pazevida.org.br

Pr. Delson Campos

Pr. Delson Campos

Sede Estadual – PR pr.delson@pazevida.org.br

Pr. Ubyratan Araújo

Pr. Ubyratan Araújo

Sede Estadual – BA pr.ubyratan@pazevida.org.br

Pr. Márcio Silva

Pr. Márcio Silva

Sede Estadual - PI pr.marciodasilva@pazevida.org.br

Pr. Neilton Rocha

Pr. Neilton Rocha

Sede Estadual – RJ pr.neilton@pazevida.org.br

Pr. Elianderson Castro

Pr. Elianderson Castro

Sede Estadual – AM pr.elianderson@pazevida.org.br

Pr. Luiz Carlos

Pr. Luiz Carlos

Sede Estadual – MA pr.luizcarlos@pazevida.org.br

Pr. Fábio Henrique

Pr. Fábio Henrique

Sede Nacional em Portugal pr.fabiohenrique@pazevida.org.br

Pr. Regino Barros

Pr. Regino Barros

Sede Estadual – PB pr.reginobarros@pazevida.org.br

Pr. Sandro Pinheiro

Pr. Sandro Pinheiro

Sede Distrital – DF   pr.sandropinheiro@pazevida.org.br

Pr. Carlos Pinheiro

Pr. Carlos Pinheiro

Sede Estadual – AL pr.carlospinheiro@pazevida.org.br

Pr. Gilvan Gomes

Pr. Gilvan Gomes

Sede Estadual - SE pr.gilvamgomes@pazevida.org.br

Avós permissivos prejudicam a saúde dos netos, diz estudo

Crianças que passam muito tempo com suas avós maternas têm um risco 20% maior de estar acima do peso, segundo nova pesquisa britânica.

Há um ditado que diz que as avós são “mães feitas de açúcar” pelo fato de estarem sempre mimando os netos. No entanto, segundo um novo estudo publicado no periódico científico PLOS One, certos mimos, como doces e guloseimas em excesso, podem prejudicar a saúde dos pequenos, que tendem a ficar acima do peso. A pesquisa apontou também que as crianças que convivem com suas avós maternas têm um risco 20% maior para a obesidade infantil.

“Atualmente, os avós não são o foco das recomendações de saúde pública direcionada aos pais, mas isso precisa mudar dado o proeminente papel deles na vida das crianças”, disse Stephanie Chambers, principal autora do estudo, em relatório.

“Segundo os estudos relacionados ao peso das crianças, os avós foram identificados como permissivos, utilizando a alimentação como uma ferramenta emocional dentro de seus relacionamentos com os netos.”

Hábitos negativos

Pesquisadores da Universidade de Glasgow, no Reino Unido, revisaram 56 estudos sobre a influência dos avós na educação alimentar e na prática de atividades físicas dos netos, com dados de crianças entre nove meses e 11 anos de 18 países, entre eles Estados Unidos e Japão.

A pesquisa concluiu que o comportamento dos avós realmente tem um impacto adverso na saúde dos netos. Muitos dos estudos mostraram que as crianças que recebiam cuidados dos avós tinham uma alimentação com altos teores de açúcar e gordura, muitas vezes sob o pretexto de um agrado ou demonstração de carinho dos mais velhos.

Segundo os resultados, o cuidado dos avós não permite que as crianças tenham a oportunidade ou um espaço apropriado para serem fisicamente ativas. Além disso, os pais sentem-se incapazes de interferir por dependerem da ajuda e, embora não tenham sido questionados na maioria dos estudos, os próprios avós admitiram utilizar alimentos como forma de recompensa.

Cigarro

Os pesquisadores também descobriram que muitos dos avós fumavam na presença dos netos, aumentando o risco de as crianças seguirem com o hábito na vida adulta. “Hoje em dia, toda a família tem um papel a desempenhar para manter os jovens saudáveis.”

Ponto positivo

Apesar dos aspectos negativos, uma boa relação entre avós e netos é importante para o bem-estar emocional das crianças, principalmente entre aqueles que moram juntos. “Os avós são os maiores provedores de assistência infantil informal, ajudando os pais enquanto eles trabalham”, disse à BBC Lucy Peake, diretora da ONG britânica Grandparents Plus.

“O novo estudo demonstra que os avós são importante na criação das crianças e eles precisam ser reconhecidos e apoiados. Quanto mais informados e habilitados a desempenhar um papel positivo na vida de seus netos, melhor será essa relação.”

Fonte: VEJA


bannerMemorial

Aguarde Novas   Atualizações

 

   

 



 

Qual destas três Mensagens abaixo você gostaria de ouvir na segunda-feira 18/12/2017?