Pr. Joaquim Neto

Pr. Joaquim Neto

Sede Estadual – BA pr.joaquimneto@pazevida.org.br

Pr. Crescio Rezende

Pr. Crescio Rezende

Sede Estadual – AM pr.crescio@pazevida.org.br

Pr. Herman Theml

Pr. Herman Theml

Sede Estadual - GO pr.herman@pazevida.org.br

Pr. Luciano Alves

Pr. Luciano Alves

Sede Estadual – PR pr.luciano@pazevida.org.br

Pr. Sandro Pinheiro

Pr. Sandro Pinheiro

Sede Nacional em Portugal pr.sandropinheiro@pazevida.org.br

Pr. Delson Campos

Pr. Delson Campos

Sede Distrital – DF   pr.delson@pazevida.org.br

Pr. Marcio Silva

Pr. Marcio Silva

Sede Estadual – CE pr.marciodasilva@pazevida.org.br

Pr. Geovanni Morais

Pr. Geovanni Morais

Sede Estadual – SC pr.geovannimorais@pazevida.org.br

Pr. Rodrigo Rosa

Pr. Rodrigo Rosa

Sede Estadual – PB pr.rodrigorosa@pazevida.org.br

Pr. Luiz Orelli

Pr. Luiz Orelli

Sede Estadual – PA pr.joseluiz@pazevida.org.br

Pr. Regino Barros

Pr. Regino Barros

Sede Estadual – MA pr.reginobarros@pazevida.org.br

Pr. Ubyratan Araújo

Pr. Ubyratan  Araújo

Sede Estadual – RJ pr.ubyratan@pazevida.org.br

Pr. Neilton Rocha

Pr. Neilton Rocha

Sede Internacional – SP pr.neilton@pazevida.org.br

Pr. Luiz Carlos

Pr. Luiz Carlos

Sede Estadual – RS pr.luizcarlos@pazevida.org.br

Pr. Rodrigo Ribeiro

Pr. Rodrigo Ribeiro

Sede Estadual – AL pr.rodrigoribeiro@pazevida.org.br

Pr. Marcelo Lins

Pr. Marcelo Lins

Sede Estadual - SE pr.marcelobezerra@pazevida.org.br

Pr. Leandro Santos

Pr. Leandro Santos

Sede Estadual – PI pr.leandrosantos@pazevida.org.br

Pr. Danyel Pagliarin

Pr. Danyel Pagliarin

Sede Estadual – PE pr.danyelpagliarin@pazevida.org.br  

Pr. Victor Apolinário

Pr. Victor Apolinário

Sede Estadual – MG pr.victorapolinario@pazevida.org.br

Igreja Católica: a única certa?

Eu quero fazer um alerta para você: procure ler a Palavra com o espírito aberto. Se você, por um acaso, no meio daquilo que estiver lendo aqui, ficar com raiva de mim, termine de ler esta mensagem para ver se eu tenho razão ou não. Analise. Para isso, Deus nos deu discernimento. A Palavra de Deus diz para retermos aquilo que é bom. Mas esteja seguro de uma coisa: eu não vou falar de religião. Eu vou falar da Palavra de Deus.

Abra no livro de Atos 11:26. Você me pergunta: “Pastor Juanribe, eu sou católico, se eu quiser ir para a Paz e Vida, eu posso levar a minha Bíblia católica?” Claro que pode. Não obstante a Bíblia católica ter alguns livros a mais do que a protestante, isso não quer dizer que haja uma diferença brutal que justifique qualquer atitude de repúdio. Você pode analisar a Palavra também pela Bíblia católica. Eu tenho várias. Eu tenho a Bíblia católica da Barsa; a Bíblia de Jerusalém, que é uma excelente Bíblia católica de estudos; tenho também uma Bíblia das Edições Paulinas. Enfim, tenho várias Bíblias católicas.

O que nós vamos ler agora também está escrito na Bíblia católica:

Atos 11:26, “E sucedeu que todo o ano se reuniram naquela igreja e ensinaram muita gente. Em Antioquia, foram os discípulos pela primeira vez chamados cristãos”.

O objetivo de se reunir em uma igreja - que vem do grego eclésia e quer dizer assembléia – é, além de louvar e adorar a Deus, ensinar e aprender a Palavra. Então, durante um ano eles se reuniram naquela assembléia, naquela eclésia, naquela igreja, e ensinaram muita gente. Ali na cidade de Antioquia, pela primeira vez, os discípulos foram chamados de “cristãos”.

O trecho acima, em vernelho, foi escrito, mais ou menos, no ano 60 da era atual. Antes disso, os seguidores de Jesus Cristo eram chamados de várias maneiras; especialmente de discípulos, que quer dizer aluno, seguidor. Mas em Antioquia, pela primeira vez, chamaram os seguidores de Jesus de “cristãos”. Portanto, a pessoa que segue os ensinamentos de Cristo é uma pessoa cristã.

O livro de Atos trata da história inicial da Igreja Cristã. Os primeiros atos dos discípulos, os relatos históricos, os milagres, a expansão do Evangelho, a perseguição, morte, martírio. Uma série de coisas. Seria interessante que você, quando tivesse um tempo, começasse a ler o livro de Atos dos Apóstolos desde o princípio, porque ele trata justamente da atuação da igreja cristã sem a presença física de Jesus. Este livro começa com Jesus Cristo subindo aos céus e dando instrução para que os seus discípulos pregassem o Evangelho. A partir de então, surge o relato do que foi acontecendo, e o início da Igreja Cristã. Este é um documento histórico, original, de grande valor, seja na Bíblia católica, seja na Bíblia protestante. Ele é um dos documentos mais valiosos, porque traz a história de maneira fidedigna. Eu creio no relato deste livro. Creio que ele traz a cada cristão a confirmação daquilo que Jesus havia prometido: “Preguem o Evangelho a cada criatura. Quem crer e for batizado, será salvo. E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios, falarão novas línguas, pegarão em serpentes e se beberem qualquer coisa mortífera, não lhes fará dano algum. E imporão as mãos sobre os enfermos e os curarão. E eis que estou convosco todos os dias até a consumação dos séculos”.

Quando você lê o livro de Atos dos Apóstolos e vê a perseguição brutal que os primeiros cristãos sofreram, começando por Jerusalém e continuando por todos os lugares que eles iam, pode constatar que a Igreja sofreu muito para ser implantada. Custou muitas vidas, muitos sofrimentos, muitos açoites. Assim, durante os três primeiros séculos da nossa era, os cristãos foram brutalmente feridos, maltratados, perseguidos, despojados, exilados, aprisionados, acorrentados, torturados, arrastados pelas ruas, jogados aos leões. Hoje é fácil ser cristão. Aliás, hoje é até chique. Mas naquela época era muito perigoso. Porém, como alguém pode negar a fé, mesmo sob tortura, quando se conhece o verdadeiro Cristo? Por causa dessa fé, os primeiros cristãos enfrentaram a morte, a tortura, o sofrimento. E ninguém reclamava.

Mas no ano 313 da era atual, o imperador romano Constantino resolveu deixar a religião do império e, sendo ele mesmo um César, resolveu que o cristianismo seria a religião oficial do império romano. Mas dentro de Roma havia também muitos judeus, que se opunham aos cristãos. Havia também no império romano muitas religiões, muitos deuses – vários importados da Grécia. Os deuses gregos também eram adorados no império romano, mas com outros nomes. Constantino, por decreto, obrigou os judeus a aderirem Jesus Cristo. É claro que isso é errado, porque a Palavra diz que não é “por força e nem por violência, mas pelo meu Espírito” (Zc 4:6). No entanto, Constantino decretou que os judeus teriam que adorar a Cristo. Ele também decretou que todos os deuses de Roma e do mundo antigo fossem abolidos e quem pertencesse àquelas religiões, deveria adorar somente a Cristo. Especula-se muito por que ele teria feito isso: uns dizem que foi por conversão genuína, outros dizem que ele queria tirar proveito político de uma religião que crescia, mesmo com mortes e perseguições. Enfim, disseram que ele tentou se aproveitar da situação. Não sei qual foi o verdadeiro motivo; só Deus sabe.

O homem mais importante do mundo antigo, aquele que tinha a caneta na mão, decretou a criação de uma igreja onde os judeus deveriam estar dentro, assim como todos os religiosos pagãos. Constantino fez todos se “converterem” por decreto. Ele deu um nome a essa igreja, que surgiu no ano 313 da era cristã, de “Universal”. Porém, o significado da palavra “universal” em grego ou latim é “católico”. Então, ele chamou de Igreja Católica, ou Igreja Universal, porque era a igreja de todo o império romano, de todas as nações que Roma havia subjugado e dominado. Essa igreja seria, segundo o projeto de Constantino, a única religião do império romano, uma religião universal. Constantino decretou: Igreja Católica Apostólica – porque seria apoiada nos apóstolos de Cristo. Esta igreja que estava nascendo por decreto do imperador Constantino teria a sua sede em Roma. E foi assim que surgiu a Igreja Católica Apostólica Romana.

O poder desta igreja foi dado politicamente a um padre muito próximo do imperador Constantino. Esse padre chamou para si o “direito” de ser o chefe de todos os outros padres. E passou a denominar-se o pai de todos (do latim: pappa). Assim, para legitimar que estava assumindo aquela cadeira não apenas por decreto do imperador Constantino, aquele pappa criou uma árvore genealógica que retrocedia no tempo. Ele foi manipulando os nomes até chegar em São Pedro. Com isto, quis afirmar que ele, o pappa, era o chefe daquela igreja que estava nascendo e que tinha direito a esse poder no mundo, porque era “o sucessor legítimo de Pedro” que, segundo ele, teria sido o primeiro pappa (pai). Esta pretensão choca-se frontalmente com as palavras que Jesus disse em Mateus 23:9: “E a ninguém na terra chameis vosso pai, porque um só é o vosso Pai, o qual está nos céus”.

Até os dias de hoje essa informação (a árvore genealógica do pappa) tem chegado ao mundo como se fosse não apenas a partir do ano 313, mas desde o primeiro século. Isso não é verdade. O versículo que nós lemos no início, em Atos 11:26, mostra que antes do ano 313 não havia igreja católica e, sim, Igreja Cristã.

Nos três primeiros séculos, as pessoas que acreditavam em Cristo não eram católicas, mas cristãs. Porém, a lista que este pappa fabricou, retrocedendo até Pedro, tentou embutir nas pessoas a idéia de que essa Igreja Católica Apostólica Romana era a igreja original, a inicial. Mas se você ler todo o livro de Atos dos Apóstolos, que abarca o primeiro século da igreja de Cristo, você verá que em nenhum momento a igreja era chamada de católica.

Eu tenho que isso não é novidade para muita gente. Até uma pessoa que não é religiosa, mas estudou, sabe que isto é fato histórico. O que eu estou contando está nos livros de História, e não nos livros de religião. A história do mundo nos explica como surgiu a Igreja Católica Apostólica Romana.

O que nós não podemos aceitar hoje, no século XXI, em que a informação transita com facilidade, com uma imprensa livre e muito esclarecida, que alguém tente impor à humanidade a idéia de que a Igreja Católica Apostólica Romana é a igreja original de Cristo. Não podemos aceitar esta afirmação, primeiro porque é falsa. Eu tenho em minhas mãos a revista Veja desta semana, edição de número 2017, onde aparece o título bem grande: A VERDADE SOU EU. E a foto do pappa atual, que fez a declaração de que a igreja católica é a “única representante de Cristo”. A matéria erroneamente, e é isto o que eu quero mostrar a vocês, diz em seu subtítulo: “Esta auto-imagem tem mais de 2 mil anos”.

Você vê que até a revista Veja publica, erroneamente, que a igreja católica tem 2 mil anos. Os livros de História, e não somente a Bíblia, estão aí para mostrar que a Igreja Católica Apostólica Romana não tem 2 mil anos de idade. Ela é mais nova que o Cristianismo. Mas tentam, primeiramente por má fé e também por ignorância, nos enfiar goela abaixo que a Igreja Católica Apostólica Romana tem “2.000 anos de idade”. Olhem, a revista Veja, uma publicação considerada de alto nível, uma das melhores do mundo, faz uma afirmação histórica totalmente errônea e distorcida, acredito eu, propositadamente, para levar um leitor desatento a pensar que sim, que a igreja católica existe desde o ano zero da era cristã, que é a única, que é a original. Isto não é verdade.

Um trecho da matéria publicada pela Veja diz assim:

“No documento divulgado pelo Vaticano, na semana passada, o Papa reforça um aspecto central da doutrina católica, intitulado Respostas às Questões Relativas, alguns aspectos da doutrina sobre a igreja. O texto reafirma a igreja católica como a única igreja de Cristo. Elaborado pela Congregação para a Doutrina da Fé, em forma de perguntas e respostas e ratificado pelo Papa, o documento tem por objetivo esclarecer interpretações teológicas modernosas, surgidas com o Concílio Vaticano II na década de 60”. A matéria continua, mas o ponto principal é este.

O jornal O Estado de São Paulo publicou, antes da revista Veja, o título em meia página de matéria: “Igreja Católica é única plena. Texto polêmico da doutrina da fé será divulgado hoje”. Preste atenção no que diz a matéria do jornal O Estado de São Paulo: “O Vaticano deve divulgar hoje um documento sobre eclesiologia – que trata da natureza e finalidade da igreja – no qual reitera que a igreja de Cristo subsiste na igreja católica. O texto Respostas Sobre Alguns Aspectos da Doutrina da Igreja deverá desatar nova polêmica”. Mais em baixo a matéria diz assim: “Em sua visita ao Brasil, em maio, o Papa reafirmou diante dos bispos reunidos na Catedral da Sé que “a única igreja de Cristo subsiste na igreja católica, governada pelo sucessor de Pedro, (ou seja, por ele)”. Quero esclarecer que os parênteses foram colocados pelo próprio jornal. Tenta,com isto, mostrar o pappa puxando a sardinha para sua brasa. O pappa, então, fez a divulgação deste documento, chamando para si o direito de ser "o único sucessor de Pedro" e a Igreja Católica Apostólica Romana como “a única igreja de Cristo”.

Eu quero, à luz da Palavra de Deus, mostrar algumas coisas, além dos fatos que eu já citei dos livros históricos.

Em primeiro lugar: a igreja católica é posterior ao cristianismo, porque o texto que nós abrimos, relata que os cristãos, chamados por este nome em Antioquia pela primeira vez no ano 60 da era atual, existem desde bem antes da igreja católica.

Segundo: a igreja católica teve a sua sede colocada em Roma, mas não foi em Roma que a igreja cristã nasceu. A igreja cristã nasceu em Jerusalém. Leia Atos dos Apóstolos 2:38, que trata da descida do Espírito Santo, a pregação veemente de Pedro anunciando Jesus como o único Salvador, o único Juiz dos vivos e dos mortos, o único Senhor e Cristo; veja neste capítulo o arrependimento das pessoas e a instrução que Pedro deu ao povo, seguindo a orientação de Jesus, dizendo: “Arrependei-vos e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para perdão dos pecados. E recebereis o dom do Espírito Santo”.

Ou seja, Pedro está pregando arrependimento e batismo. Ele também ensina que as pessoas devem receber o dom do Espírito Santo, o Batismo com Espírito Santo. E Pedro diz, “Essa promessa de Jesus diz respeito a vós, a vossos filhos, a todos os que estão longe e a tantos quantos Deus, nosso Senhor, chamar”.

O texto diz que Pedro continuou insistindo com eles, dizendo, “Salvai-vos desta geração perversa. Nós vimos Cristo vivo, ressuscitado, andamos com Ele, comemos com Ele. Antes de subir aos céus, Ele nos mandou pregar e batizar”.

As pessoas que ouviram esta pregação se batizaram e, diz o versículo 41: “De sorte que foram batizados os que receberam de bom grado a sua palavra e naquele dia agregaram-se quase 3 mil almas. E perseveravam na doutrina dos apóstolos, na comunhão e no partir do pão e nas orações. Em cada alma havia temor e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos. Todos os que criam estavam juntos e tinham tudo em comum. Vendiam suas propriedades e fazendas, repartiam com todos, segundo a necessidade de cada um. E perseverando unânimes todos os dias no templo e partindo o pão, em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar”.

A primeira igreja surgiu assim. As pessoas se batizaram no mesmo dia em que ouviram a pregação, participaram da Santa Ceia, mantiveram essa comunhão e o número de pessoas aumentava a cada dia, porém, na cidade de Jerusalém.

Portanto, a Igreja Cristã nasceu exatamente 50 dias depois da morte de Jesus Cristo, no dia de Pentecostes. Essa igreja ainda não tinha nome, nem era chamada de Igreja Cristã, mas ela nasceu desta maneira. Começaram a se reunir nas casas e veio toda aquela perseguição. Mas durante 300 anos, só havia Igreja Cristã. A sede dessa igreja cristã nunca foi em Roma; sempre foi em Jerusalém.

Terceiro: um outro fato comprova isso. Surgiram naqueles tempos pessoas que diziam, “Olha, quem se converte a Cristo tem que fazer a circuncisão, os homens têm que se circuncidar”. (A circuncisão é muito parecida com uma operação de fimose). Os homens, então, teriam que se submeter a isso para dizer que eram salvos. Mas para fazer isso, eles teriam que abrir mão da salvação pela fé. Porque, submeter-se á circuncisão, significaria fazer alguma coisa para merecer a salvação. Mas os apóstolos pregavam que, para ser salvo, não era preciso fazer nada, a não ser arrepender-se, ter fé e reconhecimento no sacrifício de Jesus.

Leia Atos 15 para identificar essa fase da Igreja Cristã, quando muitos começaram a dizer que quem não era judeu nem circuncidado não poderia ser salvo. Ou seja, um trabalho da carne, uma obra da carne, para merecer a salvação.

Vamos ler Atos 15, que mostra Pedro, Paulo, Tiago, João e toda a Igreja Cristã reunida, discutindo esse tema polêmico.

“Então, alguns que tinham descido da Judéia ensinavam assim aos irmãos: se vos não circuncidardes, conforme o uso de Moisés, não podeis salvar-vos”.

Veja que já estavam tentando mudar o conceito de que a salvação não seria pela graça, mas pelas obras. Muita gente, influenciada por aquele novo ritual, começou a acreditar e a circuncidar-se. Então, a igreja cristã ficou muito abalada com aquela nova pregação.

Versículo 2: “Tendo tido Paulo e Barnabé não pequena discussão e contenda contra eles, resolveu-se que Paulo, Barnabé e alguns dentre eles subissem a Jerusalém, aos apóstolos e aos anciãos sobre aquela questão”.

Ou seja: Paulo e Barnabé estão pregando em toda a parte a salvação pela fé e pela graça, mas tem gente dizendo que, para se salvar, é necessário fazer a circuncisão. Paulo e Barnabé dizem que não é nada disso, e que este dogma precisa ser esclarecido na sede da Igreja. Então, eles viajam para Jerusalém. Confirmando: a sede da Igreja Cristã não era em Roma, mas em Jerusalém.

Acompanhe no versículo 3 (até o 5):

“E eles, sendo acompanhados pela igreja, passaram pela Fenícia e por Samaria, contando a conversão dos gentios e davam grande alegria a todos os irmãos. Quando chegaram a Jerusalém, foram recebidos pela igreja e pelos apóstolos e anciãos. Eles anunciaram quão grandes coisas Deus havia feito com eles. Alguns, porém, da seita dos fariseus que tinham crido, se levantaram dizendo que era mister, necessário, circuncidá-los e mandar-lhes que guardassem a lei de Moisés”.

Quando Jesus estava aqui na Terra, os fariseus eram os grandes inimigos do Senhor, mas, agora, infiltraram-se na igreja de Jerusalém, na Igreja Cristã, e estavam ali fermentando. Bem que Jesus tinha dito: “Guardai-vos do fermento dos fariseus”. Ou seja, queriam que os cristãos guardassem os sábados, porque os fariseus eram legalistas; queriam que fizessem aquele ritual de lavar as mãos antes de comer. Enfim, tudo aquilo pelo qual perseguiram Jesus, queriam agora implantar na igreja, guardando a lei de Moisés. Queriam que os cristãos ficassem no Antigo Testamento. Mas Jesus Cristo, quando ministrou a Santa Ceia, disse: “Este cálice é o Novo Testamento no meu sangue. É a nova aliança”.

Versículo 6: “Congregaram-se, pois, os apóstolos e os anciãos para considerar este assunto”.

Note: este foi o Primeiro Concílio Cristão da Igreja na História. E nós podemos lê-lo aqui. O que provocou o primeiro concílio, a primeira reunião para se discutir temas teológicos, está nesta passagem. Agora, eles irão considerar esse assunto.

Versículo 7: “E havendo grande contenda, levantou-se Pedro e disse-lhes: varões irmãos, bem sabeis que já há muito tempo Deus me elegeu dentre vós para que os gentios ouvissem da minha boca a palavra do evangelho e que cressem”.

Pedro está falando que ele foi o primeiro a pregar para Cornélio, que era um centurião, um gentio, e que ele foi escolhido por Deus para pregar aos estrangeiros. Ele não disse que foi eleito o “pappa”. Ele foi escolhido por Deus para converter os não-judeus, para que cressem no Evangelho.

Continuando a leitura no versículo 8: “E Deus, que conhece os corações, lhes deu testemunho, dando-lhes o Espírito Santo, assim como também a nós”. Pedro está lembrando que Cornélio e sua família, quando ouviram a pregação do Evangelho, receberam o batismo com o Espírito Santo. Por isso, ele batizou os estrangeiros. Ele comenta resumidamente esse fato, que está narrado em Atos 10.

Versículo 9: “E Deus não fez diferença alguma entre eles, que são estrangeiros, e nós, purificando o seu coração pela fé”. Repare: na ocasião, Pedro defendeu a purificação pela fé. Deus não faz acepção de pessoas, entre judeu e estrangeiro. Deus purificou o coração deles pela fé.

Versículo 10: “Agora, pois, por que tentais a Deus, pondo sobre a cerviz dos discípulos um jugo que nem nossos pais nem nós podemos suportar?”. Veja que ele fala “discípulos” não se referindo aos 12, mas se referindo a qualquer pessoa que seguisse a Cristo. Traduzindo: “Por que vocês querem colocar sobre as cabeças dos discípulos um peso que nem nós e nem nossos pais pudemos suportar? Nós não conseguimos cumprir a lei do Antigo Testamento e agora vocês querem colocar sobre os novos convertidos esse fardo pesado”.

Continuando no versículo 11: “Mas cremos que seremos salvos pela graça do Senhor Jesus Cristo como eles também”. Nesse pequeno trecho, Pedro ensina que a salvação é pela fé e pela graça. Mas o “pappa” ensina que a salvação é pelas obras; que se você rezar o terço todo dia, sem faltar um dia, até a sua morte, você não irá para o Purgatório. Com uma ressalva: só até o primeiro sábado depois da sua morte. Quer dizer que, segundo a igreja católica, a pessoa reza um terço todos os dias, até morrer, e depois a alma dela vai para o Purgatório e fica lá, no máximo, até um sábado; depois ela sai. Ou seja, não precisa do sangue e nem do sacrifício de Jesus.

Eu tenho muita preocupação com os irmãos católicos. A salvação que os pappas criaram para eles é muito complicada. Tem que rezar o terço todos os dias e depois passar, no máximo, uma semana no Purgatório. Se você morrer na sexta ou na segunda, não importa, depois do sábado você já estará liberado do Purgatório. Mas o pappa diz também que o católico primeiro tem que se confessar com o padre, cumprir a penitência, ir às missas e depois, se morrer, é bom que os parentes rezem pela alma dele para que saia do Purgatório. Complicado demais. Eles não dizem quando a pessoa sai do Purgatório, caso não faça tudo isso.

Eu não quero ironizar a fé católica, mas eles inventaram o Purgatório para que a família se preocupe com a pessoa que morreu, que está lá no Purgatório, sofrendo, purgando os pecados. Por que, vai que se esqueceu um dia de rezar o terço. Então, a família precisa fazer as rezas pelas almas. Mas essas missas são pagas. Eu tenho um amigo católico que a tia dele morreu e deixou 450 mil euros para um padre italiano. O padre disse que cobraria 20 euros por casa missa, mas que rezaria todos os dias na intenção da alma dela. Mas, e se ela não sair do Purgatório quando acabarem os 450 mil euros? Pelas minhas contas, este padre obrigou-se a rezar por 61 anos em favor da falecida, todos os dias. E se ele esquecer um dia? Ou se morrer antes? Será que o padre que sucedê-lo vai estar com o mesmo compromisso? Eu fico preocupado, porque é difícil o caminho da salvação para os católicos.

O pappa diz que ele é infalível, que é o sucessor de Pedro. Mas o que eu leio aqui na Bíblia, caso Pedro tivesse sido o primeiro pappa, que nós não somos salvos por rezar terço, por circuncisão, por obra de caridade, mas nós somos salvos pela fé no nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Nós somos salvos de graça; não precisamos pagar missa nenhuma, porque Cristo, o Cordeiro de Deus, já pagou o preço pela nossa redenção. E pagou à vista, de uma vez só!

Voltando em Atos 15, versículo 12: “Então, toda a multidão se calou e escutava Barnabé e a Paulo, que contavam quão grandes sinais e prodígios Deus havia feito por meio deles entre os gentios. E havendo-se eles calado, tomou Tiago a palavra dizendo: Varões irmãos, ouvi-me: Simão (o outro nome de Pedro) relatou como primeiramente Deus visitou os gentios para tomar deles um povo para o seu nome. E com isto, concordam as palavras dos profetas como está escrito: depois disto, voltarei e reedificarei o Tabernáculo de Davi que está caído. Levantá-lo-ei das ruínas e tornarei a edificá-lo para que o resto dos homens busque ao Senhor e também todos os gentios sobre os quais o meu nome é invocado, diz o Senhor, que faz todas estas coisas, que são conhecidas desde toda a eternidade. Pelo que julgo que não se deve perturbar aqueles que dentre os gentios que se convertem a Deus. Mas escrever-lhes que se abstenham da contaminação dos ídolos, da prostituição, do que é sufocado e do sangue. Porque Moisés, desde os tempo antigos, tem em cada cidade quem o pregue e cada sábado é lido nas sinagogas. Então, pareceu bem aos apóstolos, aos anciãos, com toda a igreja, tendo elegido homens dentre eles, enviá-los juntamente com Paulo e Barnabé, à Antioquia foram: Judas, chamado Barsabás, e Silas, homens notáveis entre os irmãos, escrevendo por mãos deles”.

A seguir, nós iremos ler a ata que foi lavrada no Primeiro Concílio Cristão. Você viu que não foi Pedro e nem Paulo quem deu a última palavra e redigiu tal documento. Foi Tiago. Portanto, o chefe da igreja em Jerusalém não era Pedro e, sim, Tiago. É Tiago quem fala que não se deve perturbar os estrangeiros que se convertem a Deus.

Veja o que diz o documento em Atos 15:23: “Os apóstolos, e os anciãos, e os irmãos, aos irmãos dentre os gentios que estão em Antioquia, Síria e Cilícia, saúde. Porquanto ouvimos que alguns que saíram dentre nós os perturbaram com palavras e transtornaram a vossa alma, não tendo nós dado-lhes mandamento (fizeram isso por conta própria). Pareceu-nos bem, chegados a pleno acordo, eleger alguns varões e enviá-los com nossos amados Barnabé e Paulo, homens que já expuseram a vida pelo nome do nosso Senhor Jesus Cristo. Enviamos, portanto, Judas e Silas, os quais de boca, vos anunciarão também o mesmo. Na verdade, pareceu bem ao Espírito Santo e a nós, não vos impor mais encargo algum além destas coisas necessárias: que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, do sangue e da carne sufocada e da fornicação; destas coisas fareis bem se vos guardardes. Bem vos vá. Tendo-se eles, então, despedido, partiram para a Antioquia e ajuntando a multidão, entregaram a carta. E quando a leram, alegraram-se pela exortação. Depois, Judas e Silas, que também eram profetas, exortaram e confirmaram os irmãos com muitas palavras”. Ou seja, nunca houve no princípio um pappa. Tampouco esse chefe seria Pedro.

Não estamos desmerecendo Pedro. Ele foi um grande homem de Deus, assim como Paulo, Silas, Barnabé, Tiago, João e todos os demais. Mas não existe essa dinastia a partir de Pedro. E a igreja católica publicou esse documento, e a revista Veja ressalta isso, que o argumento do pappa para garantir que a igreja católica é a única certa é que ele é o único sucessor legítimo de Pedro, “o primeiro pappa”. No entanto, eu estou provando para você que nunca houve um primeiro pappa. Pedro nunca foi pappa. Pedro nunca foi chefe da igreja em Jerusalém. Pedro foi pregar o Evangelho por toda a parte e, diz a história, que ele morreu em Roma, crucificado e de cabeça para baixo. Mas ele não foi chefe de uma igreja em Roma, nem se sentou num trono. Ele morreu pregando o Evangelho. Se havia um chefe na igreja cristã primitiva, esse chefe era o meio-irmão de Jesus, Tiago, o líder que deu a última palavra naquele Primeiro Concílio, e não Pedro ou Paulo. A Igreja Católica Apostólica Romana não revela a verdade para as pessoas. Desculpem a franqueza, mas a igreja católica só surgiu no ano 313. Portanto, ela é bem posterior ao cristianismo. É uma denominação muito antiga, mas dizer que é "a igreja original" e a "única certa" é uma aberração. Não podemos aceitar esse tipo de coisa e ficarmos quietos, como se fosse verdade.

O que o pappa tem em mente? Vamos analisar: ele veio ao Brasil e fizeram um mega palco na cidade de Aparecida. A TV Globo fez uma tremenda divulgação e cobertura e, em pleno Jornal Nacional – programa de maior audiência – toda noite entrevistavam pessoas que iam ver o pappa. Fizeram propaganda em todos os horários nobres e não-nobres. Toda a imprensa escrita, falada e televisionada divulgou muito a visita do pappa ao Brasil. Criaram uma grande expectativa. Então, o pappa vai para este megaevento em Aparecida. Eles esperavam um milhão e meio de pessoas. Mas compareceram apenas 150 mil.

O pappa voltou para Roma arrasado. Ele veio aqui para dizer que a igreja dele é a única certa, atitude típica de um líder em desespero. (Infelizmente, não é só o papa quem faz este tipo de apelação; há pastores que também agem assim. Tem pastor que diz que é só a igreja dele, só o batismo dele, que salva. Estão na mesma posição pretensiosa do pappa. Estão defendendo religião. Mas religião alguma salva, nem denominação salva. Quem salva é o nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Não há outro Salvador da humanidade. Não há outro caminho para o céu, nem Purgatório, nem Limbo. Ao Céu têm direito aqueles que recebem Jesus como único, suficiente, exclusivo e eterno Salvador!)

O pappa, lá no Vaticano, depois do fracasso em Aparecida, ficou arrasado com o baixo público de apenas 150 mil pessoas. Não era para menos: eles dizem que 80% da população brasileira é católica. O que daria algo em torno de 150 milhões de fiéis. Com a mídia que teve, era para atrair, no mínimo, 10 milhões de pessoas. Mas, no maior Santuário Católico do Mundo, só 150 mil fiéis compareceram. Saíram com o comentário de que o que importa para a igreja é a qualidade e não a quantidade.

Mas, no fundo, o pappa ficou pensando sobre o que fazer para deter a perda de católicos no Brasil. Então, ele decidiu divulgar esse documento, sem se importar com a opinião pública. Valendo-se do fato que os católicos, de um modo geral, não lêem a Bíblia, o pappa disse que a única igreja de Cristo é a igreja católica. Quem não lê a Bíblia acredita que, se o papa falou, tá falado. Desculpe, mas a última palavra não é do pastor e nem do pappa. A última palavra é a do nosso Senhor Jesus Cristo. Deus já decretou: "Há um só Deus, e um só mediador entre Deus e os homens: Jesus Cristo homem" (Tm 2:5).

Eu não vou comentar os dogmas da igreja católica, como o batismo de bebês, que não têm a capacidade de crer e nem de se arrepender (aliás, nem pecados têm); não vou comentar a ameaça que eles fazem de que, se o bebê morrer sem o batismo, vai para o Limbo. Inventaram o Limbo, que não é o céu e nem o inferno, mas é um lugar onde a alma fica perdida, longe de Deus, desorientada. Então, um pai e uma mãe, que estão com o filho pequeno na UTI, não conhecem a Palavra, e o médico diz: “Seu filho vai morrer. Podem cuidar do funeral”. Os pais correm para buscar um padre para que faça o batismo do bebê. Para se provar que isto é anti-bíblico, não é preciso muito. No Evangelho de Marcos, capítulo 10:14, quando as crianças vinham e se penduravam no pescoço do Senhor Jesus, e sentavam no colo dele, o abraçavam e beijavam, os apóstolos tiravam as crianças, porque achavam que estavam incomodando. Mas Jesus disse, “Deixai vir a mim os pequeninos e nãos os impeçais de vir a mim, porque dos tais é o Reino dos Céus”. Um bebezinho que morre não vai para o Limbo. Dos pequeninos é o Reino dos Céus.

Esse documento que o pappa fez é vergonhoso. Eu só posso entender como um atitude desesperada de um líder que quer defender a sua religião como se fosse um clube. Ele está perdendo fiéis, está perdendo adeptos. A igreja católica está encolhendo em todo o Brasil. Os padres reunidos depois que o pappa foi embora, os bispos, cardeais, todos reunidos em Aparecida, lavraram de novo aquele documento. Um documento que eles haviam feito anos atrás, mas que o pappa anterior não deu crédito. O resumo do documento diz o seguinte: “Não adianta inventarmos santos, canonizarmos mortos, inventarmos padroeiros. A realidade é uma só: A única maneira de pararmos de perder fiéis no Brasil e na América Latina é declararmos com todas as forças que só Jesus Cristo é o Salvador da humanidade. Nós temos que fazer esta pregação, se quisermos parar de perder fiéis.

Mas este pappa também não vai aceitar isso. Ele está radicalizando. Ele pediu que voltem a fazer missas em latim; assim, o povo não entende nada. O povo fica olhando o padre rezando em latim e acha que ele está falando com Deus, que o padre é um homem sábio, que fala na língua que só Deus entende. O pappa orientou ainda mais. Ele disse que o sacerdote também deve ficar de costas para o povo. Com isto, ele só mostra aquilo que a igreja católica vem fazendo desde o ano 313 da era cristã: eles estão de costas para o povo. Não estão preocupados se você vai para o céu ou se não vai. Não pense que eles estão preocupados com o seu destino eterno. Eles estão de costas para a humanidade. Eles estão virados para Roma e para a Santa Sé. Eles não estão preocupados com o destino da sua alma. Não era essa a atitude de Pedro, nem de Paulo, nem de Silas, nem de Barnabé, nem de Tiago, nem de João e nem de todos os demais. A atitude sempre foi a de buscar as almas, de anunciar Jesus, de falar da salvação. A atitude sempre foi de buscar o pecador e mostrar a ele que realmente é um pecador. Quem está de frente para o pecador, fala a verdade. Quem está de costas manda rezar umas 300 Ave-Marias, subir de joelhos a escadaria, pagar missas...quem está de costas fala isso. Mas, quem está de frente para o pecador, olha para ele como Jesus olhava e diz com sinceridade: crê no Senhor Jesus Cristo e será salvo tu e a tua casa; entrega a sua vida para Jesus; arrependa-se dos seus pecados. Ainda que os seus pecados sejam vermelhos como escarlate, eles se tornarão brancos como a lã!

O pregador que anuncia a salvação olha para o pecador e diz: Quer entregar a vida a Jesus? Quer ser salvo ou quer continuar com a sua religião? Gostaria de poder dizer muitas coisas mas, a principal, eu disse. Não é igreja católica e também não é igreja evangélica. Nessa leitura que fizemos em Atos 11:26, quando os discípulos de Jesus foram pela primeira vez chamados de cristãos, isso, na minha opinião, foi pejorativo. Eles não disseram “cristãos” no sentido de elogiar, dizendo que é gente boa, gente especial. Eles chamavam de “cristão” para zombar; um jeito zombeteiro de se referir aos que acreditavam em Cristo. Era como dizer: “aquele macumbeiro”. Era mais ou menos assim, para diminuir a pessoa. Eu lamento muito que em Antioquia, pela primeira vez, os discípulos foram chamados de cristãos. Nós também não vamos ficar batendo no peito e dizendo que somos cristãos, ou crentes, ou de tal igreja. Nós vamos dizer que somos salvos, lavados e remidos no sangue de Jesus Cristo. Eu não sou crente, nem católico, nem evangélico, nem protestante. Eu sou salvo pela fé no nosso Senhor Jesus Cristo, o nosso Salvador, o Filho de Deus.

Não interessa você ser cristão. O que interessa é você ser salvo.

Só para não confundirem a gente, por exemplo, com budistas, nós vamos aceitar que nos chamem de cristãos. Mas isso não é mérito. O que não pode é você continuar dizendo que é católico, crente, evangélico, protestante, neo-pentecostal ou começar a falar do nome da sua igreja, da placa da sua igreja, como se fosse uma grande coisa. O testemunho que está sobre nós não é o de uma denominação religiosa. Mas a marca que está sobre nós é a marca do sangue poderoso de Jesus Cristo. Quando o Céu nos contempla, vê a cobertura do sangue do Cordeiro. O que está sobre nós é o sangue purificador de Jesus Cristo. Não porque merecemos ou somos bonzinhos; é porque nós só temos essa fé, só acreditamos nisso: Não há outro Salvador da humanidade, não há outro Redentor: Só Jesus Cristo salva. Religião ou igreja alguma salva. Só Jesus Cristo salva.

O pappa está defendendo que só os católicos irão para o céu. Isto é, depois de passarem não sei quantos milhões de anos no purgatório. Mas a fé que eu tenho em Jesus Cristo, garante que eu já estou salvo. E quando eu sair desta vida, Ele continuará comigo. Porque aqui nesta vida eu escolhi andar no jugo de Jesus Cristo.

Quando o Senhor fez o convite, eu aceitei. Ele falou assim: “Vinde a Mim todos vós que estais cansados e sobrecarregados e eu vos aliviarei. Tomais sobre vós o meu jugo e aprendei de Mim que sou manso e humilde de coração, e encontrarei descanso para as vossas almas porque o meu fardo é leve e o meu jugo é suave”.

Você sabe o que é jugo? O jugo é uma peça de madeira que o lavrador usa. Ela tem dois buracos. O lavrador coloca a cabeça de um boi num buraco e a cabeça de outro boi no outro buraco. Assim, os dois bois andam juntos, lado a lado. Quando Jesus disse, “Tomai sobre vós o meu jugo”, Ele está dizendo para você andar lado a lado com Ele. Quando eu ouvi Jesus falar isso, eu falei: Eu quero andar ao lado de Jesus. Nesta vida eu estou andando ao lado de Jesus e continuarei até o fim. E quando chegar o fim, eu sei que aparecerá o Vale da Sombra da Morte. Mas como eu andei lado a lado com Jesus nesta vida, Ele também andará lado a lado comigo na travessia do Vale da Sombra da Morte. E quando eu vir aquela luz no fim do túnel, eu vou entrar com Jesus Cristo no Paraíso de Deus. Quem anda com Jesus aqui nesta vida, tem o direito de andar com Jesus por toda a Eternidade.

Eu hoje tenho um convite glorioso para você; um convite para você vir e colocar a sua cabeça, o seu corpo, a sua alma, ao lado de Jesus Cristo e andar com Ele. Mas não é porque você andará com Jesus que a sua vida ficará amargurada, triste, solitária, vazia, sinistra. Não! Ele mesmo disse, “O meu fardo é leve. O meu jugo é suave”. Você andará num caminho suave com Jesus Cristo e não mais numa prisão de religião, seja esta ou qualquer outra; não mais na prisão de um dogma formulado pela fantasia e imaginação de seres humanos. Mas você andará lado a lado com o Único que morreu na cruz para salvar, o Único que ressuscitou dos mortos, o Único que subiu ao Céu, o Único que está preparando lugar para você morar e o Único que brevemente voltará. E todo o olho O verá.

Eu convido você a começar hoje uma caminhada suave, maravilhosa, leve, com o nosso Senhor Jesus. Se você aceitar agora, ao partir desta vida, ninguém precisará rezar uma missa para você; ninguém precisará acender uma vela por sua alma. Quando você morrer, ninguém precisará chorar no seu funeral, porque todos terão a certeza que você morreu salvo, lavado e remido pelo sangue de Jesus; todos saberão que você partiu desta vida com a certeza da salvação.

Como o pappa fez uma declaração pública dizendo que só a igreja católica é a certa, eu também tenho o direito de fazer a minha declaração. Eu gostaria de ter a mídia que ele tem, a repercussão que ele tem. Mas não importa. Você lendo, já basta. Jesus Cristo não dispensava uma única alma. Ele não abria mão de uma só pessoa. Jesus Cristo pregava para 5 mil, mas também pregava para a mulher samaritana à beira do poço de Jacó. O que interessa é a sua alma. E a sua alma é tão valiosa que, por causa dela, Jesus Cristo entregou a Sua própria vida. Ele entregou a vida e dá a vida aos que querem.

Então, você faz o seguinte: pega o seu vazio, as suas doenças, os seus traumas, os seus medos, as suas maldições, os seus sofrimentos, os seus tormentos, os seus pesadelos. Você vai trazer tudo o que há de ruim sobre a sua vida. Todos os seus fracassos, todas as suas neuroses, todos os seus conflitos e todos os seus temores, você vai trazer para Jesus. E Jesus retribuirá com vida, e vida de verdade. Ele dá vida, e vida em abundância. Ele fará uma troca com você: pegará tudo aquilo que não presta na sua vida e levará embora, inclusive os seus pecados. E Ele dará a você toda a sua santidade e purificará você de todo o pecado.

A alegria de entregar a vida para Jesus não é só para este momento. Na Paz e Vida nós nos reunimos só para aprender, louvar. Mas ao entregar a sua vida a Jesus, você terá a certeza que Jesus Cristo está com você. Daqui pra frente você terá a certeza de que todos os seus pecados foram perdoados, que o seu nome está escrito no Livro da Vida, que não passará por Purgatório algum, que não precisará gastar dinheiro para ser salvo, porque quem pagou o preço por você foi o nosso Senhor Jesus. Tenha esta alegria no seu coração.

Sabe por que eu faço este convite a você? Porque esse é o trabalho. Jesus disse: “Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura”. Eu estou de frente para você, não estou de costas. Eu faço um convite para você ter paz e vida de verdade. Você será liberto agora de todos os seus tormentos, de todo os sentimentos de culpa e remorsos que você possa guardar. Vou fazer um convite para você tomar posse da verdadeira Vida!

Você leu esta mensagem e sentiu Deus falar e não eu? Foi tocado pelo Espírito Santo? Compreendeu que não precisa merecer a salvação, mas que ela é de graça? Só basta arrependimento. Você quer receber Jesus como o único, suficiente, exclusivo e eterno salvador?

Eu digo de coração e com toda a sinceridade da minha alma: seria tão bom se o pappa amanhã acordasse e se apegasse só com o Evangelho. E declarasse a todos os católicos do mundo o que diz a Palavra de Deus. Que ele fizesse uma carta e mandasse divulgar em todas as igrejas católicas que só Jesus Cristo salva. Sinceramente, eu seria o maior amigo desse pappa. Mas aí, ele teria que mostrar que realmente seria verdadeira tal afirmação: ele teria que fechar os santuários de Aparecida, de Fátima, de Lourdes, de Guadalupe e todos os outros, e dedicá-los a Jesus Cristo, como único Salvador. Se fosse assim, eu até viraria padre. Porém ele, e todos os que estão com ele, não farão isso, porque estão de costas para a humanidade.

Entregue já a sua vida para Jesus. E seja salvo pela fé e pela graça!

Quanto a você que já conhece a Palavra, será que existe outro caminho? Será que a gente pode dizer para Jesus: “Senhor, eu vou dar uma desviada e quando o Senhor for voltar, por favor, me avise”? Não podemos. Eu fui criado no Evangelho. Até os 13 anos eu ia à igreja sozinho, sem ninguém mandar. Mas quando eu comecei a trabalhar na General Motors, aprendi as coisas do mundo. Na escola aprendi a fumar e com 14 anos já andava com um maço de Minister no bolso; dentro da empresa eu fumava que nem gente grande, queria mostrar que era homem. Fazia tudo o que me dava vontade; não roubei e nem matei ou coisas mais graves. Mas confesso que aprontei um bocado na vida. Mas quantas vezes eu estava aprontando e olhava o céu estrelado e me vinha um temor muito grande. Eu pensava: “Se Jesus voltar hoje, eu estou frito”. Aliás, ainda hoje eu olho para o céu e tenho medo. Ele mandou vigiar e orar porque nós não sabemos a que horas Ele voltará. E sabe o que mais me dá medo? É que Jesus profetizou, “Eu voltarei numa hora em que não pensais”. Ou seja, por mais que a gente vigie, estaremos distraídos e aquele momento nos pegará de surpresa.

Imagine se hoje um desviado está lendo esta mensagem, porque sente falta da presença de Deus...

Só falta você se lançar aos pés do Senhor e dizer: “Pai, eu pequei contra o céu, pequei contra Ti. Já não sou digno de ser chamado seu filho”. E seu Pai celestial te abraçará e te beijará. Ele dará uma festa por sua causa. Você que está sem igreja, está afastado, desviado ou dividido, você ouviu Deus falar com você? O seu coração ardeu de alegria? Quer ser renovado na sua fé? Quer ser reerguido? Quer voltar a sentir a alegria do primeiro amor? Então, venha para o Pai, em nome de Jesus. É com você que o Espírito Santo está falando. Você sentirá a alegria do Céu na sua vida. Ajoelhe-se agora, onde estiver, coloque a mão direita sobre o seu coração e ore assim:

“Meu Deus e meu Pai, eu li a Sua santa Palavra e creio que nenhuma religião é capaz de salvar. Mas somente o Seu Filho Jesus tem este poder e autoridade para perdoar pecados. Meu Deus da Glória, eu não estou na igreja para fazer parte de um clube fechado. Mas eu estou na igreja para fazer parte do Seu corpo, louvar o Seu nome, orar ao Senhor, glorificar e aprender a Sua vontade, a Sua Palavra. Meu Deus da Glória, eis-me aqui com arrependimento e com fé, suplicando ao Senhor que me salve pela graça, pelo poder do sacrifício do Seu Filho Jesus. Apaga, Senhor, as minhas iniqüidades. Apaga, Senhor, as minhas transgressões e me purifica agora com o sangue de Jesus. Lava a minha alma, o meu coração, o meu espírito, a minha mente... me purifica, Senhor, com o sangue do Cordeiro. Meu Deus, neste momento retire de mim tudo o que não te agrada, tudo o que atrapalha, e faz da minha vida uma bênção. Fortaleça-me, me dá do Teu Espírito e do Teu Poder. Me dá vida de verdade. Ajude-me, Senhor, a perseverar neste caminho até o fim. Não me deixe desviar nem para a direita, nem para a esquerda. Não me deixe cair, nem tropeçar. Sustenta-me, Senhor, com a sua mão e me governa. Eu quero andar ao seu lado até o dia da minha partida. Eu quero entrar na Glória com o Senhor, lado a lado, com o Senhor. Meu Deus querido, confirma o meu nome no Livro da Vida do Cordeiro, por Jesus Cristo, o meu Único, Suficiente, Exclusivo e Eterno Salvador, para todo o sempre, amém.

Pastor Juanribe Pagliarin

bannerMemorial

Sexta-feira, dia 29/08, às 19h - Cura Divina e Libertação (SEDE SANTO ANDRÉ) Rua Coronel Alfredo Flaquer, 516 - Centro - Santo André - SP

Qual destas três Mensagens abaixo você gostaria de ouvir na próxima segunda-feira, 25/08/2014?