Pr. Crescio Rezende

Pr. Crescio Rezende

Sede Estadual - RN [email protected]

Pr. Neilton Rocha

Pr. Neilton Rocha

Sede Internacional – SP   [email protected]  

Pr. Joaquim Neto

Pr. Joaquim Neto

Sede Estadual – MG [email protected]

Pr. Carlos Pinheiro

Pr. Carlos Pinheiro

Sede Estadual – AL [email protected]

Pr. Gilvan Gomes

Pr. Gilvan Gomes

Sede Estadual - SE [email protected]

Pr. Dionatan Freitas

Pr. Dionatan Freitas

Sede Estadual - GO [email protected]

Pr. Wesley Santos

Pr. Wesley Santos

Sede Estadual – PR [email protected]

Pr. Luciano Alves

Pr. Luciano Alves

Sede Estadual – AM [email protected]

Pr. Márcio Silva

Pr. Márcio Silva

Sede Estadual - PI [email protected]

Pr. Emerson Stevanelli

Pr. Emerson Stevanelli

Sede Estadual – PB [email protected] [email protected]

Pr. Regino Barros

Pr. Regino Barros

Sede Estadual – BA   [email protected]

Pr. Sandro Pinheiro

Pr. Sandro Pinheiro

Sede Distrital – DF   [email protected]

Pr. Fábio Henrique

Pr. Fábio Henrique

Sede Nacional em Portugal [email protected]

Pr. Reinaldo Rosário

Pr. Reinaldo Rosário

Sede Estadual – CE [email protected]

Pr. Leonardo Pinheiro

Pr. Leonardo Pinheiro

Sede Estadual – MA [email protected]

Pr. Delson Campos

Pr. Delson Campos

Sede Estadual – PE [email protected]

Pr. William Alves

Pr. William Alves

Sede Estadual – [email protected]

Pr. Raphael Batista

Pr. Raphael Batista

Sede Estadual – RS [email protected]

Pr. Danyel Pagliarin

Pr. Danyel Pagliarin

Sede Estadual – RJ [email protected]

Produtos de higiene íntima podem causar infecções, diz pesquisa

Quem usa produtos de higiene íntima pode ter até três vezes mais chances de desenvolver infecção urinária.

As infecções vaginais e urinárias podem estar associadas aos produtos de higiene íntima feminina, é o que aponta uma pesquisa publicada no mês passado na revista americana BMC Women’s Health. Segundo o estudo, realizado com  mais de 1.000 mulheres no Canadá, as participantes que usavam sabonetes ou géis íntimos tinham quase 3,5 vezes mais probabilidade de ter uma infecção bacteriana e 2,5 vezes mais chance de relatar uma infecção do trato urinário.

Já as que utilizavam lenços umedecidos apresentaram um risco dobrado de infecção do trato urinário. Aquelas que usavam lubrificantes ou hidratantes tinham 2,5 vezes mais chances de ter uma infecção por fungos. No entanto, o estudo não foi capaz de identificar se os produtos estavam causando as infecções ou sendo usados para curá-las e piorando a situação.

Higiene Íntima

Segundo os pesquisadores envolvidos no estudo, a vagina tem um mecanismo natural de auto-limpeza e por isso não é necessário usar mais do que água e sabão neutro para fazer a higiene íntima diária. Além disso, os sabonetes íntimos podem atrapalhar os níveis de pH da vagina, que deve estar entre 3,5 a 4,5, assim como ‘diluir’ as boas bactérias que colaboram na manutenção da saúde nessa região.

Outro problema associado a esse tipo de produto, especialmente os perfumados, é o aumento na ocorrência de vaginite. A ginecologista Maureen Whelihan, do Centro de Saúde e Educação Sexual da Flórida, nos Estados Unidos, alertou também para o fato de que a parte interna da vagina não precisa ser lavada.

De acordo com o Medical Daily, no que diz respeito ao cheiro, a vagina de cada mulher tem seu próprio aroma natural – que pode ser neutro ou levemente mofado devido ao suor -, o que é completamente normal. No entanto, se o cheiro for suspeito, incomumente pungente ou é sentido à distância, é aconselhável procurar um ginecologista, pois pode ser um sinal de infecção.

“Se o funcionamento do micro bioma vaginal está anormal, isso pode indicar problemas de saúde, como doença inflamatória pélvica, câncer do colo do útero, fertilidade reduzida, gravidez ectópica – quando o embrião se forma fora do útero -, infecções bacterianas e sexualmente transmissíveis”, explicou Kieran O’Doherty, professor de psicologia da Universidade de Guelph, no Canadá.

Fonte: VEJA


bannerMemorial

Aguarde Novas Atualizações