Pr. Dionatan Freitas

Pr. Dionatan Freitas

Sede Estadual - GO [email protected]

Pr. Danyel Pagliarin

Pr. Danyel Pagliarin

Sede Estadual – RJ [email protected]

Pr. Leonardo Pinheiro

Pr. Leonardo Pinheiro

Sede Estadual – MA [email protected]

Pr. Gilvan Gomes

Pr. Gilvan Gomes

Sede Estadual - SE [email protected]

Pr. Wesley Santos

Pr. Wesley Santos

Sede Estadual – PR [email protected]

Pr. Carlos Pinheiro

Pr. Carlos Pinheiro

Sede Estadual – AL [email protected]

Pr. Joaquim Neto

Pr. Joaquim Neto

Sede Estadual – MG [email protected]

Pr. Regino Barros

Pr. Regino Barros

Sede Estadual – BA   [email protected]

Pr. Raphael Batista

Pr. Raphael Batista

Sede Estadual – RS [email protected]

Pr. Crescio Rezende

Pr. Crescio Rezende

Sede Estadual - RN [email protected]

Pr. Márcio Silva

Pr. Márcio Silva

Sede Estadual - PI [email protected]

Pr. Delson Campos

Pr. Delson Campos

Sede Estadual – PE [email protected]

Pr. Emerson Stevanelli

Pr. Emerson Stevanelli

Sede Estadual – PB [email protected] [email protected]

Pr. Sandro Pinheiro

Pr. Sandro Pinheiro

Sede Distrital – DF   [email protected]

Pr. Reinaldo Rosário

Pr. Reinaldo Rosário

Sede Estadual – CE [email protected]

Pr. Neilton Rocha

Pr. Neilton Rocha

Sede Internacional – SP   [email protected]  

Pr. Luciano Alves

Pr. Luciano Alves

Sede Estadual – AM [email protected]

Pr. Fábio Henrique

Pr. Fábio Henrique

Sede Nacional em Portugal [email protected]

Pr. William Alves

Pr. William Alves

Sede Estadual – PA [email protected]

Trump não pode mais bloquear seus críticos no Twitter

O presidente dos Estados UnidosDonald Trump, violou a Primeira Emenda da Constituição americana ao bloquear usuários do Twitter que se mostravam críticos a seus comentários nessa rede social. A conclusão foi tomada nesta quarta-feira por uma juíza de Nova York, segundo o jornal The New York Times.

Com a decisão, Trump não poderá mais repetir esse procedimento. O caso foi iniciado por sete dos 52,5 milhões de seguidores do perfil de Trump no Twitter. Em seguida, uniu-se ao grupo Knight First Amendment Institute, da Universidade Columbia, de Nova York.

“A exclusão baseada no ponto de vista dos indivíduos demandantes do fórum público designado é proibida pela Primeira Emenda e não pode ser justificada pelos interesses pessoais na Primeira Emenda”, concluiu a juíza Naomi Reice Buchwald.

Segundo o Times, os sete demandantes e o Instituto argumentaram que o perfil de Trump no Twitter deve ser considerado como uma conta oficial do governo e que, ao bloquear usuários críticos a sua opinião, o presidente violava a Primeira Emenda.

A Primeira Emenda, de 1791, é o principal pilar da Constituição americana. Seu texto impede a aprovação de qualquer tipo de legislação que venha a ameaçar a liberdade de expressão e de imprensa e proibir o direito à liberdade religiosa e à assembleia.

Na sua decisão final, a juíza Buchwald determinou que o discurso dos demandantes está protegido pela Primeira Emenda.

Casa Branca defendeu a continuidade do perfil de Trump no Twitter, apesar de suas controversas declarações na rede social, dizendo que é uma forma de o presidente falar diretamente com o povo americano, segundo o jornal britânico Independent.

Fonte: VEJA


bannerMemorial

Domingo, dia 25/11, às 8h 2019 - O ANO ACEITÁVEL DO SENHOR SEDE INTERNACIONAL                   Av. Cruzeiro do Sul, 1965 - Santana - SP