Pr. Delson Campos

Pr. Delson Campos

Sede Estadual – BA   [email protected]

Pr. Weslley Santos

Pr. Weslley Santos

Sede Estadual – AL [email protected]

Pr. Carlos Pinheiro

Pr. Carlos Pinheiro

Sede Estadual – MA [email protected]

Pr. Neilton Rocha

Pr. Neilton Rocha

Sede Nacional – SP   [email protected]  

Pr. Fábio Henrique

Pr. Fábio Henrique

Sede Nacional em Portugal [email protected]

Pr. Joaquim Neto

Pr. Joaquim Neto

Sede Estadual – PE [email protected]

Pr. Dionatan Freitas

Pr. Dionatan Freitas

Sede Estadual - GO [email protected]

Pr. Marcelo Torres

Pr. Marcelo Torres

Sede Estadual - SE [email protected]

Pr. Márcio Silva

Pr. Márcio Silva

Sede Distrital – DF   [email protected]

Pr. Jean Vilela

Pr. Jean Vilela

Sede Estadual – MG [email protected]

Pr. Ademir Pereira

Pr. Ademir Pereira

Sede Estadual - RN [email protected]  

Pr. Danyel Pagliarin

Pr. Danyel Pagliarin

Sede Estadual – PR [email protected]

Pr. Raphael Batista

Pr. Raphael Batista

Sede Estadual – RS [email protected]

Pr. Luciano Alves

Pr. Luciano Alves

Sede Estadual – AM [email protected]

Pr. Danilo Queiroz

Pr. Danilo Queiroz

Sede Estadual – CE   [email protected]  

Pr. Márcio Candido

Pr. Márcio Candido

Sede Estadual – PA [email protected]

Pr. Alexandre Teodoro

Pr. Alexandre Teodoro

Sede Estadual – RJ [email protected]

Pr. Sandro Pinheiro

Pr. Sandro Pinheiro

Sede Estadual - PI [email protected]

Pr. Regino Barros

Pr. Regino Barros

Sede Estadual – PB [email protected]

Assim como o tomate, cebola é contrabandeada na tríplice fronteira

Assim como o tomate, a cebola, outro vilão da inflação, tornou-se objeto cobiçado de contrabando na tríplice fronteira do Brasil com o Paraguai e a Argentina.

Ontem, fiscais da Receita Federal e do Ministério da Agricultura apreenderam 3.500 toneladas na ponte da Amizade, em Foz do Iguaçu (PR).

Fiscais do Ministério da Agricultura em Foz do Iguaçu (oeste do Paraná) já apreenderam 500 kg do alimento nas últimas duas semanas --um recorde.

"É uma coisa inédita", diz o chefe do ministério na cidade, Antonio Garcez, sobre os tomates. "O Brasil é produtor. Normalmente, a gente exportava para a Argentina, o ano todo. Agora inverteu."

As cebolas apreendidas ontem vinham da Argentina, onde o câmbio e a produção fazem com que o produto, no atacado, custe cerca de 20% menos no país vizinho do que no Brasil -R$ 2, ante R$ 2,50.

O alimento contrabandeado, que não pode entrar no Brasil por não ter passado por avaliação fitossanitária, é transportada em vans ou carros pequenos.

No país, ele é revendido em mercados e restaurantes de Foz do Iguaçu e região.

 

Fonte: Folha de São Paulo


bannerMemorial

Aguarde novas atualizações