Pr. Delson Campos

Pr. Delson Campos

Sede Estadual – BA   [email protected]

Pr. Raphael Batista

Pr. Raphael Batista

Sede Estadual – RS [email protected]

Pr. Carlos Pinheiro

Pr. Carlos Pinheiro

Sede Estadual – MA [email protected]

Pr. Ademir Pereira

Pr. Ademir Pereira

Sede Estadual - RN [email protected]  

Pr. Danilo Queiroz

Pr. Danilo Queiroz

Sede Estadual – CE   [email protected]  

Pr. Neilton Rocha

Pr. Neilton Rocha

Sede Nacional – SP   [email protected]  

Pr. Sandro Pinheiro

Pr. Sandro Pinheiro

Sede Estadual - PI [email protected]

Pr. Alexandre Teodoro

Pr. Alexandre Teodoro

Sede Estadual – RJ [email protected]

Pr. Danyel Pagliarin

Pr. Danyel Pagliarin

Sede Estadual – PR [email protected]

Pr. Marcelo Torres

Pr. Marcelo Torres

Sede Estadual - SE [email protected]

Pr. Fábio Henrique

Pr. Fábio Henrique

Sede Nacional em Portugal [email protected]

Pr. Weslley Santos

Pr. Weslley Santos

Sede Estadual – AL [email protected]

Pr. Joaquim Neto

Pr. Joaquim Neto

Sede Estadual – PE [email protected]

Pr. Luciano Alves

Pr. Luciano Alves

Sede Estadual – AM [email protected]

Pr. Dionatan Freitas

Pr. Dionatan Freitas

Sede Estadual - GO [email protected]

Pr. Jean Vilela

Pr. Jean Vilela

Sede Estadual – MG [email protected]

Pr. Márcio Silva

Pr. Márcio Silva

Sede Distrital – DF   [email protected]

Pr. Márcio Candido

Pr. Márcio Candido

Sede Estadual – PA [email protected]

Pr. Regino Barros

Pr. Regino Barros

Sede Estadual – PB [email protected]

Documentos da declaração do IR devem ser guardados por 6 anos

Os contribuintes que já transmitiram a declaração de Imposto de Renda 2020 para a base de dados da Receita Federal devem manter guardada toda a documentação utilizada no preenchimento ao menos até 2026.

Richard Domingos, diretor executivo da Confirp Consultoria Contábil, afirma que o prazo para manter a posse dos documentos equivale a cinco anos mais o ano da entrega.

"A declaração do Imposto de Renda começa a contar a decadência de 2019 no momento em que se entrega ela para o Fisco. Então, a Receita tem até 2025 para fiscalizar 2019", explica Domingos.

A medida visa proteger o contribuinte na hora de prestar eventuais esclarecimentos à Receita Federal durante a fase de cruzamento de dados.

Entre os documentos a serem guardados aparecem informes de rendimentos, comprovantes de despesas com saúde e educação, dados bancários referentes ao dia 31 de dezembro de 2019 e comprovações de compra ou venda de bens. 

Fonte: R7


bannerMemorial

Aguarde Novas Atualizações