Pr. Sandro Pinheiro

Pr. Sandro Pinheiro

Sede Distrital – DF   [email protected]

Pr. William Alves

Pr. William Alves

Sede Estadual – PA [email protected]

Pr. Delson Campos

Pr. Delson Campos

Sede Estadual – PE [email protected]

Pr. Luciano Alves

Pr. Luciano Alves

Sede Estadual – AM [email protected]

Pr. Márcio Silva

Pr. Márcio Silva

Sede Estadual - PI [email protected]

Pr. Regino Barros

Pr. Regino Barros

Sede Estadual – BA   [email protected]

Pr. Danyel Pagliarin

Pr. Danyel Pagliarin

Sede Estadual – RJ [email protected]

Pr. Leonardo Pinheiro

Pr. Leonardo Pinheiro

Sede Estadual – MA [email protected]

Pr. Wesley Santos

Pr. Wesley Santos

Sede Estadual – PR [email protected]

Pr. Joaquim Neto

Pr. Joaquim Neto

Sede Estadual – MG [email protected]

Pr. Fábio Henrique

Pr. Fábio Henrique

Sede Nacional em Portugal [email protected]

Pr. Neilton Rocha

Pr. Neilton Rocha

Sede Internacional – SP   [email protected]  

Pr. Reinaldo Rosário

Pr. Reinaldo Rosário

Sede Estadual – CE [email protected]

Pr. Dionatan Freitas

Pr. Dionatan Freitas

Sede Estadual - GO [email protected]

Pr. Gilvan Gomes

Pr. Gilvan Gomes

Sede Estadual - SE [email protected]

Pr. Crescio Rezende

Pr. Crescio Rezende

Sede Estadual - RN [email protected]

Pr. Raphael Batista

Pr. Raphael Batista

Sede Estadual – RS [email protected]

Pr. Carlos Pinheiro

Pr. Carlos Pinheiro

Sede Estadual – AL [email protected]

Pr. Emerson Stevanelli

Pr. Emerson Stevanelli

Sede Estadual – PB [email protected] [email protected]

Trump quer acabar com o critério de raça para a admissão nas universidades

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos eliminou nesta terça-feira (3) sete recomendações em favor de minorias mantidas pelo Departamento de Educação. A medida segue a política do governo de Donald Trump de estimular as universidades a adotar critérios “cegos” de admissão de estudantes, que não considerem a raça como fator relevante.

Segundo o jornal The New York Times, o secretário de Justiça americano, Jeff Sessions, determinou uma reavaliação das políticas dos governos anteriores que, em seu ponto de vista, iam além da Constituição, da lei e de exigências da Suprema Corte. O corte das sete políticas na área de educação foi o resultado desse trabalho, segundo Devin O´Malley, porta-voz do Departamento de Justiça.

A ação afirmativa criada e mantida especialmente pelo governo de Barack Obama está em uma encruzilhada. “As decisões do governo de Trump trazem a política oficial de volta aos padrões do governo de George W. Bush“, informa o jornal.

Embora a Suprema Corte americana tenha reduzido o espaço para universidades considerarem a raça como elemento para diversificar o perfil de seus estudantes, não chegou até agora a coibir essa medida. A aposentadoria do ministro Anthony Kennedy e sua substituição por um nome mais conservador, insistiu o jornal, poderá levar a Corte a decisões mais em linha com a Casa Branca nesse tema.

Um dos casos a serem julgados pela Suprema Corte é o de estudantes americanos de origem asiática contra a Universidade de Harvard, que a acusam de favorecer candidatos de outras raças.

Durante o governo de Obama, a Casa Branca estimulou escolas a adotar ações afirmativas em favor da diversidade, a partir de 2011. As orientações, entretanto, geraram debates e polêmicas no país por serem, em alguns casos, contrárias às legislações.

Fonte: VEJA


bannerMemorial

Domingo, dia 25/11, às 8h 2019 - O ANO ACEITÁVEL DO SENHOR SEDE INTERNACIONAL                   Av. Cruzeiro do Sul, 1965 - Santana - SP