Pr. Marcelo Torres

Pr. Marcelo Torres

Sede Estadual - SE [email protected]

Pr. Márcio Candido

Pr. Márcio Candido

Sede Estadual – PE [email protected]

Pr. Jean Vilela

Pr. Jean Vilela

Sede Estadual – MG [email protected]

Pr. Alexandre Teodoro

Pr. Alexandre Teodoro

Sede Estadual – RJ [email protected]

Pr. Delson Campos

Pr. Delson Campos

Sede Estadual – BA   [email protected]

Pr. Luciano Alves

Pr. Luciano Alves

Sede Estadual – AM [email protected]

Pr. Danyel Pagliarin

Pr. Danyel Pagliarin

Sede Estadual – PR [email protected]

Pr. Carlos Pinheiro

Pr. Carlos Pinheiro

Sede Estadual – MA [email protected]

Pr. Sandro Pinheiro

Pr. Sandro Pinheiro

Sede Estadual - PI [email protected]

Pr. Dionatan Freitas

Pr. Dionatan Freitas

Sede Estadual - GO [email protected]

Pr. Neilton Rocha

Pr. Neilton Rocha

Sede Nacional – SP   [email protected]  

Pr. Fábio Henrique

Pr. Fábio Henrique

Sede Nacional em Portugal [email protected]

Pr. Ademir Pereira

Pr. Ademir Pereira

Sede Estadual - RN [email protected]  

Pr. Wadson Medeiros

Pr. Wadson Medeiros

Sede Estadual – RS [email protected]

Pr. Joaquim Neto

Pr. Joaquim Neto

Sede Estadual – CE   [email protected]  

Pr. David Scarinci

Pr. David Scarinci

Sede Estadual – PA   [email protected]

Pr. Márcio Silva

Pr. Márcio Silva

Sede Distrital – DF   [email protected]

Pr. Weslley Santos

Pr. Weslley Santos

Sede Estadual – AL [email protected]

Pr. Regino Barros

Pr. Regino Barros

Sede Estadual – PB [email protected]

União Europeia promete vacinação simultânea contra a Covid-19 nos 27 países

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, disse nesta quarta-feira (16) que todos os 27 países do bloco começarão a vacinar sua população "no mesmo dia", assim que uma vacina for aprovada pelo órgão regulador europeu.

“Começaremos a vacinação o mais rápido possível todos juntos, todos os 27, no mesmo dia, da mesma forma que passamos por esta pandemia juntos”, disse Von der Leyen em uma sessão do Parlamento Europeu, em Bruxelas.

A Agência Europeia de Medicamentos (AEM), com sede em Amsterdã, adiantou para 21 de dezembro uma reunião que discutirá a liberação da vacina desenvolvida pela Pfizer e BioNTech. Caso seja aprovada, é possível que uma campanha de vacinação comece já antes do Natal.

Nesta quarta, o ministro da Saúde do Reino Unido informou que 137.897 pessoas já foram vacinadas durante a primeira semana de campanha.

"Cada dia importa. Trabalhamos a toda velocidade para autorizar as vacinas que são seguras e efetivas", disse Von der Leyen em uma rede social. "É muito bom que a AEM tenha adiantado a reunião para discutir a vacina da Pfizer/BioNTech antes do Natal."

"Provavelmente os primeiros europeus serão vacinados antes do fim de 2020", disse a presidente do Conselho Europeu.

Após possível aprovação pelo regulador da União Europeia, a Comissão Europeia deve aprovar formalmente a vacina Pfizer dentro de três dias.

6 vacinas contratadas

Von der Leyen reforçou para os deputados europeus que a vacina da Pfizer e BioNTech é apenas uma da seis que já foram contratadas pela União Europeia.

Além da Pfizer, o bloco comprou os imunizantes da AstraZeneca, CureVac, Johnson & Johnson, Moderna e Sanofi-GlaxoSmithKline.

Se todas essas vacinas forem aprovadas, os 27 países – que somam cerca de 450 milhões de habitantes – terão, ao todo, dois bilhões de doses.

Aprovação pelo mundo

Sete países já aprovaram o uso emergencial da vacina da Pfizer/BioNTech: Reino Unido, Estados UnidosCanadáBahrein, Arábia Saudita, México e Singapura.

Reino UnidoEUA e Canadá já começaram a aplicar a vacina na população.

Esta semana, o governo americano também deve aprovar o uso emergencial de mais uma vacina – a do laboratório Moderna.

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou em nota nesta segunda-feira (14) que a análise de pedidos para o uso emergencial de vacinas será feita em um prazo de até dez dias.

No comunicado, a agência informou: "Se todo os documentos necessários tiverem sido submetidos à Anvisa pelos fabricantes da vacina, a Anvisa estima que o prazo de até 10 (dez) dias para concluir a avaliação quanto à autorização de uso emergencial, desde que sejam vacinas das empresas que venham apresentando dados para Anvisa e possuem ensaios clínicos em condução no Brasil".

Fonte: G1


bannerMemorial

Aguarde Novas Atualizações