Hoje tem Encontro Especial com o Pastor Giancarlo Pagliarin em São Paulo

Giancarlo Pagliarin, filho na fé e filho de sangue do Pastor Juanribe Pagliarin, vai trazer uma Palavra de fé hoje ao seu coração na Sede Nacional da Paz e Vida.

Escolha um dos horários e compareça: às 10 horas da manhã e às 7 da noite.

Anote o endereço: Avenida Cruzeiro do Sul, 1965, Santana, pertinho do Metrô Portuguesa-Tietê e com amplo estacionamento gratuito para carros e motos.

Venha encerrar o mês de janeiro com chave de ouro e com a bênção de Deus!

Por Pra. Daniela Porto

Juanribe Pagliarin prega hoje na Sede Estadual do Rio de Janeiro na Campanha de Oração: As 12 bênçãos do Monte Gerizim

Começa hoje em todas as unidades de Paz e Vida, a Campanha de Oração: As 12 Bênçãos do Monte Gerizim. Serão doze semanas de oração para doze meses de bênçãos. Se você quiser ter um ano bem-sucedido e guardado por Deus, participe desta campanha.

E hoje, em todas as nossas unidades, vamos declarar que você será bendito por onde passar e onde estiver.

Na Sede Estadual do Rio de Janeiro, na Vila da Penha, quem vai trazer a mensagem para alegrar o seu coração e te ensinar, é o Fundador e Presidente da Paz e Vida, Pastor Juanribe Pagliarin. Mas será somente na reunião em Santo Jejum, às 8 horas da manhã, na Avenida Vicente de Carvalho, 1121 – Vila da Penha.

Os encontros de Paz e Vida hoje acontecem no Brasil às 8h, 15h e 18h. E em Portugal, às 10h, 15h e 18h. Na Sede Nacional, em São Paulo, temos 5 reuniões: às 6h30, 8, 10, 15 e 18 horas.

Para mais endereços de Paz e Vida, acesse:  https://www.pazevida.org.br/enderecos

Participe conosco e tome posse das 12 Bênçãos do Monte Gerizim porque elas também são para você!

Por Pra. Daniela Porto

Juanribe Pagliarin ministra hoje no Congresso de Intercessão no Rio de Janeiro

Interceder, segundo o dicionário Houaiss, significa: “intervir (a favor de alguém ou de algo); pedir, rogar, suplicar”.

Quando você ora por seu filho, seu cônjuge, sua família, ou por um determinado motivo, você está intercedendo. A intercessão faz parte do viver cristão.

Por isto, venha hoje na Sede Estadual da Paz e Vida do Rio de Janeiro, e participe do Congresso de Intercessão.

Juanribe Pagliarin, Fundador e Presidente da Comunidade Cristã Paz e Vida, vai trazer uma palavra ao seu coração e te ensinar à luz do Evangelho.

A reunião acontece às 3 da tarde na Avenida Vicente de Carvalho, 1121 – Vila da Penha.

Venha com a sua família!

Por Pra. Daniela Porto

OMS se reúne nesta sexta para decidir se Covid-19 ainda é emergência mundial

O avanço da doença nos últimos dois meses e a baixa cobertura vacinal dos países preocupam diretor-geral da entidade.

O diretor-geral da OMS (Organização Mundial da Saúde), Tedros Adhanom, anunciou na última quarta-feira (24) que o Comitê de Emergência do Regulamento Sanitário Internacional se reunirá hoje para decidir se o problema da Covid-19 ainda constitui uma emergência mundial.

organização declarou em 30 de janeiro de 2020 a emergência de saúde pública de importância internacional e se reúne a cada três meses para reavaliar a situação.

No fim do ano passado, a agência sanitária afirmou ter a expectativa de que pudesse encerrar as emergências de Covid-19 e mpox neste ano.

Somados todos os países, foram constatados 669 milhões de casos da doença e mais de 67,8 milhões de mortos. Os dados mais recentes revelam uma média de 236.272 casos e 3.779 mortes nos últimos sete dias.

No Brasil, são mais de 36 milhões de casos e 696.603 mortes desde o início da pandemia. Os dados mais recentes, divulgados pelo Ministério da Saúde, mostram que a doença matou 3.938 pessoas em dezembro, com média de 131 a cada dia.

Para efeito de comparação, o câncer de pulmão é a causa de morte de 28 mil pessoas e gera quase 30 mil casos por ano no Brasil. No pico da Covid-19 no país, entre março e abril de 2021, chegaram a morrer mais de 3.000 pessoas por dia.

Segundo a plataforma Our World in Data, o Brasil é hoje o 21º país do mundo com o maior número de mortes por milhão de habitantes: 3.240.

A doença ainda está longe de ser um problema solucionado no país e no mundo, o que é motivo de preocupação da OMS.

A reunião do conselho, portanto, deverá avaliar a atual situação global da Covid, que teve alta no número de casos nos últimos meses, após a mudança da política de contenção do vírus na China.

Os números mais preocupam que aliviam a OMS, já que mais de 170 mil pessoas morreram nos últimos dois meses em decorrência do coronavírus no mundo. “Embora sem antecipar o conselho do Comitê de Emergência, continuo muito preocupado com a situação em muitos países e com o número crescente de mortes”, afirmou à imprensa o diretor-geral da OMS.

Ele ainda destacou que a condição é melhor que a de três anos atrás, quando a pandemia começou, mas a situação vacinal da população de vários países ainda preocupa.

“Embora estejamos claramente em melhor condição do que três anos atrás, quando essa pandemia nos atingiu pela primeira vez, a resposta coletiva global está mais uma vez sob tensão. Poucas pessoas — especialmente idosos e profissionais de saúde — estão vacinadas adequadamente. Muitas pessoas estão atrasadas em seus reforços”, complementou.

A avaliação do comitê não depende de critérios fixos e preestabelecidos, mas de uma interpretação dos especialistas de acordo com os dados mais recentes de números de casos, mortes, vacinas e novas variantes.

No Brasil, a aplicação de vacinas contra a Covid atingiu 501.218.047 doses, sendo 181,8 milhões de pessoas com a primeira dose, 164,4 milhões com a segunda dose, 5 milhões com dose única, 103,4 milhões com primeiro reforço e 41,4 milhões com segundo reforço, de acordo com dados do Ministério da Saúde.

*Estagiário do R7, sob supervisão de Ana Lúcia Vinhas

Fonte: R7

Como funcionam as vacinas bivalentes contra a Covid-19 que serão aplicadas no Brasil

Campanha de vacinação começará em fevereiro, como estratégia de reforço para grupos prioritários.

O Ministério da Saúde anunciou que as vacinas bivalentes contra a Covid-19 começarão a ser aplicadas no país a partir de fevereiro. A campanha de imunização será voltada para públicos prioritários como estratégia de reforço (veja a lista aqui).

As vacinas bivalentes contam com cepas atualizadas contra o coronavírus, incluindo a proteção contra a variante Ômicron. Os imunizantes foram aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em novembro de 2022. Os primeiros lotes de vacinas bivalentes chegaram ao país em dezembro.

São dois tipos de vacinas diferentes:

Bivalente BA.1 – protege contra a variante original e também contra a variante Ômicron BA1;

Bivalente BA.4/BA.5 – protege contra a variante original e também contra a variante Ômicron BA.4/BA.5.

Como funcionam as vacinas bivalentes

As vacinas bivalentes são identificadas por tampa na cor cinza. Cada frasco possui seis doses e a vacina não deve ser diluída. O uso é indicado para a população a partir de 12 anos de idade como vacinação de reforço.

A Anvisa aponta que as doses devem ser aplicadas a partir de três meses após a série primária de vacina ou reforço anterior. As doses tem prazo de validade de 12 meses, quando estocadas de -80°C a -60°C ou de -90°C a -60°C. Além disso, podem ser armazenadas em geladeira, entre 2°C e 8°C, por um único período de até dez semanas, não excedendo a data de validade original.

A vacina da Pfizer bivalente BA.1 está aprovada em pelo menos 35 países. Já a versão bivalente BA.4/BA.5 está aprovada em 33 países, como Canadá, Japão, Reino Unido, Estados Unidos, Austrália e Singapura, entre outros, além da União Europeia.

Na reunião da Anvisa que definiu a aprovação, a diretora relatora Meiruze Freitas explicou que o objetivo do reforço com a vacina bivalente é expandir a resposta imune específica à variante Ômicron e melhorar a proteção da população.

“Entretanto, as pessoas, principalmente os grupos de maior risco, não devem atrasar sua vacinação de dose de reforço já planejada para esperar o acesso à vacina bivalente, pois todas as vacinas de reforço aprovadas ajudam a melhorar a proteção contra casos graves e morte por Covid-19”, afirmou a diretora da Anvisa.

Segundo a Pfizer, a finalidade do reforço com a vacina bivalente de RNA mensageiro (mRNA) é conferir uma maior proteção frente às variantes Ômicron, consideradas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como variantes de preocupação, quando comparada à sua versão monovalente atualmente registrada no país.

Ampla resposta imunológica

reforço com a vacina bivalente da Pfizer contra a Covid-19, que também contempla as sublinhagens BA.4 e BA.5 da Ômicron, apresenta resposta imune significativamente superior em comparação com a vacinação com o imunizante original da farmacêutica. As informações foram divulgadas pela Pfizer em novembro.

Segundo o comunicado, dados atualizados de um ensaio clínico de fases 2 e 3 demonstraram uma resposta imune neutralizante robusta um mês após uma dose de reforço da vacina bivalente. A imunidade gerada foi acompanhada de um perfil de segurança e tolerabilidade semelhante entre as duas vacinas.

O desenvolvimento de vacinas atualizadas busca contemplar as mutações sofridas pelo coronavírus ao longo da pandemia. A primeira geração de vacinas foi desenvolvida a partir da cepa original do vírus, que circulava no início da pandemia, em 2020.

“Esses resultados reforçam os dados clínicos iniciais relatados anteriormente medidos 7 dias após uma dose de reforço da vacina bivalente, bem como os dados pré-clínicos, e sugerem que uma dose de reforço de 30 µg da vacina bivalente adaptada pode induzir um nível mais alto de proteção contra as sublinhagens BA.4 e BA.5 da Ômicron do que a vacina original”, diz o comunicado.

“À medida que nos aproximamos da temporada de festas de fim de ano, esperamos que esses dados atualizados incentivem as pessoas a procurar um reforço bivalente da Covid-19 assim que forem elegíveis, a fim de manter altos níveis de proteção contra as sublinhagens BA.4 e BA.5 da Ômicron amplamente circulantes”, disse Albert Bourla, presidente e CEO da Pfizer.

“Esses dados atualizados também fornecem confiança na adaptabilidade de nossa plataforma de mRNA e nossa capacidade de atualizar rapidamente a vacina para corresponder às cepas mais prevalentes a cada temporada”, completa.

Para as análises, os amostras de soro foram coletadas antes e um mês após a administração de uma dose de reforço de 30 µg (quarta dose) da vacina bivalente adaptada.

Um subconjunto de indivíduos, uniformemente estratificado entre aqueles que tinham evidência de infecção prévia pelo SARS-CoV-2 e aqueles que não tinham, foi selecionado para idades de 18 a 55 anos e acima de 55 anos. Para comparação, foi selecionado aleatoriamente um grupo de participantes com mais de 55 anos que receberam uma dose de reforço da vacina original em estudos anteriores.

Os participantes que receberam a vacina bivalente tiveram sua dose de reforço anterior aproximadamente 10 a 11 meses antes, enquanto aqueles que receberam a vacina original tiveram sua dose de reforço anterior aproximadamente 7 meses antes. Apesar dessa diferença, os títulos de anticorpos pré-reforço foram semelhantes para ambos, segundo a Pfizer.

Entre a população geral do estudo que recebeu a vacina bivalente adaptada, houve um aumento substancialmente maior nos títulos de anticorpos neutralizantes contra as sublinhagens Ômicron em comparação com os níveis pré-reforço. Por outro lado, os participantes com mais de 55 anos de idade que receberam uma dose de reforço da vacina original tiveram uma resposta de anticorpos neutralizantes mais baixa contra as sublinhagens BA.4 e BA.5, medida um mês após o reforço.

Importância das vacinas monovalentes

O surgimento de variantes do coronavírus levou à redução da eficácia das vacinas monovalentes contra infecções sintomáticas, mas essas vacinas ainda mantêm a efetividade contra a doença na forma grave e óbitos, desde que sejam tomadas as doses conforme a recomendação do Ministério da Saúde.

Os estudos de acompanhamento das vacinas indicam que as doses de reforço de vacinas monovalentes restauraram uma proteção contra desfechos graves associados à Ômicron.

Essa proteção diminuiu ao longo do tempo com algumas diferenças relacionadas à idade, e particularmente durante um período de predominância da subvariante BA.4/BA.5.

Fonte: CNN BRASIL

Núcleo da Terra parou de girar e pode se inverter, sugere estudo

Saber como o núcleo interno gira pode esclarecer processos nas profundezas do planeta.

A rotação do núcleo interno da Terra pode ter parado e pode até girar ao contrário, sugere uma nova pesquisa.

A Terra é formada pela crosta, pelo manto e pelos núcleos interno e externo. O núcleo interno sólido está situado a cerca de 5.100 quilômetros abaixo da crosta terrestre e é separado do manto semissólido pelo núcleo externo líquido, que permite que o núcleo interno gire a uma velocidade diferente da rotação da própria Terra.

Com um raio de quase 3.500 quilômetros, o núcleo da Terra tem aproximadamente o tamanho de Marte. Consiste principalmente de ferro e níquel e contém cerca de um terço da massa da Terra.

Em pesquisa publicada na revista Nature Geoscience na segunda-feira (23), Yi Yang, cientista da Universidade de Pequim, e Xiaodong Song, professor catedrático da Universidade de Pequim, estudaram ondas sísmicas de terremotos que passaram pelo núcleo interno da Terra ao longo de caminhos semelhantes desde a década de 1960 até inferir o quão rápido o núcleo interno está girando.

As descobertas foram inesperadas, eles disseram. Desde 2009, os registros sísmicos, que antes mudavam ao longo do tempo, mostraram pouca diferença. Isso, disseram eles, sugeria que a rotação do núcleo interno havia parado.

“Mostramos observações surpreendentes que indicam que o núcleo interno quase cessou sua rotação na última década e pode estar passando por um retrocesso”, escreveram no estudo.

“Quando você olha para a década entre 1980 e 1990, vê uma mudança clara, mas quando observa de 2010 a 2020, não vê muita mudança”, acrescentou Song.

A rotação do núcleo interno é impulsionada pelo campo magnético gerado no núcleo externo e equilibrada pelos efeitos gravitacionais do manto. Saber como o núcleo interno gira pode esclarecer como essas camadas interagem e outros processos nas profundezas da Terra.

No entanto, a velocidade dessa rotação, e se ela varia, é debatida, disse Hrvoje Tkalcic, geofísico da Universidade Nacional Australiana, que não participou do estudo.

“O núcleo interno não para completamente”, disse ele. A descoberta do estudo, disse, “significa que o núcleo interno está agora mais sincronizado com o resto do planeta do que há uma década, quando girava um pouco mais rápido”.

“Nada cataclísmico está acontecendo”, acrescentou.

Song e Yang argumentam que, com base em seus cálculos, um pequeno desequilíbrio nas forças eletromagnética e gravitacional poderia diminuir e até mesmo reverter a rotação do núcleo interno. Eles acreditam que isso faz parte de um ciclo de sete décadas, e que a virada anterior àquela que detectaram em seus dados por volta de 2009/2010 ocorreu no início dos anos 1970.

Tkalcic, autor de “The Earth’s Inner Core: Revealed by Observational Sismology”, disse que a “análise de dados do estudo é sólida”. No entanto, as descobertas do estudo “devem ser entendidas com cautela”, pois “são necessários mais dados e métodos inovadores para esclarecer esse problema interessante”.

Song e Yang concordaram que mais pesquisas são necessárias.

Estudando o núcleo da Terra

Tkalcic, que dedica um capítulo inteiro de seu livro à rotação do núcleo interno, sugeriu que o ciclo do núcleo interno ocorre a cada 20 a 30 anos, em vez dos 70 propostos no estudo mais recente. Ele explicou por que tais variações ocorrem e por que é tão difícil entender o que acontece no interior do planeta.

“Os objetos de nossos estudos estão enterrados milhares de quilômetros sob nossos pés”, disse ele.

“Usamos métodos de inferência geofísica para estimar as propriedades internas da Terra, e deve-se ter cautela até que descobertas multidisciplinares confirmem nossas hipóteses e estruturas conceituais”, explicou ele.

“Você pode pensar nos sismólogos como médicos que estudam os órgãos internos dos corpos dos pacientes usando equipamentos imperfeitos ou limitados. Portanto, apesar do progresso, nossa imagem do interior da Terra ainda está embaçada e ainda estamos no estágio de descoberta”.

Fonte: CNN BRASIL

O que é o Relógio do Juízo Final e o que acontece quando ele marcar meia-noite

O “Doomsday Clock” funciona há 76 anos e tenta calcular quão perto a humanidade está do apocalipse.

O Relógio do Juízo Final, também conhecido como “Doomsday Clock”, está funcionando há 76 anos. Mas esse não é um relógio qualquer. Ele tanta avaliar o quão perto a humanidade está de destruir o mundo.

Após 2022, o relógio foi acertado em 100 segundos para a meia-noite; a mesma hora de 2020.

O relógio não foi projetado para medir categoricamente as ameaças existenciais, mas sim para iniciar conversas sobre temas científicos difíceis, como as mudanças climáticas, de acordo com o Bulletin of Atomic Scientists, que criou o relógio em 1947.

“Cem segundos para a meia-noite refletem o julgamento do Conselho de que estamos em um momento perigoso, que não traz estabilidade nem segurança. Os desenvolvimentos positivos de 2021 não conseguiram compensar as tendências negativas de longo prazo”, disse Sharon Squassoni, copresidente do Conselho de Ciência e Segurança do Bulletin, que define a hora do relógio.

Squasson também é professora pesquisadora no Instituto de Política Internacional de Ciência e Tecnologia da Universidade George Washington.

O que é o Relógio do Juízo Final?

O Bulletin of Atomic Scientists foi um grupo de cientistas atômicos que trabalharam no Projeto Manhattan, o codinome para o desenvolvimento da bomba atômica durante a Segunda Guerra Mundial.

Originalmente, o relógio pretendia medir ameaças nucleares, mas em 2007 o Bulletin decidiu incluir as mudanças climáticas em seus cálculos.

Nos últimos três quartos de século, o tempo no relógio mudou, dependendo de quão perto os cientistas acreditam que a raça humana está da destruição total. Em alguns anos o tempo muda e outros não.

O Relógio do Juízo Final é definido a cada ano por especialistas do Conselho de Ciência e Segurança do Bulletin em consulta com seu Conselho de Patrocinadores, que inclui 11 ganhadores do Prêmio Nobel.

Embora o relógio tenha sido um alerta eficaz para lembrar as pessoas das crises em cascata que o planeta enfrenta, alguns questionaram a utilidade do relógio de 75 anos.

Lawrence Krauss, um ex-membro do Conselho de Patrocinadores do Bulletin, disse que, embora o tempo tenha passado desde que o relógio começou a contar, tem sido difícil levar os resultados a sério, já que nas últimas décadas chegou perigosamente perto do fim da civilização.

Como físico teórico, Krauss tem se preocupado com a forma como o relógio é avaliado e determinado hoje. Todos os anos, disse ele, quando o relógio se aproxima da meia-noite de forma alarmante, os cientistas precisam medir quanto “espaço” disponível resta antes de decidir quanto mais o relógio deve se mover.

“Agora o relógio se move em segundos, antes eram minutos”, disse Krauss à CNN. “É claro que não é uma avaliação científica quantitativa, mas qualitativa. O que sempre foi importante é o movimento do relógio, não seu valor absoluto”.

O que acontece se o relógio chegar à meia-noite?

O relógio nunca chegou a bater meia-noite, e Rachel Bronson, presidente e CEO do Bulletin, espera que isso nunca aconteça.

“Quando o relógio bate meia-noite, significa que ocorreu algum tipo de troca nuclear ou mudança climática catastrófica que acabou com a humanidade”, diz. “Portanto, não queremos chegar lá e não saberemos quando chegaremos”.

Quão preciso é o relógio?

O horário do relógio não pretende medir ameaças, mas sim estimular conversas e promover o engajamento público em questões científicas, como mudança climática e desarmamento nuclear. Se o relógio for capaz de fazer isso, Bronson já o considera um sucesso.

Quando um novo horário é definido no relógio, as pessoas ouvem, disse ele. Em 2021, durante as negociações climáticas da COP26 em Glasgow, o então primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, citou o Relógio do Juízo Final ao discutir a crise climática que o mundo enfrenta, observou Bronson.

Bronson disse que espera que as pessoas discutam se concordam com sua decisão e tenham conversas frutíferas sobre quais são as forças motrizes da mudança.

Ainda é possível fazer retroceder o relógio com ações ousadas e concretas. Na verdade, os ponteiros se afastaram antes da meia-noite, chegando a 17 minutos antes da meia-noite em 1991, quando o governo do presidente George H.W. Bush assinou o Tratado de Redução de Armas Estratégicas com a União Soviética.

Em 2016, o relógio marcava três minutos para a meia-noite como resultado do acordo nuclear com o Irã e do acordo climático de Paris.

O que um indivíduo pode fazer para voltar o tempo no relógio?

Não subestime o poder de discutir essas questões importantes com seus colegas, disse Bronson. “Você pode não sentir porque não está fazendo nada, mas sabemos que o engajamento público move [um] líder a fazer coisas”, disse ele.

Quando se trata de mudanças climáticas, observe seus hábitos diários e veja se há pequenas mudanças que você pode fazer em sua vida, como caminhar com mais frequência em vez de dirigir e o que você usa para manter sua casa aquecida, explicou Bronson.

Fonte: CNN BRASIL

Jesus tem todo poder!

Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo, o Parakletos tem todo poder nos céus e na Terra. Pode ser que você já tenha tentado de tudo, conhecido e praticado diversas religiões e filosofias de vida, buscado em diversas portas… Existe uma Porta e um Pastor de ovelhas te esperando logo ali na Paz e Vida. E Ele quer que você confie, de todo o seu coração, porque aquilo que para você é impossível, para Ele não é. Existe uma saída para você.

Venha hoje em uma de nossas reuniões de Cura Divina e Libertação e deixe Jesus fazer por você aquilo que você vê como impossível!

Nossas reuniões hoje são às 9, 15 e 19h nas nossas Igrejas no Brasil e em Portugal, às 9h, 15h e 20h!

Acesse: pazevida.org.br/enderecos e veja nossos endereços!

Deixe Jesus cuidar de você de verdade aqui na Paz e Vida!

Por Pra. Daniela Porto

Quinta da Visão com Bianca Pagliarin: hoje na Sede Nacional da Paz e Vida

Quantas vezes você já se pegou perdido no meio do caminho, rumo ao seu objetivo? Ou, quantas vezes, o que te falta é ânimo para prosseguir porque a batalha está muito dura?

É nesse momento que você precisa receber uma palavra de ânimo, fé e perseverança para continuar e não desanimar.

Bianca Pagliarin vai te ajudar neste processo! Venha hoje, às 7 da noite e receba estratégias do Alto para tocar o seu projeto de vida.

Venha na Sede Nacional da Paz e Vida, na Avenida Cruzeiro do Sul, 1965 – Santana – São Paulo, com amplo estacionamento gratuito e departamento infantil funcionando para receber os seus filhos.

Imperdível!

Pra. Daniela Porto

Paz: o segundo sinal do Fruto do Espírito Santo na sua vida

Segundo o dicionário, paz é definida como: “relação tranquila entre cidadãos; ausência de problemas, de violência; estado de espírito de uma pessoa que não é perturbada por conflitos ou inquietações.”

Todos os aspectos da sua vida estão em paz ou alguma coisa te deixa inquieto neste exato momento?

Tome uma atitude de fé e participe da Campanha de Oração: Os 9 sinais do Fruto do Espírito Santo e venha aprender hoje com o Príncipe da Paz, Jesus, o que é a paz que excede todo conhecimento humano.

As reuniões acontecem às 9, 15 e 19 horas, no Brasil. Em Portugal, o horário é às 9, 15 e 20 horas.

E se você quer saber os nossos endereços, clique aqui.

Jesus, o Príncipe2 da Paz vai trazer paz para você!!

Por Pra. Daniela Porto