Pr. Joaquim Neto

Pr. Joaquim Neto

Sede Estadual – MG [email protected]

Pr. Márcio Silva

Pr. Márcio Silva

Sede Estadual - PI [email protected]

Pr. Regino Barros

Pr. Regino Barros

Sede Estadual – BA   [email protected]

Pr. Dionatan Freitas

Pr. Dionatan Freitas

Sede Estadual - GO [email protected]

Pr. Luciano Alves

Pr. Luciano Alves

Sede Estadual – AM [email protected]

Pr. Neilton Rocha

Pr. Neilton Rocha

Sede Internacional – SP   [email protected]  

Pr. Wesley Santos

Pr. Wesley Santos

Sede Estadual – PR [email protected]

Pr. Gilvan Gomes

Pr. Gilvan Gomes

Sede Estadual - SE [email protected]

Pr. Danyel Pagliarin

Pr. Danyel Pagliarin

Sede Estadual – RJ [email protected]

Pr. Reinaldo Rosário

Pr. Reinaldo Rosário

Sede Estadual – CE [email protected]

Pr. Emerson Stevanelli

Pr. Emerson Stevanelli

Sede Estadual – PB [email protected] [email protected]

Pr. Crescio Rezende

Pr. Crescio Rezende

Sede Estadual - RN [email protected]

Pr. Delson Campos

Pr. Delson Campos

Sede Estadual – PE [email protected]

Pr. Sandro Pinheiro

Pr. Sandro Pinheiro

Sede Distrital – DF   [email protected]

Pr. Fábio Henrique

Pr. Fábio Henrique

Sede Nacional em Portugal [email protected]

Pr. Raphael Batista

Pr. Raphael Batista

Sede Estadual – RS [email protected]

Pr. Leonardo Pinheiro

Pr. Leonardo Pinheiro

Sede Estadual – MA [email protected]

Pr. Carlos Pinheiro

Pr. Carlos Pinheiro

Sede Estadual – AL [email protected]

Quais carreiras vão estar em alta em 2018

A retomada econômica, uma grande aposta para 2018, deve ser determinante na criação de novos empregos. Porém quais carreiras vão estar em alta, com mais oportunidades e maior valorização?

Uma das crenças é que, diante do cenário de rescaldo da crise, o foco das organizações está na redução dos desperdícios e  ausência de planejamento. “Por isso, há espaço para os diversos tipos de consultoria: em estratégias, finanças, operações, negócios, logística, pessoas”, diz Anna Cherubina Scofano, consultora e assessora em gestão estratégica de pessoas e professora da FGV (Fundação Getúlio Vargas).

Fernando Mantovani, diretor-geral da empresa de recrutamento e seleção Robert Half, diz que além de pensar nas carreiras promissoras, vale olhar os setores que estão com demanda reprimida e já dão amostras de recuperação, como a indústria automotiva e a de óleo e gás. “Há sinalização clara de projetos saindo da gaveta”, comenta ele.

Além disso, existem as áreas em franca ascensão, como marketing digital, compliance (dentro da área jurídica) e BI (business intelligence, interligada à tecnologia). Scofano afirma que o leque é amplo: “A demanda do mercado de trabalho por novas competências e conhecimentos não significa que outras áreas perderam destaque, afinal, elas fazem parte da sustentabilidade de toda e qualquer organização”, opina.

Seguem as apostas dos dois especialistas nas carreiras que vão estar em alta em 2018.

Analista de BI (business intelligence): coleta dados e informações que possam identificar oportunidades de mercado ou possíveis problemas e analisa a concorrência.

Analista de cibersecurity: opera como sentinela dos sistemas informatizados, utilizando habilidades técnicas para protegê-los dos ataques.

Analista de compliance: valida todas as operações da companhia conforme as leis e regulamentos internos e externos.

Analista de marketing digital: reforça a imagem dos produtos e da marca, com o objetivo de melhorar o posicionamento e estreitar relações.

Atuário: profissional qualificado em estatística e matemática que oferece as recomendações de risco para empresas, ajudando  no planejamento e tomada de decisões.

Biotecnólogo: trabalha com várias frentes, que vão desde o desenvolvimento de novos produtos, ao controle de pragas e à fabricação de medicamentos.

Cientista de alimentos: conduz pesquisas e desenvolvimento de novos produtos seguros e palatáveis para o consumo.

Cientista de dados ou curador de dados: foca no tratamento das informações do negócio da empresa para aplicá-las na inteligência artificial, cada vez mais usada em programação de máquinas.

Desenvolvedor de jogos eletrônicos: planeja, desenvolve as etapas e constrói o jogo, assim como o design.

Designer: a criatividade das artes visuais aplicada nas áreas de produtos, gráficos, joias, interiores e têxtil.

Engenheiro ambiental: utiliza seus conhecimentos de química, biologia e engenharia para resolver problemas ambientais.

Engenheiro de energia: pesquisa e desenvolve métodos de geração de energia a partir de diferentes fontes.

Engenheiro de redes: especializado em sistemas de redes produzidos por mais de um fabricante.

Engenheiro de software: responsável pelo planejamento, análise, desenvolvimento e testagem dos dispositivos, sejam jogos, aplicativos ou outros sistemas.

Engenheiro de telecomunicações: responsável pelo intercâmbio de dados e pela comunicação por meio das diversas tecnologias, tais como fibra ótica e banda larga.

Gestor de logística e supply chain: abrange desde a fabricação até a distribuição do produto, garantindo a otimização de todo o processo.

Gestor de projetos de resíduos: coordena projetos de tratamento de resíduos, de água, esgoto, lixo e reciclagem.

Gestor de redes: responde pela segurança das redes em nível mundial, sua sincronização e atualização tecnológica.

Fonte: VEJA


bannerMemorial

Aguarde Novas Atualizações

 

   

 



 

Qual destas três Mensagens abaixo você gostaria de ouvir na segunda-feira 30/07/2018?