Skip to content

O remédio acabou, mas a Cura estava programada!

Homem, vítima de doença crônica e incurável, experimenta o Milagre pela TV!

Por Adans Jefferson

A lembrança de que precisava trocar a antiga receita de seu remédio por uma nova fez Custódio suar frio: “O remédio acabou!” – percebeu. O jovem senhor, de óculos, esguio e calvo, há um ano conhecia o procedimento do qual se esquecera: todo mês, a antiga receita precisava ser levada à UBS (Unidade Básica de Saúde) para que, três dias depois, uma nova fosse entregue. Assim, ao custo de R$ 500,00, o tratamento contra a doença crônica que acometia sua perna esquerda continuava, com a medicação (que não consta das gratuidades do SUS) prescrita.

Por conta do lapso, sabia que, ao menos, três dias de sofrimento o aguardavam: “Eu não podia ficar, sequer um dia, sem o remédio, pois a dor voltava” – contou de cima do altar da Comunidade Cristã Paz e Vida, em São Mateus, bairro da cidade de São Paulo. Custódio, por falta de um diagnóstico preciso na Rede Pública, havia agendado uma consulta numa clínica particular. O agravamento dos sintomas já o havia levado a parar de andar. O médico foi enfático: “O problema do senhor é muito grave!” – noticiou. “Trata-se de uma doença crônica, cujo tratamento é contínuo e o acompanhará para o resto da vida”. Um nervo havia perdido a proteção natural e, agora, estava exposto, o que explicava as dores terríveis.

Devidamente diagnosticado, Custódio teve acesso às receitas para a medicação no SUS, economizando, assim, em novas consultas particulares; os remédios, no entanto, ficariam por sua conta. “Eram três comprimidos por dia; um pela manhã e dois à noite” – explicou. Pensou em buscar ajuda espiritual. Porém, como, literalmente, todo o mundo, foi surpreendido pela pandemia. “As igrejas fecharam; eu não tinha mais igreja para ir” – explicou.

Custódio fala sobre quando, ao acaso, depara com a pregação de Juanribe Pagliarin na TV. Ele curva a cabeça, fecha os olhos, suspira. Instantes passam em silêncio e, ao retomar o discurso, com os olhos marejados, a voz embarga: “A mensagem me tocou grandiosamente!” – confessou, emocionado. A programação diária da Paz e Vida passou a ser a igreja de Custódio e, exatamente 30 dias após começar a acompanhar as ministrações, percebeu que havia esquecido de trocar as receitas, e os comprimidos haviam acabado.

O mais rápido que pôde, foi à UBS para o procedimento da troca das receitas, já temendo as dores que certamente sentiria nos dias que ficaria sem a medicação. No entanto, o primeiro dia sem os comprimidos, surpreendentemente, foi vivido sem nenhuma dor, assim como o segundo e o terceiro. Já de posse da nova receita, Custódio decidiu não comprar o remédio. “E eu, que não podia passar um dia sem esses comprimidos que já sentia uma dor terrível, sabe há quanto tempo já estou sem?” – perguntou retoricamente. “Oito meses!” – respondeu triunfante

Radiante por ter recebido o milagre da cura de uma enfermidade crônica tida como incurável pela medicina, Custódio conta que o contato com o Evangelho e passar a ser membro da Paz e Vida lhe proporcionou muito mais: “Antes, eu, praticamente, havia desistido da vida. Hoje, eu vivo de verdade! Minha vida mudou da água para o vinho!”.

Custódio Gomes da Trindade
Testemunho colhido na Comunidade Cristã Paz e Vida de São Mateus – São Paulo – SP