Pr. Wesley Santos

Pr. Wesley Santos

Sede Estadual – PR [email protected]

Pr. Neilton Rocha

Pr. Neilton Rocha

Sede Internacional – SP   [email protected]  

Pr. Danyel Pagliarin

Pr. Danyel Pagliarin

Sede Estadual – RJ [email protected]

Pr. Luciano Alves

Pr. Luciano Alves

Sede Estadual – AM [email protected]

Pr. William Alves

Pr. William Alves

Sede Estadual – [email protected]

Pr. Emerson Stevanelli

Pr. Emerson Stevanelli

Sede Estadual – PB [email protected] [email protected]

Pr. Regino Barros

Pr. Regino Barros

Sede Estadual – BA   [email protected]

Pr. Crescio Rezende

Pr. Crescio Rezende

Sede Estadual - RN [email protected]

Pr. Delson Campos

Pr. Delson Campos

Sede Estadual – PE [email protected]

Pr. Dionatan Freitas

Pr. Dionatan Freitas

Sede Estadual - GO [email protected]

Pr. Joaquim Neto

Pr. Joaquim Neto

Sede Estadual – MG [email protected]

Pr. Reinaldo Rosário

Pr. Reinaldo Rosário

Sede Estadual – CE [email protected]

Pr. Raphael Batista

Pr. Raphael Batista

Sede Estadual – RS [email protected]

Pr. Gilvan Gomes

Pr. Gilvan Gomes

Sede Estadual - SE [email protected]

Pr. Carlos Pinheiro

Pr. Carlos Pinheiro

Sede Estadual – AL [email protected]

Pr. Márcio Silva

Pr. Márcio Silva

Sede Estadual - PI [email protected]

Pr. Leonardo Pinheiro

Pr. Leonardo Pinheiro

Sede Estadual – MA [email protected]

Pr. Sandro Pinheiro

Pr. Sandro Pinheiro

Sede Distrital – DF   [email protected]

Pr. Fábio Henrique

Pr. Fábio Henrique

Sede Nacional em Portugal [email protected]

Focus: economistas mantêm em 1,5% previsão de alta do PIB em 2018

O mercado manteve a projeção de que o cenário de inflação baixa vem junto com o de economia com menos força em 2018. Segundo o boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira (6), as projeções de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) deste ano continuaram em 1,50% depois de terem chegado a 3% alguns meses atrás. Para 2019, a estimativa é de expansão de 2,50%, também inalterada.

A pesquisa também não alterou sua projeção para  Selic (taxa básica de juros). Para os economistas, a taxa básica de juros será mantida na mínima histórica de 6,50% até o final deste ano, subindo a 8% em 2019.

O BC manteve a Selic em 6,50% ao ano na semana passada, ressaltando que a retomada da atividade econômica será ainda mais gradual do que a esperada antes da greve dos caminhoneiros, num cenário de menor pressão inflacionária que cria caminho para os juros continuarem em seu menor nível histórico à frente.

Sobre a paralisação dos caminhoneiros, ocorrida no final de maio, o BC assinalou que os efeitos que elevaram a inflação de junho “devem ser temporários”.

O Focus mostrou ainda que o mercado manteve sua estimativa de alta do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo)em 4,11% e 4,10% em 2018 e 2019, respectivamente, ambas abaixo do centro da meta, de 4,25%.

Em relação a 2020, as contas também continuaram em 4% mas, para 2021, houve uma diminuição das projeções a 3,93% , ante 4% na semana anterior.

Para 2020 e 2021, a meta de inflação do governo é de 4,0% e 3,75% pelo IPCA. Em todas elas, a margem de tolerância é de 1,5 ponto percentual. O cenário de inflação baixa vem junto com o de economia com menos força.

Fonte: VEJA

bannerMemorial

Quarta, dia 24/10, às 19h Parakletos                       SEDE RIO DE JANEIRO     Av. Vicente de Carvalho, 1121 - Vila da Penha - Rio de Janeiro - RJ