Como Deus responde aos nossos pedidos

Contei, no último texto escrito nessa coluna, a experiência que tive numa viagem ao sul de Minas Gerais, quando uns amigos e eu acabamos aprendendo uma grande lição ao imaginar que pedidos faríamos, caso tivéssemos direito a três, ao encontrar um suposto gênio da lâmpada. Acabamos concluindo que, de acordo com o Evangelho, não precisávamos de nenhum gênio, já que Deus promete realizar todos os pedidos (e não apenas três) feitos a Ele em nome de Jesus Cristo.

 

No texto dessa quinzena, como combinado, vamos começar a tratar das formas Como Deus responde aos nossos Pedidos. Acredito que a primeira coisa que precisa ser focada quando se trata desse assunto é A Questão do Merecimento.

Muitas pessoas deixam de pedir simplesmente por acharem que não merecem ser ouvidas por Deus. Bom, o que tenho a dizer para essas pessoas é que elas estão certas. Mas, se você é uma dessas pessoas, console-se em saber que, não apenas você, mas, ninguém, por justiça própria, merece qualquer coisa de Deus.

Mesmo sendo Todo Poderoso, existe algo em nós que impediria Deus de atender aos nossos pedidos. No livro do profeta Isaías, está escrito: “Eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem o seu ouvido, agravado, para não poder ouvir. Mas as vossas iniqüidades fazem divisão entre vós e o vosso Deus, e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça” (Isaías 59:1,2). O que existe em nós que impede a Mão de Deus de agir em nosso favor, realizando qualquer um de nossos pedidos, é o pecado.

O apóstolo Paulo, na carta aos romanos, capítulo 3, versículo 23, escreveu algo que poderia nos deixar ainda mais desesperados: “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus...”

Então, levando em consideração o que pesquisamos no livro de Isaías e na carta de Paulo, não existe outra conclusão a chegar a não ser a de que, realmente, não merecemos ser ouvidos por Deus.

Porém, ainda que os versículos consultados mostrem o quanto somos indignos de sermos atendidos por Deus, no Evangelho de João, no capítulo 14, versículo 13, estão escritas estas palavras de Jesus: “E tudo quanto pedirdes em meu nome, eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho”. Este versículo parece contradizer os outros, mas, na verdade, não o faz.

Vamos ler novamente o que está escrito em Isaías 59:2: “Mas as vossas iniqüidades fazem divisão entre vós e o vosso Deus, e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça”. O problema , então, é a “divisão” - ou “separação” – que o pecado faz entre os homens e Deus. Agora, vamos colocar um novo versículo em cena: “Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados...” (2 Coríntios 5:19).


Jesus Cristo, ao ser crucificado por nós, resolveu o problema do pecado. Por isso, todas as vezes que nos dirigimos a Deus, devemos fazer nossas petições em nome de Jesus, pois, foi através do Seu sacrifício que adquirimos o direito de sermos ouvidos por Deus.

É verdade que não merecemos ser atendidos por Deus. Mas não deixe de contar com Ele para resolver os problemas de sua vida ou alcançar os seus sonhos. Se acreditar que Jesus Cristo se entregou naquela cruz para reconciliá-lo com Deus, então, “...tudo quanto pedirdes em meu nome (Nome de Jesus), eu o farei...” (João 14:13).

 


*Adans Jefferson faz parte do Departamento de
Comunicação da Comunidade Cristã Paz e Vida.
Comente:
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.