Pr. Joaquim Neto

Pr. Joaquim Neto

Sede Estadual – MG [email protected]

Pr. Danyel Pagliarin

Pr. Danyel Pagliarin

Sede Estadual – RJ [email protected]

Pr. Gilvan Gomes

Pr. Gilvan Gomes

Sede Estadual - SE [email protected]

Pr. Neilton Rocha

Pr. Neilton Rocha

Sede Internacional – SP   [email protected]  

Pr. Emerson Stevanelli

Pr. Emerson Stevanelli

Sede Estadual – PB [email protected] [email protected]

Pr. William Alves

Pr. William Alves

Sede Estadual – [email protected]

Pr. Wesley Santos

Pr. Wesley Santos

Sede Estadual – PR [email protected]

Pr. Raphael Batista

Pr. Raphael Batista

Sede Estadual – RS [email protected]

Pr. Regino Barros

Pr. Regino Barros

Sede Estadual – BA   [email protected]

Pr. Dionatan Freitas

Pr. Dionatan Freitas

Sede Estadual - GO [email protected]

Pr. Leonardo Pinheiro

Pr. Leonardo Pinheiro

Sede Estadual – MA [email protected]

Pr. Delson Campos

Pr. Delson Campos

Sede Estadual – PE [email protected]

Pr. Márcio Silva

Pr. Márcio Silva

Sede Estadual - PI [email protected]

Pr. Reinaldo Rosário

Pr. Reinaldo Rosário

Sede Estadual – CE [email protected]

Pr. Carlos Pinheiro

Pr. Carlos Pinheiro

Sede Estadual – AL [email protected]

Pr. Fábio Henrique

Pr. Fábio Henrique

Sede Nacional em Portugal [email protected]

Pr. Crescio Rezende

Pr. Crescio Rezende

Sede Estadual - RN [email protected]

Pr. Sandro Pinheiro

Pr. Sandro Pinheiro

Sede Distrital – DF   [email protected]

Pr. Luciano Alves

Pr. Luciano Alves

Sede Estadual – AM [email protected]

Barroso ameaça barrar propaganda se PT insistir em mostrar Lula candidato

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Luís Roberto Barroso determinou neste domingo, 9, que a coligação do PT à Presidência da República deixe de apresentar ou apoiar o nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como candidato em suas propagandas eleitorais. Caso haja novo descumprimento da decisão do TSE de que Lula não pode aparecer como presidenciável no horário eleitoral no rádio e na TV aberta, Barroso decidiu que a propaganda da coligação petista deve ser suspensa.

O plenário do TSE negou no último dia 31, por 6 votos 1, o registro da candidatura do petista ao Palácio do Planalto e determinou que ele fosse substituído até o dia 11 de setembro, próxima terça-feira. Na sessão, contudo, os ministros concordaram em manter a coligação do PT no horário eleitoral, com a condição de que Lula não poderia ser apresentado ou apoiado como candidato.

Desde então, o partido tem veiculado propagandas protagonizadas pelo candidato a vice-presidente, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, que deve substituir Lula como cabeça de chapa ao final do prazo estipulado pela corte eleitoral. Nas peças, o ex-presidente tem aparecido como “apoiador” – “Lula apoia Haddad vice”, diz a legenda que o apresenta. Para Barroso, contudo, a coligação tem descumprido a decisão do TSE.

“As sucessivas veiculações de propaganda eleitoral em desconformidade com o decidido revelam que a atuação da Coligação se distanciou dos compromissos por ela assumidos, a exigir uma atuação em caráter mais abrangente”, afirma o ministro na decisão deste domingo.

Ao concluir a decisão, Luís Roberto Barroso autoriza os juízes auxiliares responsáveis pelo horário eleitoral a determinarem a suspensão da propaganda petista em caso de novo descumprimento.

“Determino à Coligação “O Povo Feliz de Novo” e a Luiz Inácio Lula da Silva que se abstenham, em qualquer meio ou peça de propaganda eleitoral, de (i) apresentar Luiz Inácio Lula da Silva como candidato ao cargo de Presidente da República e (ii) apoiá-lo na condição de candidato, sob pena de, em caso de novo descumprimento, ser suspensa a propaganda eleitoral da coligação, no rádio e na televisão. A implementação desta decisão, em caso de novo descumprimento, poderá ser efetivada diretamente pelos juízes auxiliares”, decidiu.

Leia aqui o despacho de Barroso.

Fonte: VEJA

bannerMemorial

Aguarde Novas Atualizações