Pr. Regino Barros

Pr. Regino Barros

Sede Estadual – PE [email protected]

Pr. Neilton Rocha

Pr. Neilton Rocha

Sede Internacional – SP   [email protected]  

Pr. Dionatan Freitas

Pr. Dionatan Freitas

Sede Estadual - GO [email protected]

Pr. Emerson Stevanelli

Pr. Emerson Stevanelli

Sede Estadual – PB [email protected]

Pr. Joaquim Neto

Pr. Joaquim Neto

Sede Estadual – MG [email protected]

Pr. Ademir Pereira

Pr. Ademir Pereira

Sede Estadual - RN [email protected]  

Pr. Sandro Pinheiro

Pr. Sandro Pinheiro

Sede Distrital – DF   [email protected]

Pr. Carlos Pinheiro

Pr. Carlos Pinheiro

Sede Estadual – AL [email protected]

Pr. Luciano Alves

Pr. Luciano Alves

Sede Estadual – AM [email protected]

Pr. Raphael Batista

Pr. Raphael Batista

Sede Estadual – RS [email protected]

Pr. Gilvan Gomes

Pr. Gilvan Gomes

Sede Estadual - SE [email protected]

Pr. Danilo Queiroz

Pr. Danilo Queiroz

Sede Estadual – CE   [email protected]  

Pr. Danyel Pagliarin

Pr. Danyel Pagliarin

Sede Estadual – RJ [email protected]

Pr. Wesley Santos

Pr. Wesley Santos

Sede Estadual – PR [email protected]

Pr. Fábio Henrique

Pr. Fábio Henrique

Sede Nacional em Portugal [email protected]

Pr. William Alves

Pr. William Alves

Sede Estadual – PA [email protected]

Pr. Delson Campos

Pr. Delson Campos

Sede Estadual – BA   [email protected]

Pr. Márcio Silva

Pr. Márcio Silva

Sede Estadual - PI [email protected]

Pr. Leonardo Pinheiro

Pr. Leonardo Pinheiro

Sede Estadual – MA [email protected]

‘Prévia’ do PIB aponta queda de 0,68% da economia no 1º trimestre

Índice de Atividade Econômica (IBC-Br), considerado uma prévia do Produto Interno Bruto (PIB), registrou queda de 0,28% em março na comparação com fevereiro, informou o Banco Centralnesta quarta-feira, 15. No trimestre, a queda no indicador é de 0,68%, segundo dados informados pelo BC.

O IBC-Br é uma forma de avaliar a evolução da atividade econômica brasileira e ajuda o BC a tomar suas decisões sobre a taxa básica de juros, a Selic.

A queda na atividade econômica no mês vai de encontro com previsões mais fracas sobre o PIB, índice oficial para medir o crescimento da economia no país. Na terça-feira, a ata do Copom divulgada pelo Banco Central, indicou que haveria recuo no índice.

O ministro Paulo Guedes admitiu na terça que o governo já trabalha com uma previsão de crescimento anual de 1,5%, ante os 2,7% que estimavam anteriormente. Projeções do mercado financeiro no Boletim Focus apontaram um novo recuo na previsão do PIB de 2019: 1,45%. A estimativa já chegou a 2,57% em fevereiro.

O IBC-Br incorpora informações sobre o nível de atividade dos três setores da economia: indústria, comércio e serviços e agropecuária, além do volume de impostos. Já o PIB, que é medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), soma todos os bens e serviços produzidos no Brasil em um período. O PIB oficial do primeiro trimestre deve ser divulgado no dia 30.

Caso a queda se confirme, será a primeira em três anos. No quarto trimestre de 2016, o PIB brasileiro apresentou recuo de 0,6%.

Fonte: VEJA

bannerMemorial

Aguarde Novas Atualizações