Pr. Luciano Alves

Pr. Luciano Alves

Sede Estadual – AM [email protected]

Pr. Danyel Pagliarin

Pr. Danyel Pagliarin

Sede Estadual – PR [email protected]

Pr. Joaquim Neto

Pr. Joaquim Neto

Sede Estadual – CE   [email protected]  

Pr. Neilton Rocha

Pr. Neilton Rocha

Sede Nacional – SP   [email protected]  

Pr. Ademir Pereira

Pr. Ademir Pereira

Sede Estadual - RN [email protected]  

Pr. Marcelo Torres

Pr. Marcelo Torres

Sede Estadual - SE [email protected]

Pr. Weslley Santos

Pr. Weslley Santos

Sede Estadual – AL [email protected]

Pr. Márcio Silva

Pr. Márcio Silva

Sede Distrital – DF   [email protected]

Pr. Carlos Pinheiro

Pr. Carlos Pinheiro

Sede Estadual – MA [email protected]

Pr. Márcio Candido

Pr. Márcio Candido

Sede Estadual – PE [email protected]

Pr. Sandro Pinheiro

Pr. Sandro Pinheiro

Sede Estadual - PI [email protected]

Pr. Regino Barros

Pr. Regino Barros

Sede Estadual – PB [email protected]

Pr. Jean Vilela

Pr. Jean Vilela

Sede Estadual – MG [email protected]

Pr. Alexandre Teodoro

Pr. Alexandre Teodoro

Sede Estadual – RJ [email protected]

Pr. Dionatan Freitas

Pr. Dionatan Freitas

Sede Estadual - GO [email protected]

Pr. Fábio Henrique

Pr. Fábio Henrique

Sede Nacional em Portugal [email protected]

Pr. Delson Campos

Pr. Delson Campos

Sede Estadual – BA   [email protected]

Pr. David Scarinci

Pr. David Scarinci

Sede Estadual – PA   [email protected]

Pr. Wadson Medeiros

Pr. Wadson Medeiros

Sede Estadual – RS [email protected]

País tem 6 milhões de doses de vacina contra covid nos estados

O Brasil tem, no momento, 6 milhões de doses de vacina contra a covid-19 nos estados para aplicação nos grupos prioritários, em cerca de 38 mil postos espalhados pelo país. Segundo o Ministério da Saúde, desde 18 de janeiro, quando começou a imunização, já foram aplicadas 5 milhões de doses.

primeiro grupo prioritário inclui cerca de 14 milhões de pessoas, entre trabalhadores da saúde, idosos acima de 75 anos, pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições e população indígena. E todos deverão tomar duas doses da vacina.

Por enquanto, foram distribuídas pelo Programa Nacional de Imunizações, do Ministério da Saúde, 8,7 milhões de doses da CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório Sinovac, e 2 milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca, importada da Índia, mas que também será produzida pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz). 

Segundo o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, novas doses devem ser entregues a partir da próxima segunda-feira (15), pelo Instituto Butantan. Pazuello participou nesta quinta-feira (11)  de audiência pública no Senado sobre as ações do governo para a vacinação contra a covid-19 e do enfrentamento à crise de saúde no Amazonas. Já a Fiocruz prevê entregar 1 milhão de doses na semana de 15 a 19 de março.

O ministro reconheceu que as doses de que o Brasil dispõe são insuficientes, mas garantiu que o governo vai adquirir todos os tipos de vacinas contra a doença para promover a imunização. Ele também reconheceu ser preciso produzir vacinas em território nacional, a fim de reduzir custos e evitar que o Brasil fique na dependência de outros países.

"O Butantan está fabricando entre oito e 12 milhões de doses por mês, com entrega a partir de 15 de fevereiro. Da AstraZeneca, o que recebemos já está na linha de produção. Negociamos a segunda etapa, que fica pronta até março. Até lá, serão doses importadas. As negociações complementarão 30 milhões de doses por mês, isso é o que esperamos para março", afirmou.

Acordos firmados

Em relação às negociações para aquisição de vacinas, Pazuello afirmou que o Brasil continua em "estreito contato" com os fabricantes dos imunizantes. As encomendas deverão ser entregues nos próximos meses, afirmou o ministro.

O governo federal firmou três acordos de encomenda tecnológica, que garantem mais de 354 milhões de doses ao longo de 2021. A Fiocruz/AstraZeneca tem 102,4 milhões de doses previstas até julho e em torno de 110 milhões no segundo semestre, com produção nacional.

Já Instituto Butantan/Sinovac prevê 46 milhões de doses no primeiro semestre de 2021 e 54 milhões no segundo semestre. O consórcio Covax Facility terá 42,5 milhões de doses (10 laboratórios estão negociando o cronograma de entrega com o consórcio).

Fonte: R7


bannerMemorial

Aguarde Novas Atualizações