Multas a motoboys em São Paulo vão começar em outubro

O secretário estadual de Planejamento, Julio Semeghini, afirmou nesta sexta-feira (15) que o governo passará a multar, a partir de outubro, os motoboys que não se adaptarem às novas regras. As penalidades, no entanto, serão implementadas gradualmente, conforme o final da placa.

A ideia é que em no máximo cinco meses a lei passe a valer para todas as motos. Enquanto isso, o governo quer dar incentivos para que os motoboys se regularizem - como se vai fazer isso, no entanto, ainda não foi definido pela administração. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

No dia dia 2 de fevereiro deste ano, novas regras de segurança aprovadas pelo Contran (Conselho Nacional de Trânsito) passaram a valer. Entre as determinações do órgão, os condutores devem fazer um curso obrigatório de capacitação, com duração de 30 horas e grade curricular definida.

As novas regras do Contran estipulam ainda que motoboys e mototaxistas precisam também fazer adequações nas motos ligadas a segurança --tais como protetor para pernas e motor, aparador de linha e dispositivo de carga (baú ou grelha).

Os motoboys que não se adequarem sofrerão penalidades que podem variar de multa de R$ 127,69, mais cinco pontos (infração grave) na carteira, a R$ 191,54, sete pontos (infração gravíssima) e apreensão do veículo.

Associações de classe e sindicatos estimam que, em todo o Estado de São Paulo, existam cerca de 500 mil motofretistas e mototaxistas; 200 mil deles apenas na capital.