Pr. Gilvan Gomes

Pr. Gilvan Gomes

Sede Estadual - SE [email protected]

Pr. Crescio Rezende

Pr. Crescio Rezende

Sede Estadual - RN [email protected]

Pr. Wesley Santos

Pr. Wesley Santos

Sede Estadual – PR [email protected]

Pr. Márcio Silva

Pr. Márcio Silva

Sede Estadual - PI [email protected]

Pr. Delson Campos

Pr. Delson Campos

Sede Estadual – PE [email protected]

Pr. Neilton Rocha

Pr. Neilton Rocha

Sede Internacional – SP   [email protected]  

Pr. Danyel Pagliarin

Pr. Danyel Pagliarin

Sede Estadual – RJ [email protected]

Pr. Raphael Batista

Pr. Raphael Batista

Sede Estadual – RS [email protected]

Pr. Carlos Pinheiro

Pr. Carlos Pinheiro

Sede Estadual – AL [email protected]

Pr. Leonardo Pinheiro

Pr. Leonardo Pinheiro

Sede Estadual – MA [email protected]

Pr. William Alves

Pr. William Alves

Sede Estadual – [email protected]

Pr. Dionatan Freitas

Pr. Dionatan Freitas

Sede Estadual - GO [email protected]

Pr. Luciano Alves

Pr. Luciano Alves

Sede Estadual – AM [email protected]

Pr. Joaquim Neto

Pr. Joaquim Neto

Sede Estadual – MG [email protected]

Pr. Fábio Henrique

Pr. Fábio Henrique

Sede Nacional em Portugal [email protected]

Pr. Reinaldo Rosário

Pr. Reinaldo Rosário

Sede Estadual – CE [email protected]

Pr. Regino Barros

Pr. Regino Barros

Sede Estadual – BA   [email protected]

Pr. Emerson Stevanelli

Pr. Emerson Stevanelli

Sede Estadual – PB [email protected] [email protected]

Pr. Sandro Pinheiro

Pr. Sandro Pinheiro

Sede Distrital – DF   [email protected]

Mercado revê para baixo estimativa de PIB para este ano

Com as incertezas políticas no país, o mercado revisou a expectativa do desempenho da economia. De acordo com os economistas ouvidos pelo Banco Central (BC), o país deverá crescer 1,4% em 2018. As estimativas eram de 1,44% há uma semana.

As informações constam no Relatório Focus, divulgado pelo BC nesta segunda-feira (10). É o resultado é de levantamento feito na semana passada com mais de 100 instituições financeiras.

Os economistas mantiveram a expectativa de crescimento de 2,5% para o PIB em 2019, 2020 e 2021.

Já a inflação medida pelo IPCA (Índice de preços ao consumidor amplo) deverá ficar em 4,05% este ano, uma estimava melhor do que os 4,16% que a pesquisa trazia no relatório da semana passada. Com isso, a expectativa do mercado segue abaixo da meta de inflação, que é de 4,5% em 2018.

Para o ano que vem, o Focus aponta que o IPCA deverá ficar em 4,11%, mesmo índice apontado pelos economistas no levantamento anterior. Já para 2020 a expectativa é que a inflação alcance 4% e em 2021, 3,87% — para esta previsão, ocorreu uma revisão para baixo no comparativo com a pesquisa anterior, que era de 3,92%.

Já o dólar deverá fechar o ano em 3,80 reais, mesma estimativa do levantamento anterior e bem inferior ao que fechamento do mercado na quinta-feira (6), com a moeda americana sendo negociada a 4,10 reais.

Para 2020, o relatório Focus mostra que a expectativa é de que o dólar seja negociado a 3,70 reais, o mesmo patamar da pesquisa anterior. Já para 2021, os economistas estimam uma cotação a 3,76 reais, maior que o previsto no levantamento da semana passada, que era de 3,75 reais.

Os economistas avaliam que a taxa Selic deverá ficar em 6,5% ao ano, a mesma estimativa da pesquisa da semana passada. Para 2019, 2020 e 2021, a expectativa do mercado para os juros continuou em 8% ao ano.

Fonte: VEJA

bannerMemorial

Aguarde Novas Atualizações