Pr. Fábio Henrique

Pr. Fábio Henrique

Sede Nacional em Portugal [email protected]

Pr. Emerson Stevanelli

Pr. Emerson Stevanelli

Sede Estadual – PB [email protected] [email protected]

Pr. Neilton Rocha

Pr. Neilton Rocha

Sede Internacional – SP   [email protected]  

Pr. Carlos Pinheiro

Pr. Carlos Pinheiro

Sede Estadual – AL [email protected]

Pr. Alex Oliveira

Pr. Alex Oliveira

Sede Estadual – PA [email protected]

Pr. Joaquim Neto

Pr. Joaquim Neto

Sede Estadual – MG [email protected]

Pr. Leonardo Pinheiro

Pr. Leonardo Pinheiro

Sede Estadual – MA [email protected]

Pr. Márcio Silva

Pr. Márcio Silva

Sede Estadual - PI [email protected]

Pr. Wesley Santos

Pr. Wesley Santos

Sede Estadual – PR [email protected]

Pr. Sandro Pinheiro

Pr. Sandro Pinheiro

Sede Distrital – DF   [email protected]

Pr. Regino Barros

Pr. Regino Barros

Sede Estadual – BA   [email protected]

Pr. Raphael Batista

Pr. Raphael Batista

Sede Estadual – RS [email protected]

Pr. Delson Campos

Pr. Delson Campos

Sede Estadual – PE [email protected]

Pr. Reinaldo Rosário

Pr. Reinaldo Rosário

Sede Estadual – CE [email protected]

Pr. Dionatan Freitas

Pr. Dionatan Freitas

Sede Estadual - GO [email protected]

Pr. Danyel Pagliarin

Pr. Danyel Pagliarin

Sede Estadual – RJ [email protected]

Pr. Crescio Rezende

Pr. Crescio Rezende

Sede Estadual - RN [email protected]

Pr. Gilvan Gomes

Pr. Gilvan Gomes

Sede Estadual - SE [email protected]

Pr. Luciano Alves

Pr. Luciano Alves

Sede Estadual – AM [email protected]

5. OUTROS SERES ESPIRITUAIS PODEROSOS

5OUTROS SERES ESPIRITUAIS PODEROSOS

Cremos na existência de seres espirituais superiores à raça humana, porque tanto a Palavra como o próprio Senhor Jesus aqui na Terra atestou sobre suas existências.

Cremos que os anjos são espíritos e foram criados por Deus antes da criação do ser humano (Sl 8:4-5, 104:4, Cl 1:16), o que afasta a crença atual de que são espíritos de falecidos. Os números destes seres são incontáveis (Gn 28:12, 32:1-2, Hb 12:22, Ap 5:11) sendo, todos eles, assexuados (Mt 22:30, Mc 12:25).

Cremos que Deus os criou com bons propósitos e, tal como nós, os espíritos são donos de vontades e personalidades próprias. Assim como existem homens bons e maus, também existem espíritos que preferiram ser bons e outros que preferiram ser maus. Aos bons, Jesus chama de “anjos de Deus” (Jo 1:51), e, aos maus, de “espíritos imundos”, “demônios”, “diabo” e “Satanás” (Mt 4:10-11, 13:39-42, 13:49, 16:27, 18:10, 24:31, 24:36, 25:31, 25:41, 26:53, Mc 8:38, Lc 11:24-26). Os bons não têm auréolas, e os maus não têm chifres e nem rabos. Tanto os bons como os maus, em poder e conhecimento, são inferiores a Deus e superiores aos homens (Sl 8:4-5), o que vale dizer que não existem espíritos que precisam da ajuda humana para obterem luz ou evoluírem. Os anjos louvam a Deus e o Filho (Sl 103:19-20, 148:2, Hb 1:6) e não admitem que os homens lhe prestem culto (Cl 2:8, Ap 22:8-9), ao contrário dos espíritos imundos que se fazem adorar em rituais de magia negra, através de oferendas.

Cremos que o salvo jamais deve orar aos “anjos de Deus”, nem acender-lhes velas ou fazer-lhes votos e promessas, porque só a Deus cabe dar-lhes ordem “a nosso respeito” (Sl 91:11). Este cuidado é necessário, porque Satanás “se transfigura em anjo de luz” para enganar os símplices (II Co 11:14).

Por isso que também, desde o Antigo Testamento, Deus proibiu o Seu povo de consultar espíritos adivinhantes ou de mortos “pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao SENHOR; e por estas abominações o SENHOR, teu Deus, as lança fora de diante de ti. Perfeito serás como o SENHOR, teu Deus. Porque estas gentes ouvem os prognosticadores e os adivinhadores; porém a ti o SENHOR, teu Deus, não permitiu tal coisa” (Dt 18:10-14).

Os anjos vão adiante dos salvos para os guiar, proteger e libertar (Gn 24:7, Êx 14:19; 23:20-23, II Cr 32:21-22, Dn 3:28, 6:22, At 5:19, 11:7-11), e, muitas vezes, comunicam aos homens, da parte de Deus, ordens, promessas, avisos e repreensões (Gn 16:9-12, 19:11-18, 22, Nm 22, Jz 2:1-5, 6:11-24, II Sm 24:16-17, I Cr 21:15-30, I Rs 19:5-7, Mt 2:13, 28:2,5, At 8:20, 10:3-6, 11:13-14, 27:23-24). São eles que conduzem os salvos ao bem-estar do além-túmulo (Lc 16:22).

Os anjos anunciaram a concepção de Sansão (Jz 13) de João Batista (Lc 1:11-20) e de Jesus (Lc 1:26-38), bem como o seu nascimento (Lc 2:9-15), e tiveram, inclusive, o privilégio de auxiliar “o Filho do Homem” quando Ele estava aqui na Terra (Mt 4:11, 26:53, Mc 1:13, Lc 4:10, Hb 1:14).

A um destes anjos de Deus coube o privilégio de confortar o Senhor Jesus no Getsêmane, antes da Sua prisão, tortura e morte na cruz (Lc 22:43). Os anjos também estiveram presentes na ressurreição do SENHOR e foram os primeiros a anunciar no cemitério: “Por que buscais o vivente entre os mortos? Ele não está aqui, mas ressuscitou” (Lc 24:5-6, Mt 28:2-7, Mc 16:5-6, Jo 20:12).

Futuramente, os anjos virão tocando a trombeta na volta de Jesus (Mt 16:27, 24:31, 25:31, Lc 9:26, II Ts 1:7) e reunirão os escolhidos (Mc 13:27), através do arrebatamento (Lc 17:34-36), e também estão incumbidos de lançar os ímpios na fornalha de fogo (Mt 13:41-43, 49-50, 25:41).

Satanás, o diabo, é o líder dos anjos caídos (Ez 28:13-17). O nome “Satanás” vem do hebraico e significa “adversário”. Em latim é Satan e significa a mesma coisa. É adversário de Deus e dos seres humanos, criados à imagem e semelhança do Senhor (Ap 12:10). Seu ódio maior é contra os salvos e vive acusando e perseguindo os que servem a Deus (Jó 1:9, Zc 3:1), atrapalhando-os com impedimentos (I Ts 2:18). Satanás tem poder para operar através dos filhos da desobediência (Jo 8:44-47, 13:27, Ef 2:2), colocando-os sob seu controle (Lc 4:6, Jo 12:31, 14:30, I Jo 5:19). Os descrentes e desviados estão sujeitos ao seu comando (At 5:1-11, 26:18, I Tm 5:15), e se o salvo não vigiar, também pode ser usado pelo Inimigo (Mt 16:23).

Satanás, o rei das trevas, tem poder para cegar os entendimentos (II Co 4:4, II Ts 2:9-12), e até seus “apóstolos” são enganados e transformados em enganadores (II Co 11:13-14, Ap 2:9, 3:9). É infiel com os que o servem, e tem poder de morte sobre seus súditos (Jo 10:10, Hb 2:14). Satanás é mentiroso e assassino por essência, chamado por Jesus Cristo de “o pai da mentira” (Jo 8:44).

A palavra “diabo” vem do grego “diabolôs” e significa “acusador, difamador, enganador”, e sua missão é manchar, difamar, envergonhar, derrotar e peneirar os discípulos e servos do Senhor (Jó 1:6-22, Gl 6:1, Ap 12:10).

Satanás também é chamado de “Tentador” e seu objetivo é seduzir, ludibriar e derrubar o salvo (Mt 4:3, Lc 22:31, I Ts 3:5, I Pe 5:8).

O diabo usa o pecado e os vícios para acorrentar as pessoas, e somente Jesus liberta o ser humano da escravidão de Satanás (Jo 8:36, Cl 1:13, I Jo 3:8, Ap 2:10). Porém, mesmo o salvo não está livre dos ataques inflamados e das tentações do Inimigo, que busca incessantemente seguidores para desmoralizá-los com maledicência (I Tm 5:14-15, Mt 6:13, Mc 14:38, Lc 8:13, 22:31-32, At 5:3, I Co 7:5, 10:13, Ef 6:16, Hb 2:18, Tg 1:12, 2 Pe 2:9, Ap 3:10). Satanás teve a audácia de tentar o próprio Cristo, e escrito está que “acabando o diabo toda a tentação, ausentou-se dele por algum tempo” (Lc 4:1-13). O Inimigo nunca desiste e sempre volta com mais espíritos maus (Lc 11:26). Satanás conhece profundamente as Escrituras e é especialista em distorcer a Palavra de Deus para levar os salvos à queda (Gn 3:1-8, Mt 4:6). O diabo enlaça com sutilidade e consegue se infiltrar até mesmo entre os salvos (Jo 6:70), para que caiam em sua mesma condenação, prisão e morte espiritual (I Tm 3:6-7, II Tm 2:26, Ap 20:3-15).

Os demônios, por mais que tentem, não podem separar os verdadeiros salvos “do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Rm 8:38-39, I Pe 5:8-9) e a ordem do Senhor para cada um de nós é vigiar para não entrar em “tentação” (Mt 26:41, Mc 14:38, Lc 21:36), sujeitar-se a Deus, resistir ao diabo “e ele fugirá de vós” (Tg 4:7).

Satanás e seus anjos caídos desfecharam o mais violento ataque contra Cristo na noite em que Ele foi traído, ocasião chamada por Jesus de “a hora e o poder das trevas” (Lc 22:53), e mesmo tendo o Inimigo despejado todo o seu arsenal de calúnias, mentiras, difamações, agressões físicas e provocações morais, sucumbiram diante da Santidade e Inocência do Senhor e Seu sacrifício perfeito (Lc 10:18, Jo 12:31-33, I Pe 5:8-10). E muito breve, esta monumental vitória na Cruz (Cl 2:15, I Jo 3:8) será confirmada no esmagamento de Satanás (Rm 16:20). Serão derrotados pelo Arcanjo Miguel e seus anjos (Ap 12:7-9), e essa vitória é “pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho” (Ap 12:11-12), os próprios salvos os julgarão (I Co 6:3), sendo primeiramente lançados no Abismo (Ap 20:2-3) e depois no lago de fogo (Mt 25:41, II Pe 2:4, Jd 6, Ap 20:10-11).

bannerMemorial

Sexta, dia 22/06, às 19h Cura Divina e Libertação     SEDE RIO DE JANEIRO     Av. Vicente de Carvalho, 1121 - Vila da Penha - Rio de Janeiro - RJ

 

   

 



 

Qual destas três Mensagens abaixo você gostaria de ouvir na segunda-feira 25/06/2018?