Pr. Márcio Candido

Pr. Márcio Candido

Sede Estadual – PA [email protected]

Pr. Danyel Pagliarin

Pr. Danyel Pagliarin

Sede Estadual – PR [email protected]

Pr. Neilton Rocha

Pr. Neilton Rocha

Sede Nacional – SP   [email protected]  

Pr. Jean Vilela

Pr. Jean Vilela

Sede Estadual – MG [email protected]

Pr. Dionatan Freitas

Pr. Dionatan Freitas

Sede Estadual - GO [email protected]

Pr. Márcio Silva

Pr. Márcio Silva

Sede Distrital – DF   [email protected]

Pr. Marcelo Torres

Pr. Marcelo Torres

Sede Estadual - SE [email protected]

Pr. Regino Barros

Pr. Regino Barros

Sede Estadual – PB [email protected]

Pr. Delson Campos

Pr. Delson Campos

Sede Estadual – BA   [email protected]

Pr. Weslley Santos

Pr. Weslley Santos

Sede Estadual – AL [email protected]

Pr. Danilo Queiroz

Pr. Danilo Queiroz

Sede Estadual – CE   [email protected]  

Pr. Carlos Pinheiro

Pr. Carlos Pinheiro

Sede Estadual – MA [email protected]

Pr. Joaquim Neto

Pr. Joaquim Neto

Sede Estadual – PE [email protected]

Pr. Sandro Pinheiro

Pr. Sandro Pinheiro

Sede Estadual - PI [email protected]

Pr. Alexandre Teodoro

Pr. Alexandre Teodoro

Sede Estadual – RJ [email protected]

Pr. Ademir Pereira

Pr. Ademir Pereira

Sede Estadual - RN [email protected]  

Pr. Fábio Henrique

Pr. Fábio Henrique

Sede Nacional em Portugal [email protected]

Pr. Luciano Alves

Pr. Luciano Alves

Sede Estadual – AM [email protected]

Pr. Raphael Batista

Pr. Raphael Batista

Sede Estadual – RS [email protected]

PF faz operação de combate a corrupção na Receita Federal

A Polícia Federal fez, nesta sexta-feira (12), a operação Probitas (proibidades, em latim) com o objetivo de apurar crimes de corrupção praticados por um servidor da Receita Federal. 

A investigação teve início em março deste ano, após o recebimento de uma denúncia por parte de um empresário que informou estar sendo extorquido por um auditor-fiscal. 

De acordo com as investigações, o colaborador teria pedido propina de aproximadamente R$ 23 milhões, com a promessa de deixar de autuar o estabelecimento comercial e encerrar a fiscalização tributária.

Foram cumpridos três mandados de busca e apreensão e um de prisão temporária nas cidades de São Paulo e São Sebastião, no litoral do estado. O mandado de prisão do auditor-fiscal foi realizado na cidade litorânea. 

Os investigados poderão responder pelos crimes de corrupção passiva tributária, associação criminosa ou organização criminosa, dependendo da evolução das investigações.

Fonte: R7


bannerMemorial

Aguarde Novas Atualizações