Pr. Alexandre Teodoro

Pr. Alexandre Teodoro

Sede Estadual – RJ [email protected]

Pr. Ademir Pereira

Pr. Ademir Pereira

Sede Estadual - RN [email protected]  

Pr. Raphael Batista

Pr. Raphael Batista

Sede Estadual – RS [email protected]

Pr. Fábio Henrique

Pr. Fábio Henrique

Sede Nacional em Portugal [email protected]

Pr. Delson Campos

Pr. Delson Campos

Sede Estadual – BA   [email protected]

Pr. Carlos Pinheiro

Pr. Carlos Pinheiro

Sede Estadual – MA [email protected]

Pr. Jean Vilela

Pr. Jean Vilela

Sede Estadual – MG [email protected]

Pr. Márcio Silva

Pr. Márcio Silva

Sede Distrital – DF   [email protected]

Pr. Luciano Alves

Pr. Luciano Alves

Sede Estadual – AM [email protected]

Pr. Sandro Pinheiro

Pr. Sandro Pinheiro

Sede Estadual - PI [email protected]

Pr. Márcio Candido

Pr. Márcio Candido

Sede Estadual – PE [email protected]

Pr. Weslley Santos

Pr. Weslley Santos

Sede Estadual – AL [email protected]

Pr. Danilo Queiroz

Pr. Danilo Queiroz

Sede Estadual – CE   [email protected]  

Pr. Danyel Pagliarin

Pr. Danyel Pagliarin

Sede Estadual – PR [email protected]

Pr. Neilton Rocha

Pr. Neilton Rocha

Sede Nacional – SP   [email protected]  

Pr. Dionatan Freitas

Pr. Dionatan Freitas

Sede Estadual - GO [email protected]

Pr. Regino Barros

Pr. Regino Barros

Sede Estadual – PB [email protected]

Pr. Marcelo Torres

Pr. Marcelo Torres

Sede Estadual - SE [email protected]

Mudanças no coração geradas pelo exercício físico

As mudanças que ocorrem no coração com o exercício são, em geral, benéficas. Mas você sabe quais são essas mudanças, que reduzem o risco cardiovascular?

Que o exercício físico causa mudanças no coração já é algo sabido. Embora a ciência médica tenha tido longos debates sobre esse assunto até o início do século XIX, no século XX foi demonstrado que os músculos cardíacos dos atletas eram modificados pela atividade física.

É comum que pacientes com risco aumentado, como diabéticos e hipertensos, pratiquem esportes, mas isso não significa que só eles se beneficiem da atividade. Na verdade, todas as pessoas estão em condições de mudar seu coração para melhor através do exercício físico.

O coração e os tipos de exercício físico

O coração é um órgão constituído principalmente por músculos. As células que compõem esse tecido são os cardiomiócitos, e elas se organizam de tal maneira que coordenam os batimentos para se contraírem em um determinado ritmo.

Ao contrário de outros músculos do corpo, o coração é automático porque tem seu próprio sistema de condução elétrica. Esse comando local organiza a contração de tal forma que o sangue é primeiro impelido da parte superior do coração para a parte inferior, saindo por fim em direção à artéria aorta.

Existem quatro câmaras cardíacas: dois átrios e dois ventrículos. Eles se conectam entre si, de cada lado, direito e esquerdo, através de válvulas. No meio de ambos os lados, o sangue tem que passar primeiro pelos pulmões, o que torna o sistema respiratório quase indivisível do sistema circulatório.

Nos pulmões, o sangue é oxigenado e libera o dióxido de carbono, que sai como resíduo. É importante entender isso, pois existem duas formas de exercício que podem modificar o coração: aeróbio e anaeróbico.

Diferenças entre exercícios aeróbicos e anaeróbicos

O exercício aeróbio é aquele que precisa de oxigênio para se manter. Ou seja, o corpo requer que os sistemas cardiovascular e respiratório tenham ar suficiente para sustentar o metabolismo muscular.

Se o esporte se tornar intenso demais, as necessidades de oxigênio serão maiores do que o que pode ser inspirado, e assim se passa para a fase anaeróbia.

No exercício anaeróbico, você deve interromper a atividade para se recuperar, caso contrário, ocorrerá a exaustão e o músculo pode até mesmo parar. Um exemplo típico disso é malhar na academia usando máquinas.

Efeitos e mudanças no coração ao fazer exercício

As mudanças que ocorrem no coração com a prática de exercício dependem ​​se fizermos exercícios aeróbicos ou anaeróbicos.

Os primeiros são aqueles que modificam o músculo a longo prazo e apresentam os melhores efeitos protetores cardiovasculares. Estes tendem a aumentar o miocárdio, mas não são tão eficazes na prevenção quanto os outros.

Em termos gerais, os efeitos do esporte são os seguintes:

Hipertrofia do miocárdio: o músculo cardíaco aumenta de tamanho com a execução do exercício a longo prazo. Esta é uma adaptação lógica e esperada, porque mais força é necessária para impulsionar mais volume de sangue, de acordo com as demandas.

Diminuição da frequência cardíaca basal: a bradicardia sinusal é comum em atletas. Esta é a batida mais lenta e pausada do coração, porque este se tornou mais eficiente. Não resulta em patologia e também não é arriscada. Trata-se de frequências em repouso de menos de 60 batimentos por minuto.

Aumento do volume sanguíneo por unidade de tempo: por ser um órgão mais eficiente, o coração pode bombear mais sangue com menos batidas e em menos tempo.

Outros efeitos

Também podemos citar três efeitos colaterais que influenciam o coração sem serem típicos dele:

Mais glóbulos vermelhos:os atletas têm mais glóbulos vermelhos circulando, porque essas células transportam oxigênio e as necessidades são maiores. Isso tem um efeito indireto na eficiência, já que o gás é mais fácil de transportar e menos batidas são necessárias.

Aumento da capacidade pulmonar: com os exercícios, os pulmões aumentam sua capacidade de armazenar ar e trocá-lo. Isso também facilita o funcionamento do coração.

Redução da gordura corporal: o treinamento sustentado reduz o peso de acordo com as necessidades calóricas do atleta. Com menos volume de gordura, o sangue atinge o sistema circulatório com mais facilidade.

Benefícios do exercício físico na saúde cardiovascular

evidência científica é conclusiva quanto aos benefícios que o exercício causa ao coração. Nas últimas décadas, estudos e pesquisas que confirmam isso têm se acumulado.

Atletas regulares têm mais óxido nítrico circulando, o que diminui a pressão arterial, pois essa substância é vasodilatadora.

Por sua vez, essas mesmas pessoas tendem a ter uma quantidade maior de colesterol bom ou HDL de acordo com seus exames de sangue, de modo que as suas artérias estão mais livres da arteriosclerose.

O resultado final é que aqueles que realizam exercícios aeróbicos frequentemente apresentam metade do risco coronariano do resto da população. Da mesma forma, a taxa de mortalidade por causas cardíacas é reduzida em quase 25%.

Isso não é tudo, porque quem já sofreu um infarto, por exemplo, também se beneficia com as mudanças no coração se iniciar um plano de treinamento. Nesses casos, é possível aumentar a eficácia do miocárdio danificado em até 20%.

O esporte e as mudanças no coração

É possível melhorar a saúde do coração praticando esportes. Além dos benefícios psicológicos e de humor, o músculo também é capaz de se modificar para se tornar melhor nas suas funções.

O exercício aeróbico é o mais recomendado. Correr, andar de bicicleta, nadar ou dançar são ações que podemos aplicar no nosso dia a dia para aumentar a qualidade e prolongar a expectativa de vida.

Fonte: fitpeople

bannerMemorial

Dom. dia 01/11, às 8h Reunião do Santo Jejum   SEDE NACIONAL             Av. Cruzeiro do Sul, 1965 - Santana - São Paulo - SP