Pr. Crescio Rezende

Pr. Crescio Rezende

Sede Estadual - RN [email protected]

Pr. Fábio Henrique

Pr. Fábio Henrique

Sede Nacional em Portugal [email protected]

Pr. Reinaldo Rosário

Pr. Reinaldo Rosário

Sede Estadual – CE [email protected]

Pr. Gilvan Gomes

Pr. Gilvan Gomes

Sede Estadual - SE [email protected]

Pr. Emerson Stevanelli

Pr. Emerson Stevanelli

Sede Estadual – PB [email protected] [email protected]

Pr. Wesley Santos

Pr. Wesley Santos

Sede Estadual – PR [email protected]

Pr. Regino Barros

Pr. Regino Barros

Sede Estadual – BA   [email protected]

Pr. Delson Campos

Pr. Delson Campos

Sede Estadual – PE [email protected]

Pr. Neilton Rocha

Pr. Neilton Rocha

Sede Internacional – SP   [email protected]  

Pr. William Alves

Pr. William Alves

Sede Estadual – [email protected]

Pr. Danyel Pagliarin

Pr. Danyel Pagliarin

Sede Estadual – RJ [email protected]

Pr. Raphael Batista

Pr. Raphael Batista

Sede Estadual – RS [email protected]

Pr. Márcio Silva

Pr. Márcio Silva

Sede Estadual - PI [email protected]

Pr. Sandro Pinheiro

Pr. Sandro Pinheiro

Sede Distrital – DF   [email protected]

Pr. Luciano Alves

Pr. Luciano Alves

Sede Estadual – AM [email protected]

Pr. Dionatan Freitas

Pr. Dionatan Freitas

Sede Estadual - GO [email protected]

Pr. Leonardo Pinheiro

Pr. Leonardo Pinheiro

Sede Estadual – MA [email protected]

Pr. Joaquim Neto

Pr. Joaquim Neto

Sede Estadual – MG [email protected]

Pr. Carlos Pinheiro

Pr. Carlos Pinheiro

Sede Estadual – AL [email protected]

Petrobras tem maior lucro semestral desde 2011

Petrobras registrou lucro de 17,033 bilhões de reais no 1º semestre, uma alta de 257% em relação ao mesmo período do ano passado. Este foi o melhor resultado semestral da companhia desde 2011, segundo balanço divulgado nesta sexta-feira (3).

Segundo boletim da empresa, o crescimento refletiu a melhora do mercado de diesel gasolina, devido principalmente à redução de importação por terceiros.

“Este resultado foi possível devido às maiores margens de exportação de óleo, principalmente por conta do aumento no Brent, e devenda de derivados no Brasil, que mais que compensaram a queda no volume de vendas de derivados (principalmente gasolina e nafta) e na exportação de petróleo”, informou a empresa, no boletim.

No segundo trimestre, houve lucro líquido de 10 bilhões de reais, ante 6.961 milhões de reais registrados no período imediatamente anterior.

O balanço da petroleira também apontou redução de 70% nas despesas financeiras líquidas entre os trimestres, que passaram de 8,8 bilhões de reais nos três primeiros meses do ano para 2,6 bilhões de abril a junho. Com isso, o lucro antes da incidência de impostos dobrou para 14,3 bilhões de reais.

O Ebitda (que representa o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) no critério ajustado somou 30,067 bilhões de reais, um aumento de 17% sobre o primeiro trimestre, “devido às maiores margens de vendas”, como destaca o relatório. Em relação ao segundo trimestre do ano passado o aumento foi de 57,4%. A margem Ebitda ajustada foi de 36%, acima dos 35% três meses antes e dos 29% um ano atrás.

A receita de vendas foi de 84,395 bilhões de reais, alta de 25,9% ante o segundo trimestre de 2017 e de 13% na comparação com o primeiro trimestre deste ano. A receita ficou dentro da média de 82,196 bilhões de reais esperada pelos analistas.

Vendas

A Petrobras vendeu um total de 1,876 milhão de barris por dia de derivados no segundo trimestre deste ano, ante 1,933 milhão de barris no mesmo intervalo de 2017 e 1,768 milhão no primeiro trimestre de 2018.

As vendas totais no mercado externo, englobando exportação de petróleo, derivados e outros, por sua vez, somou 806 mil barris por dia, ante 896 mil barris por dia na relação anual e 957 mil de barris por dia no primeiro trimestre deste ano. Desta forma, houve uma queda de 16% nas vendas para o mercado externo, na comparação trimestral.

Produção

A Petrobras produziu um total de 2,659 milhões de barris por dia de petróleo, líquido de gás natural (LGN) e gás natural no Brasil e no exterior no segundo trimestre deste ano, o que representa recuo de cerca de 4,21% em relação a igual intervalo do ano anterior. Na comparação aos três meses imediatamente anteriores, esse número teve ligeira queda de 1%.

A produção de petróleo e LGN totalizou 2,122 milhões de barris por dia, uma queda de 4,63% ante igual intervalo de 2017 e de 1% em relação ao primeiro trimestre. A produção de gás natural, por sua vez, chegou a 537 mil barris por dia, com leve diminuição de 2,54% na relação anual e avanço de 1% em relação aos primeiros três meses de 2018.

(Com Estadão Conteúdo)

Fonte: VEJA

 


bannerMemorial

Aguarde Novas Atualizações