Skip to content

CASAIS COM PAZ E VIDA

Estudos mostram que atividade física, mesmo em menor intensidade, pode ajudar a reduzir os sintomas depressivos, junto com terapia e medicação.

Quando surge uma onda de depressão, o exercício pode parecer a última coisa que você deseja fazer. Mas um novo estudo diz que a atividade física pode ser crucial para se sentir melhor.

Muitos tipos de exercícios, incluindo caminhada, corrida, yoga, tai chi, aeróbico e treinamento de força, mostraram benefícios tão fortes quanto a terapia no tratamento da depressão, de acordo com o estudo publicado quarta-feira (14) na revista BMJ.

“A depressão afeta entre 10% e 25% das pessoas. Prejudica o bem-estar mais do que dívidas, divórcio ou diabetes”, disse por e-mail o principal autor do estudo, Michael Noetel, professor sênior da Escola de Psicologia da Universidade de Queensland, na Austrália.

“Ainda assim, apenas metade das pessoas com depressão recebe algum tratamento”.

Os pesquisadores analisaram dados de 218 estudos sobre exercício e depressão, envolvendo mais de 14 mil pessoas.

Embora houvesse risco de viés nos estudos, os benefícios do exercício para todo o corpo, juntamente com os dados que sugerem que ele ajuda no tratamento da depressão, constituem uma sólida opção de tratamento, disse Noetel.

Os resultados estão de acordo com o que muitos outros estudos disseram sobre os benefícios do exercício, disse o Dr. Adam Chekroud, professor assistente adjunto de psiquiatria na Escola de Medicina de Yale e cofundador do Spring Health, um serviço de saúde mental. Ele não participou desta pesquisa.

Um estudo de Chekroud de 2018 com mais de 1,2 milhão de norte-americanos mostrou que aqueles que se exercitavam relataram melhor bem-estar e saúde mental.

Ambos os estudos devem dar às pessoas a confiança de que o exercício é uma boa maneira de tratar a depressão, juntamente com outras opções, incluindo terapia e medicação, disse Chekroud.

“Nenhum desses tratamentos é uma solução milagrosa. Mas dado o quão debilitante é ter depressão, quase todos os pacientes deveriam receber exercícios e terapia”, disse Noetel.

Qualquer exercício é melhor que nenhum

O estudo constatou que mais exercícios e maior intensidade de treinamento eram melhores, mas não é necessário começar a treinar como um atleta profissional, de acordo com os dados.

“Não importava quanto as pessoas se exercitassem, em termos de sessões ou minutos por semana”, disse Noetel. “Também não importava quanto tempo durasse o programa de exercícios.”

A intensidade do exercício fez a maior diferença, mas até caminhar teve impacto, disse ele.

Qualquer exercício é melhor do que nenhum, mas Noetel recomendou adicionar alguns desafios.

“Inicialmente, pensamos que as pessoas com depressão talvez precisassem ‘aliviar a situação’. Descobrimos que era muito melhor ter um programa claro que visasse impulsioná-lo, pelo menos um pouco”, disse ele.

O problema da motivação

Muitas pessoas lutam para encontrar motivação para se exercitar, e adicionar depressão à mistura pode tornar ainda mais difícil começar.

Definir metas e monitorar atividades não pareceu ser útil nos estudos analisados ​​por Noetel.

“Em vez disso, penso que temos de nos submeter a uma sabedoria mais estabelecida sobre o que funciona”, disse ele, apontando para o apoio e a responsabilização.

Pode ser possível ingressar em um grupo de exercícios, contratar um treinador ou convidar um ente querido para passear com você, acrescentou Noetel.

“Tomar algumas medidas para obter esse apoio aumenta a probabilidade de você continuar”, disse ele. E se você gosta de musculação ou caminhada, é preciso tornar a atividade prazerosa para continuar.

“Seja gentil com seu futuro, tornando os exercícios tão fáceis e envolventes quanto possível, como comprar um audiolivro ou fazer um teste em um estúdio de ioga”, disse Noetel.

Quanto mais você gosta do seu treino, mais confiante ficará para superar os obstáculos do exercício, o que significa que maior será a probabilidade de você seguir um regime, de acordo com um estudo de 2015.

“Então, seja gentil consigo mesmo se for difícil; sempre esquecemos como é fácil para a vida atrapalhar os exercícios, então faça um plano alternativo como se sua felicidade dependesse disso… porque depende”, disse Noetel.

Fonte: CNN BRASIL

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE