Pr. Carlos Pinheiro

Pr. Carlos Pinheiro

Sede Estadual – AL pr.carlospinheiro@pazevida.org.br

Pr. Joaquim Neto

Pr. Joaquim Neto

Sede Estadual – MG pr.joaquimneto@pazevida.org.br

Pr. Dionatan Freitas

Pr. Dionatan Freitas

Sede Estadual - GO pr.dionatanfreitas@pazevida.org.br

Pr. Reinaldo Rosário

Pr. Reinaldo Rosário

Sede Estadual – CE pr.reinaldorosario@pazevida.org.br

Pr. Luiz Carlos

Pr. Luiz Carlos

Sede Estadual – MA pr.luizcarlos@pazevida.org.br

Pr. Gilvan Gomes

Pr. Gilvan Gomes

Sede Estadual - SE pr.gilvamgomes@pazevida.org.br

Pr. Regino Barros

Pr. Regino Barros

Sede Estadual – BA   pr.reginobarros@pazevida.org.br

Pr. Márcio Silva

Pr. Márcio Silva

Sede Estadual - PI pr.marciodasilva@pazevida.org.br

Pr. Danyel Pagliarin

Pr. Danyel Pagliarin

Sede Estadual – RJ pr.danyelpagliarin@pazevida.org.br

Pr. Sandro Pinheiro

Pr. Sandro Pinheiro

Sede Distrital – DF   pr.sandropinheiro@pazevida.org.br

Pr. Fábio Henrique

Pr. Fábio Henrique

Sede Nacional em Portugal pr.fabiohenrique@pazevida.org.br

Pr. Neilton Rocha

Pr. Neilton Rocha

Sede Internacional – SP   pr.neilton@pazevida.org.br  

Pr. Luciano Alves

Pr. Luciano Alves

Sede Estadual – AM pr.luciano@pazevida.org.br

Pr. Emerson Stevanelli

Pr. Emerson Stevanelli

Sede Estadual – PB pr.emerson@pazevida.org.br pr.emerson@pazevida.org.br

Pr. Delson Campos

Pr. Delson Campos

Sede Estadual – PE pr.delson@pazevida.org.br

Pr. Crescio Rezende

Pr. Crescio Rezende

Sede Estadual - RN pr.crescio@pazevida.org.br

Pr. Wesley Santos

Pr. Wesley Santos

Sede Estadual – PR pr.weslleysantos@pazevida.org.br

Pr. Alex Oliveira

Pr. Alex Oliveira

Sede Estadual – PA pr.alexoliveira@pazevida.org.br

Pr. Raphael Batista

Pr. Raphael Batista

Sede Estadual – RS pr.raphaelbatista@pazevida.org.br

Depressão: conheça o melhor exercício para aliviar os sintomas da doença

Artigo publicado na revista americana 'JAMA' indica que treinos de resistência ainda trazem benefícios para a saúde física.

O treino de resistência não é apenas bom para o corpo, é também para a mente, podendo ajudar no alívio dos sintomas da depressão. É isso o que afirma um artigo publicado na revista JAMA Psychiatry. O estudo descobriu que esse tipo de treinamento — como levantamento de peso e treino de força —, está associado a uma redução significativa dos sintomas depressivos, além fornecer os já conhecidos benefícios físicos, como prevenção de doenças crônicas e fortalecimento dos ossos e músculos.

Segundo Brett Gordon, principal autor do estudo e pesquisador da Universidade de Limerick, na Irlanda, seria ousado da parte dele dizer que os exercícios físicos podem curar a depressão, mas as descobertas são importantes, pois esses exercícios podem ser feitos em casa — ambiente no qual quem sofre da doença geralmente se sente mais confortável.

Exercícios para depressão

De acordo com a revista Time Health, os pesquisadores afirmaram que o treinamento de força mostrou-se tão funcional e eficiente quanto os principais tratamentos para a depressão, como antidepressivos e terapias comportamentaisEstudo anterior publicado no British Journal of Sports Medicine mostrou que o aumento do fluxo sanguíneo para o cérebro provocado pelas atividades físicas é capaz de mudar a estrutura e a função cerebral a partir da produção de novas células cerebrais. Tal mecanismo desencadeia a liberação de substâncias químicas, como as endorfinas, que melhoram o humor.

A equipe de pesquisa irlandesa analisou 33 ensaios clínicos (cerca de 2.000 participantes) que examinaram os efeitos do treinamento de resistência em sintomas da depressão.

Ao longo da análise, os cientistas descobriram que pessoas com rotina de exercícios específicos — independentemente da idade, sexo ou estado de saúde — apresentaram melhoras nos sintomas da doença, como mau humor, perda de interesse em participar de atividades variadas e sentimentos de inutilidade.

Rotina de treinamento

Com base na avaliação dos estudos revisados pelos pesquisadores, não existe um único regime de exercícios capazes de trazer benefícios para a saúde mental. No entanto, evidências sugerem que rotinas supervisionadas de até 45 minutos se mostraram muito eficientes. Segundo Gordon, o Colégio Americano de Medicina Esportiva (ACMS, na sigla em inglês) fornece as seguintes diretrizes para a prática esportiva:

1. Os treinamentos de força devem ser feitos pelos menos dois dias por semana;

2. Os exercícios devem conter de oito a dez tipos de movimento de fortalecimento de resistência, com oito a doze repetições de cada um deles.

Outros exercícios

Além dos treinos de resistência, há evidências científicas que apontam outras modalidades de atividades físicas capazes de melhorar os sintomas da depressão, como ioga, exercícios aeróbicos e exercícios cardio — também conhecido como treinamento cardiovascular, ele pode ser definido como qualquer exercício físico que aumenta a frequência cardíaca, como por exemplo, corrida, ciclismo e natação.

Fonte: VEJA


bannerMemorial

Aguarde Novas Atualizações

 

   

 



 

Qual destas três Mensagens abaixo você gostaria de ouvir na segunda-feira 28/05/2018?