Comunidade Cristã Paz e Vida
 

Pr. Crescio Rezende

Pr. Crescio Rezende

Sede Estadual - RN [email protected]

Pr. Regino Barros

Pr. Regino Barros

Sede Estadual – BA   [email protected]

Pr. Gilvan Gomes

Pr. Gilvan Gomes

Sede Estadual - SE [email protected]

Pr. Sandro Pinheiro

Pr. Sandro Pinheiro

Sede Distrital – DF   [email protected]

Pr. Delson Campos

Pr. Delson Campos

Sede Estadual – PE [email protected]

Pr. Neilton Rocha

Pr. Neilton Rocha

Sede Internacional – SP   [email protected]  

Pr. Dionatan Freitas

Pr. Dionatan Freitas

Sede Estadual - GO [email protected]

Pr. Emerson Stevanelli

Pr. Emerson Stevanelli

Sede Estadual – PB [email protected] [email protected]

Pr. Danyel Pagliarin

Pr. Danyel Pagliarin

Sede Estadual – RJ [email protected]

Pr. Leonardo Pinheiro

Pr. Leonardo Pinheiro

Sede Estadual – MA [email protected]

Pr. Carlos Pinheiro

Pr. Carlos Pinheiro

Sede Estadual – AL [email protected]

Pr. Joaquim Neto

Pr. Joaquim Neto

Sede Estadual – MG [email protected]

Pr. Wesley Santos

Pr. Wesley Santos

Sede Estadual – PR [email protected]

Pr. Márcio Silva

Pr. Márcio Silva

Sede Estadual - PI [email protected]

Pr. Fábio Henrique

Pr. Fábio Henrique

Sede Nacional em Portugal [email protected]

Pr. Raphael Batista

Pr. Raphael Batista

Sede Estadual – RS [email protected]

Pr. Luciano Alves

Pr. Luciano Alves

Sede Estadual – AM [email protected]

Pr. Reinaldo Rosário

Pr. Reinaldo Rosário

Sede Estadual – CE [email protected]

Vacinação de febre amarela será ampliada para todo o país

A medida, de caráter preventivo, pretende imunizar mais de 70 milhões de brasileiros até o ano que vem.

Ministério da Saúde anunciou nesta terça-feira que a vacina contra a febre amarela passa a ser recomendada para todo o Brasil. Com isso, a campanha de vacinação será ampliada por todo o país nos próximos meses.A vacinação vai ocorrer de forma progressiva, conforme cronograma divulgado pela pasta. A previsão é de que, até abril de 2019, cerca de 1.586 municípios estejam incluídos como áreas de recomendação de vacina — atingindo 100% do território nacional. 

“Estamos agindo antecipadamente ao estabelecer um cronograma para vacinar toda a população brasileira. É uma ação de prevenção, não de emergência”, afirmou o ministro Ricardo Barros. “Vamos fazer por precaução, pois a melhor forma de evitar a doença é vacinando a população.”

Os estados de São PauloRio de Janeiro e Bahia vão continuar seguindo a campanha com a dose fracionada. “Para estes estados serão enviadas novas seringas conforme a programação de cada um”, afirmou o ministro da Saúde Ricardo Barros.

Seguindo o calendário do Ministério da Saúde, a partir de julho deste ano, os estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul vão adotar a vacinação em todos os municípios. Em janeiro de 2019, tem início a campanha nos estados do Nordeste. Essas duas regiões vão receber a dose padrão da vacina

A iniciativa de recomendação da vacina para todo o Brasil partiu do governo federal, que obteve aval da Organização Mundial da Saúde (OMS). Com essa medida preventiva, o Ministério da Saúde espera vacinar  77,5 milhões de brasileiros em todo o país.

Produção da Vacina

Para atender à nova demanda, o Ministério da Saúde solicitou ao laboratório produtor da vacina de febre amarela, Bio-Manguinhos/Fiocruz, um aumento de doses para a rotina de vacinação de 2019. A ampliação não vai alterar o número de doses previstas para este ano, que é de 49 milhões. Desde janeiro de 2017, até agora, foram enviadas 68,9 milhões de doses da vacina para todos os estados, sendo 23,8 milhões em 2018 e 45,1 milhões em 2017.

A parceria entre o Instituto Biomanguinhos/Fiocruz, o maior produtor da vacina de febre amarela do mundo, com o laboratório Libbs Farmacêutica, em São Paulo, pretende ampliar o escopo de produção da vacina de febre amarela. A expectativa é de que o laboratório passe a fornecer vacinas ao Ministério da Saúde a partir do segundo semestre deste ano. 

Casos da doença

Entre 1º de julho de 2017 e 13 de março de 2018, foram confirmados 920 casos de febre amarela no país, com 300 mortes registradas. Ao todo, 3.483 casos foram notificados, dos quais 1.794 já foram descartados e 769 permanecem em investigação. Já no ano passado, no período de julho de 2016 a 13 de março de 2017, eram 610 casos confirmados e 196 óbitos confirmados.

Restrições à vacina

Só não deve tomar a vacina quem fizer parte do grupo de risco, que inclui gestantes e mulheres em período de amamentação, bebês com menos de nove meses, idosos acima de 60 anos – sem autorização médica -, indivíduos alérgicos a algum componente da vacina (como o ovo, por exemplo), pessoas com doenças autoimunes e pacientes em terapias imunossupressoras, como quimioterapia.  

Para esses grupos a orientação é se proteger da picada do mosquito com o uso de camisas e calças, além de mosquiteiros e repelentes.

Fonte: VEJA


bannerMemorial

Dom. dia 19/08, às 8 e 18h Reunião da Família         SEDE MINAS GERAIS     Av. Cristiano Machado, 2315 - Cidade Nova - Belo Horizonte - MG