Pr. Dionatan Freitas

Pr. Dionatan Freitas

Sede Estadual - GO [email protected]

Pr. Regino Barros

Pr. Regino Barros

Sede Estadual – PB [email protected]

Pr. Márcio Silva

Pr. Márcio Silva

Sede Distrital – DF   [email protected]

Pr. Luciano Alves

Pr. Luciano Alves

Sede Estadual – AM [email protected]

Pr. Sandro Pinheiro

Pr. Sandro Pinheiro

Sede Estadual - PI [email protected]

Pr. Márcio Candido

Pr. Márcio Candido

Sede Estadual – PE [email protected]

Pr. Carlos Pinheiro

Pr. Carlos Pinheiro

Sede Estadual – MA [email protected]

Pr. Weslley Santos

Pr. Weslley Santos

Sede Estadual – AL [email protected]

Pr. David Scarinci

Pr. David Scarinci

Sede Estadual – PA   [email protected]

Pr. Danyel Pagliarin

Pr. Danyel Pagliarin

Sede Estadual – PR [email protected]

Pr. Jean Vilela

Pr. Jean Vilela

Sede Estadual – MG [email protected]

Pr. Wadson Medeiros

Pr. Wadson Medeiros

Sede Estadual – RS [email protected]

Pr. Neilton Rocha

Pr. Neilton Rocha

Sede Nacional – SP   [email protected]  

Pr. Joaquim Neto

Pr. Joaquim Neto

Sede Estadual – CE   [email protected]  

Pr. Ademir Pereira

Pr. Ademir Pereira

Sede Estadual - RN [email protected]  

Pr. Marcelo Torres

Pr. Marcelo Torres

Sede Estadual - SE [email protected]

Pr. Fábio Henrique

Pr. Fábio Henrique

Sede Nacional em Portugal [email protected]

Pr. Alexandre Teodoro

Pr. Alexandre Teodoro

Sede Estadual – RJ [email protected]

Pr. Delson Campos

Pr. Delson Campos

Sede Estadual – BA   [email protected]

Como a gordura abdominal afeta a saúde do coração?

Se você tem um alto índice de gordura abdominal, ficará interessado em saber como isso pode afetar a saúde do seu coração. Neste artigo, falaremos sobre esse problema com mais detalhes.

O excesso de peso, além de ser uma questão estética, também afeta a saúde do coração e do corpo em geral. Ter um percentual de gordura superior ao recomendado pode aumentar o risco de desenvolver doenças complexas no médio e longo prazo. Nesse sentido, você deve saber como a gordura abdominal afeta a saúde do coração.

Antes de começarmos, precisamos esclarecer que, embora enfatizemos a gordura abdominal, o que realmente conta é o tecido adiposo total.

No entanto, muitas pessoas acumulam adipócitos na área do tronco, por isso especialistas têm realizado uma série de estudos que relacionam o perímetro do abdômen com o risco de morte cardiovascular.

A gordura abdominal condiciona a função e a saúde do coração

De acordo com uma pesquisa publicada na Revista Espanhola de Cardiologia, a gordura abdominal está intimamente relacionada ao risco de hipertensão. Está claro que uma dieta inadequada pode levar ao excesso de peso, o que também está relacionado ao aumento da pressão arterial.

A ingestão regular de açúcares simples, gorduras trans, excesso de calorias e até sódio tem uma influência decisiva na saúde cardiovascular e na pressão arterial. Especialistas consideram este último parâmetro, quando ultrapassa determinados valores, um fator de risco para ataques cardíacos.

Quanto mais gordura você tem, pior o funcionamento dos seus órgãos

Uma alta porcentagem de gordura abdominal também corresponde a uma quantidade significativa e perigosa de tecido adiposo ao redor dos principais órgãos do corpo. Isso afeta negativamente sua função e impossibilita seu desempenho ideal.

Inclusive, um estudo publicado na revista The Journals of Gerontology mostra que um aumento do tecido adiposo no abdômen aumenta significativamente a probabilidade de morte por problemas cardiovasculares.

O acúmulo de gordura no abdômen não afeta apenas o coração. Além dele, outros órgãos importantes, como o pâncreas e o fígado, também são afetados pelo aumento de peso.

Até os pulmões de pessoas obesas sofrem. Portanto, ter um peso adequado é muito mais importante do que muitos acreditam.

Você pode evitar a obesidade com uma dieta balanceada

Felizmente, existe uma maneira muito eficaz de prevenir a obesidade, o excesso de peso e o desenvolvimento de gordura abdominal. Ter uma alimentação adequada, variada e balanceada pode garantir uma composição corporal adequada, desde que você se exercite regularmente.

Por exemplo, o consumo frequente de vegetais está associado a uma menor circunferência abdominal e a um menor risco de morte por acidentes cardiovasculares. Por outro lado, ambos os açúcares simples, como o álcool e as gorduras trans, têm o efeito oposto.

Para reduzir o percentual de gordura e melhorar a saúde, especialistas recomendam priorizar o consumo de alimentos in natura em detrimento dos ultraprocessados. Dessa forma, você garante a ingestão de fibras e micronutrientes essenciais para o funcionamento dos órgãos e as reações fisiológicas.

Além disso, fazer exercícios de força regularmente ajuda a aumentar o metabolismo e o tônus ​​muscular e, como resultado, a reduzir a gordura abdominal. A esse hábito, você pode adicionar estratégias dietéticas eficazes, como o jejum intermitente ou a redução da ingestão de carboidratos.

A gordura abdominal determina a saúde do coração

Como você pode ver, a gordura abdominal é muito mais do que apenas uma questão estética. O fato de acumular tecido adiposo está associado a um maior risco de morte, principalmente devido a eventos cardiovasculares.

Por isso, é imprescindível que você cuide da sua alimentação e pratique exercícios físicos regularmente. Estes são os dois mecanismos mais eficazes para garantir a correta composição corporal e prevenir o surgimento de doenças no médio e longo prazo.

Tenha em mente que a gordura abdominal geralmente reflete o acúmulo de tecido adiposo ao redor dos órgãos internos do corpo. Essa situação condiciona seu funcionamento e as reações fisiológicas que ocorrem dentro deles.

Por fim, não se esqueça que é mais fácil manter um peso adequado do que perder peso. Por isso, é importante que você adote bons hábitos de vida desde os primeiros estágios da sua vida, para evitar situações que você pode ter dificuldade em reverter.

Fonte: fitpeople


bannerMemorial

Aguarde Novas Atualizações