Mortes no terremoto na Turquia e na Síria passam dos 35 mil; ONU diz que buscas podem estar chegando ao fim

Tremor completou uma semana, e, embora trabalhos de busca estejam mais lentos, sobreviventes ainda são encontrados.

O número de vítimas fatais do violento terremoto de 6 de fevereiro na Turquia e na Síria chegou a 35.225, de acordo com os dados oficiais atualizados nesta segunda-feira (13).

O terremoto de 7,8 graus de magnitude provocou 31.643 mortes no sul da Turquia, informou a Autoridade de Gestão de Desastres e Emergências (AFAD). As autoridades sírias registraram 3.581 mortos na Síria.

Também nesta segunda-feira, a Organização das Nações Unidas (ONU) disse que, a partir de agora, a tendência é que a busca por sobreviventes esteja chegando ao fim. Agora, disse a ONU, o foco deve ser voltar a garantir abrigo e condições básicas aos sobreviventes e desabrigados.

Ainda assim, nesta madrugada uma menina de quatro anos e uma mulher foram resgatadas com vida após uma semana debaixo dos escombros.

Fase mais lenta de resgate

Os esforços de resgate entraram em uma fase mais lenta, e as populações dos dois países têm discutido quem são os culpados pela falta de trabalhadores especializados nesse tipo de tarefa.

A Justiça da Turquia afirmou que está iniciando processos judiciais contra 130 pessoas que, supostamente, participaram de incorporações de imóveis que foram construídos com má qualidade e de forma ilegal, sem observar as regras de engenharia que os tornariam mais resistentes a tremores de terra.

A Turquia tem códigos de construção que atendem aos padrões atuais de engenharia sísmica, mas esses raramente são aplicados. Essa é uma das razões por que milhares de prédios caíram de lado ou desabaram sobre os residentes.

O ministro da Justiça da Turquia, Bekir Bozdag, disse no domingo que 134 pessoas estão sendo investigadas por sua suposta responsabilidade na construção de edifícios que não resistiram aos terremotos, segundo a agência de notícias estatal turca Anadolu.

Ele disse que três pessoas foram presas enquanto aguardam julgamento, sete foram detidas e outras sete foram impedidas de deixar o país.

Bozdag prometeu punir qualquer um dos responsáveis, e os promotores começaram a coletar amostras de edifícios para testar os materiais usados nas construções. Os terremotos foram fortes, mas vítimas, especialistas e pessoas em toda a Turquia estão culpando a má construção por multiplicar a devastação.

Fonte: G1

Aparição de objetos voadores influencia relação entre EUA e China? Entenda

Segundo analistas, os dois países têm fortes motivos para administrar divergências e questão agora é quando ambos encontrarão caminho de volta às negociações.

A presença de objetos voadores sobre o espaço aéreo da América do Norte tem chamado a atenção das autoridades mundiais e da população em geral.

No início do mês, os Estados Unidos derrubaram um suposto balão espião de origem chinesa que sobrevoava a costa da Carolina do Sul. Entre sexta-feira (10) e o último domingo (12), três objetos voadores não identificados foram derrubados nos Estados Unidos e no Canadá. Até a noite de domingo, não havia confirmação se a China tinha relação com os eventos.

Diante desses fatos, há uma incerteza em relação ao futuro das relações diplomáticas entre Estados Unidos e China.

No dia 3 de fevereiro, o secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, anunciou o adiamento de sua viagem naquele fim de semana à China devido à presença do balão.

Quando Blinken, cancelou sua viagem a Pequim, ele escolheu as palavras com cuidado. O lançamento de um balão espião feito pela China em um voo de alta altitude sobre os Estados Unidos foi inaceitável e irresponsável, disse ele. Mas estava apenas adiando, e não cancelando, sua visita.

Uma semana depois, o balão da China foi derrubado. a viagem continua sem nova programação e a derrubada dos objetos voadores entre sexta e domingo levantou questionamentos sobre se um adversário havia enviado mais espiões ao espaço aéreo norte-americano.

Ainda assim, dizem os analistas, os dois países têm fortes motivos para administrar suas divergências. A questão agora é quando, não se, eles encontrarão o caminho de volta à mesa de negociações.

“O secretário Blinken falou sobre adiar a viagem, não cancelá-la ou encerrar todas as comunicações previsíveis de alto nível com o governo chinês”, disse o conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, Jake Sullivan, na semana passada. “Isso não vai acontecer.”

A China quer reviver sua economia, ainda se recuperando da política esmagadora de “Covid zero”. Para tanto, o presidente chinês, Xi Jinping, espera melhorar as relações que atingiram um nível perigoso em agosto com a visita a Taiwan da então presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi, e persuadir os legisladores americanos a não impor novas regras destinadas a frustrar os esforços da China para produzir semicondutores avançados.

E enquanto os observadores dos EUA tinham poucas esperanças para a viagem de Blinken à China, diplomatas dizem que uma visita de alto nível é necessária para colocar uma “base” no relacionamento e fazer progressos em questões que vão desde o fentanil chinês até os americanos detidos no país.

Diálogo impactado

Reiniciar as conversas entre Estados Unidos e China não será fácil. O voo do balão chinês causou indignação em Washington, com políticos criticando os militares dos EUA e o presidente, Joe Biden, por não derrubá-lo quando o objeto entrou no espaço aéreo americano.

O Ministério das Relações Exteriores da China reagiu com raiva às alegações de espionagem feitas por Washington, dizendo que o balão era uma nave de pesquisa civil e acusando os Estados Unidos de hipocrisia.

O Pentágono disse na semana passada que a China recusou um pedido dos EUA para um telefonema entre o secretário de Defesa, Lloyd Austin, e o ministro da Defesa chinês, Wei Fenghe.

No entanto, isso não significa que a reaproximação possa não acontecer.

“Embora seja muito comum que os chineses se recusem a se envolver no canal militar-militar quando é mais necessário –em uma crise– isso não significa que os chineses desistiram de seu esforço para ganhar tempo acalmando as relações com os EUA e o Ocidente”, disse Daniel Russel, o principal diplomata dos EUA para o Leste Asiático durante o governo do ex-presidente Barack Obama.

Os líderes dos Estados Unidos também disseram que os canais de comunicação devem permanecer abertos, mesmo chamando o episódio de violação da soberania dos EUA, informando dezenas de países sobre o que dizem ser um programa global de vigilância chinesa e adicionando seis entidades chinesas a uma lista negra de comércio.

Biden disse que o balão precisava ser derrubado, mas minimizou tanto a ameaça à segurança quanto o impacto nas relações EUA-China.

Na quinta-feira (9), ele disse que o incidente não foi uma grande violação de segurança, observando que “a quantidade total de coleta de inteligência que está acontecendo em todos os países do mundo é esmagadora”.

Tensão e erros

Em entrevista à CNN neste domingo (12), o professor de relações internacionais da ESPM Gunther Rudzit disse que a tensão entre os dois países está muito alta e que ainda é cedo demais para atribuir todas as responsabilidades.

Sobre o balão chinês abatido, o especialista não descarta, inclusive, a possibilidade de um erro interno.

“Mesmo o governo chinês não é uma máquina computacional infalível que tem o controle de tudo. Existe a possibilidade de que um dos ramos das Forças Armadas chinesas responsável por essa área de ‘controle meteorológico’ utilizando esses equipamentos tenha enviado esse balão sem que realmente o governo central tivesse conhecimento. Isso não é novidade. Nem todo governo consegue controlar todos os seus ramos”, disse Rudzit.

Uma chance às conversas

Com exceção de uma visita de alto nível, há oportunidades para a diplomacia. Em um relatório de Berlim, o portal “Politico” citou diplomatas dizendo que o principal diplomata da China, Wang Yi, com quem Blinken se encontraria em Pequim, participaria da Conferência de Segurança de Munique deste ano, marcada para 17 a 19 de fevereiro.

Blinken também comparecerá ao evento, embora nenhum dos lados tenha dito que os dois podem se encontrar lá.

Outra chance será uma viagem à China da secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen. Na quarta-feira, Yellen disse que ainda espera ir à China, sem dar detalhes sobre o cronograma, e o ministério do comércio da China disse na quinta-feira que acolheu a disposição dela de realizar a visita.

Embora úteis, essas reuniões só podem preparar o terreno para o diálogo profundo e de alto nível necessário para fortalecer os laços.

Blinken pode se encontrar com os chineses em Munique ou na reunião dos ministros das Relações Exteriores do G20, na Índia, em março, mas ele precisa visitar Pequim e se encontrar cara a cara com Xi Jinping para garantir que mensagens sobre questões espinhosas como Taiwan e Rússia sejam transmitidas, disse Russel.

As novas restrições dos Estados Unidos às empresas chinesas e o desejo anunciado do presidente do Comitê Republicano da Câmara, Mike McCaul, de visitar em abril Taiwan, a ilha reivindicada pelos chineses, “podem ser a gota d’água” de tais esforços, acrescentou.

Bonnie Glaser, especialista em Ásia, do German Marshall Fund dos Estados Unidos, alertou que as pressões domésticas em ambos os países podem significar que é muito cedo para qualquer um dos lados se reaproximar.

“Os chineses não querem parecer fracos e provavelmente não querem admitir que mentiram (sobre o balão). O presidente Biden também está sob pressão dos republicanos no Congresso, que insistem que o balão deveria ter sido derrubado antes”, disse Glaser.

EUA e Canadá não estão sozinhos

Após forças dos Estados Unidos e Canadá identificarem objetos voadores sobrevoando seus territórios, desta vez as autoridades de China e Uruguai relataram que encontraram objetos não identificados perpassando os céus dos países.

A própria China informou neste domingo (12) que identificou um objeto voador não identificado próximo à cidade de Rizhao, na costa leste do país, segundo informações do jornal estatal chinês “Global Times”.

Já o Uruguai comunicou que foram relatadas imagens de luzes atípicas no céu das Termas de Almirón, próximo à cidade de Paysandú, e que uma divisão de investigação já foi acionada para apurar os fatos.

Até o momento, não foram divulgados detalhes sobre os objetos encontrados em ambos os países.

(Com informações da Reuters e da CNN Internacional. Publicado por Pedro Zanatta)

Fonte: CNN BRASIL

Camada de rocha derretida é encontrada sob placas tectônicas da Terra

Camada recém-identificada está localizada a 161 quilômetros abaixo da superfície terrestre; descoberta pode ajudar nos estudos sobre terremotos.

Pesquisadores detectaram uma camada desconhecida de rocha parcialmente derretida sob a crosta terrestre.

A descoberta pode ajudar os cientistas a aprender mais sobre os movimentos das placas tectônicas da Terra, que não apenas criam montanhas e terremotos, mas também contribuem para formar ambientes com as condições químicas e físicas certas para sustentar a vida na Terra primitiva.

A camada mais externa do nosso planeta é a crosta – na qual vivemos – e abaixo dela estão o manto, o núcleo externo e o núcleo interno. Os oceanos e continentes do mundo ficam em 15 blocos principais que se movem e mudam, chamados de placas tectônicas, que compõem a crosta inferior e o manto superior.

A camada derretida recém-identificada está localizada a 161 quilômetros abaixo da superfície da Terra. Esta camada é uma parte da astenosfera, que fica abaixo das placas tectônicas. A astenosfera existe como uma camada macia de rocha sólida, mas maleável, que pode fazer com que as placas tectônicas se movam e se desloquem.

Os pesquisadores se perguntam quais fatores tornam a astenosfera macia e consideram as rochas derretidas como parte da equação. Embora o interior da Terra seja em grande parte sólido, as rochas podem mudar e se mover lentamente ao longo do tempo.

Junlin Hua, pós-doutorando na Jackson School of Geosciences da Universidade do Texas, em Austin, estava estudando imagens sísmicas do manto da Terra localizado abaixo da Turquia para sua pesquisa de doutorado quando avistou sinais de rocha parcialmente derretida. Ele começou seu trabalho em 2020, enquanto estudante de doutorado na Brown University.

Os cientistas já haviam visto partes dessa camada rochosa e pensaram que fosse uma anomalia, mas Hua e seus colegas pesquisadores encontraram evidências de que ela tinha uma presença mais ampla.

A equipe de pesquisa confirmou que a astenosfera é composta por rochas sólidas e derretidas e que, embora a rocha posteriormente esteja parcialmente fundida, ela não contribui para o movimento das placas nem facilita o movimento delas.

“Quando pensamos em algo derretendo, pensamos intuitivamente que o fundido deve desempenhar um papel importante na viscosidade do material”, disse Hua. “Mas o que descobrimos é que, mesmo onde a fração derretida é bastante alta, seu efeito no fluxo do manto é muito menor”.

No manto, a convecção, ou a transferência de calor, ocorre quando o material quente e menos denso sobe e o material mais frio e denso desce. Os pesquisadores acreditam que a presença de rochas sólidas e a convecção contribuem para o movimento das placas.

Análise da atividade sísmica

O principal desafio de estudar as camadas internas da Terra é coletar os dados porque a maioria só pode ser coletada na superfície e é difícil coletar amostras diretamente do interior do planeta, disse Hua.

“Portanto, os cientistas têm usado ondas sísmicas geradas por terremotos que viajam pelo interior da Terra para estudar a velocidade de propagação das ondas sísmicas nessas camadas internas, semelhantes às tomografias computadorizadas no hospital”, disse Hua.

Ele coletou mais de 700 imagens tiradas de detectores sísmicos em todo o mundo e criou um mapa global da astenosfera.

Ao analisar os dados, Hua viu como as ondas sísmicas se moviam através dos diferentes materiais abaixo da crosta terrestre, incluindo mudanças na velocidade, direção e tempo de chegada aos locais de detecção. A presença de fusão na camada parcialmente fundida significava que as ondas sísmicas se moviam mais lentamente.

A rocha derretida apareceu em leituras sísmicas em áreas onde a astenosfera atingiu suas temperaturas mais altas, cerca de 1.450 graus Celsius.

Hua é o principal autor de um estudo detalhando as descobertas publicadas na segunda-feira na revista Nature Geoscience.

“Este estudo é fundamental para entender por que a astenosfera – a camada fraca do manto abaixo das placas tectônicas que permite que as placas se movam – é de fato fraca”, disse a coautora do estudo Karen M. Fischer, uma ilustre professora de ciências geológicas na Brown University, em nota.

“Em última análise, fornece evidências de que outros fatores, como variações de temperatura e pressão, podem controlar a força da astenosfera e torná-la fraca o suficiente para que as placas tectônicas sejam possíveis”.

Fonte: CNN BRASIL

Esses são os 4 alimentos que mais engordam, segundo um estudo

O que não mata engorda mas no quesito ganho de peso, alguns alimentos são mais perigosos que outros e, se você comê-los, pode acabar facilmente ganhando uns quilinhos a mais.

Esses 4 alimentos foram selecionados em um estudo publicado no New England Journal of Medicine, porque estiveram mais diretamente ligados ao ganho de peso. O estudo investigou os hábitos alimentares de cerca de 120.000 voluntários durante um período de 20 anos.

Esses são os 4 alimentos que você deve tentar reduzir ao máximo.

Batatas fritas

Parece que tudo que é frito é mais gostoso. E, também, mais calórico.

Batatas fritas, por exemplo, ou aqueles chips/salgadinhos industrializados também são os mais calóricos e com maior teor de gordura, pois acabam por conter mais óleo e mais sal. Tente comê-los o mínimo possível! Evite qualquer tipo de fritura se desejar manter o peso. É tentador mas além de engordar, fritura não faz muito bem à saúde.

Bebidas açucaradas

Refrigerantes nem pensar! Essas bebidas são bombas com elevadas percentagens de açcúcar, muitas vezes maior, em proporção, do que se pode encontrar numa sobremesa, por exemplo.

E não é apenas isso, refrigerantes não matam a sede, não vai saciá-lo e a tendência é sempre consumir mais. Suco natural é muito melhor, seu organismo agradece.

Carnes

Mais um motivo para deixar de comer carne vermelha e outros derivados de animais: eles engordam.

Carnes vermelhas e carnes processadas (salsicha, salame, presunto, mortadela, etc), contêm percentagens consideráveis de gordura e sal.

Prefira alimentos coloridos e frescos, que não sejam pesados como a carne, que sejam  saudáveis para manter o copo com energia e leveza.

Batatas

Mesmo que não sejam fritas, as batatas, tanto a inglesa e quanto a doce, quanto outros tipos de batata, podem engordar.

Claro que elas também contêm muitas propriedades e benefícios para a saúde, mas com certeza são um dos legumes mais calóricos usados ​​como acompanhamento que você pode encontrar por aí.

Você não precisa eliminar as batatas de sua dieta, mas limitar a frequência com que as come.

E lembre-se: melhor cozido e com pouco tempero do que frito.

Quer evitar o ganho de peso? Evite comer em excesso os alimentos acima mencionados. Ao final são apenas 4! Pense nos tantos outros que não estão na lista.

O estudo Changes in Diet and Lifestyle and Long-Term Weight Gain in Women and Men pode ser lido aqui.

Fonte: ohga.it

Hoje tem Encontro Especial com Santa Ceia ministrada pelo Pastor Juanribe Pagliarin em São Paulo

Se tem uma coisa que você deve fazer hoje e não adiar mais é vir participar do Encontro Especial com Juanribe Pagliarin hoje na Sede Nacional da Paz e Vida. O fundador e presidente do ministério está cheio de fé para liberar uma palavra do Alto para você.

A reunião acontece em dois horários: às 10 horas da manhã e às 7 horas da noite. A Santa Ceia do Senhor Jesus será ministrada nos dois encontros e na reunião da noite, além da Santa Ceia, também acontece a Reunião Geral de Líderes Espirituais com videotransmissão para todas as Sedes Estaduais de Paz e Vida.

Anote o endereço: Avenida Cruzeiro do Sul, 1965, Santana, pertinho do Metrô Portuguesa-Tietê e com amplo estacionamento gratuito para carros e motos.

Quem é salvo não perde a Santa Ceia!

Por Pra. Daniela Porto

Hoje acontece a reunião mais importante do mês: a Santa Ceia do Senhor Jesus!

É hoje a reunião mais importante do mês: a Santa Ceia do Senhor Jesus em todas as nossas unidades. Hoje é dia de celebrar o Único e Verdadeiro Deus, Jesus, o Rei que em breve voltará.

E também daremos continuidade à Campanha de Oração: As 12 bênçãos do Monte Gerizim.

O trabalho de suas mãos será abençoado hoje em todas as unidades de Paz e Vida e você que comparecer vai receber uma oração profética! Não fique de fora!

As reuniões acontecem no Brasil às 8h, 15h e 18h. E em Portugal, às 10h, 15h e 18h. Na Sede Nacional, em São Paulo, temos 5 reuniões: às 6h30, 8, 10, 15 e 18 horas.

Para mais endereços de Paz e Vida, acesse:  https://www.pazevida.org.br/enderecos

E não se esqueça: começa hoje a aula do Curso Gratuito de Teologia do Pastor Juanribe Pagliarin. Corra e faça a sua matrícula. Ainda dá tempo!

Quem é salvo não perde a Santa Ceia!

Por Pra. Daniela Porto

Quer ter uma carreira de sucesso?

Nenhum ser humano acorda de manhã se preparando para o fracasso. A verdade é que todos os dias, quando ele se coloca de pé, ele espera alcançar vitória e êxito em tudo o que fizer. Na mensagem de hoje no canal de podcast de Juanribe Pagliarin você vai aprender a alcançar uma carreira de sucesso e ser bem-sucedido em tudo que colocar as suas mãos.

É só procurar por Juanribe nas melhores plataformas de podcast e começar se deliciar com as ilustrações e mensagens impactantes que vão te levar para mais perto de Deus.

Ou você pode acessar por este endereço eletrônico: https://anchor.fm/juanribe-pagliarin

Seja fortalecido diariamente com Juanribe Pagliarin!

Por Pra. Daniela Porto

Em ação contra pirataria, Anatel retira de circulação mais de 1,4 milhão de aparelhos de ‘gatonet’

Aparelhos TV Box são usados para dar acesso, de forma ilegal, a conteúdos como filmes, séries e canais de TV por assinatura. Valor estimado dos itens confiscados chega a R$ 400 milhões.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) anunciou nesta quinta-feira (8) que retirou de circulação mais de 1,4 milhão de aparelhos de TV Box, popularmente chamados de “gatonet”. O valor estimado desses aparelhos apreendidos soma quase R$ 400 milhões.

Contexto: A ação contra a pirataria faz parte do Plano de Combate ao Uso de Decodificadores Clandestinos da agência e visa coibir o uso de TVs Box não homologadas, ou seja, que não possuem certificado de conformidade de uso seguro.

A fiscalização observou a oferta desse tipo de produto pirata na internet e em feiras populares.

De acordo com a Anatel, há cerca de 5 milhões a 7 milhões desses aparelhos no país.

A Anatel também informou que, gradualmente, vai bloquear servidor que emite sinal para os aparelhos piratas.

Prejuízo bilionário e risco ao usuário: A TV Box é um dispositivo conectado à internet que, de forma pirata, dá acesso a filmes, séries ou canais de televisão.

Associação Brasileira de Televisão por Assinatura estima que, por ano, o impacto da pirataria custe R$ 15 bilhões por ano.

Em 2022, a Anatel já havia emitido alerta do uso desses equipamentos ilegais e constatou presença de malware.

malware é uma espécie de vírus capaz de capturar dados dos usuários, como registros financeiros, arquivos e fotos.

“Existe risco à segurança do usuário. Não apenas rouba os dados do usuário da TV Box, qualquer aparelho ligado ao roteador que está ligado à TV Box pode ter seus dados roubados“, afirmou Hermano Tercius, superintendente de Fiscalização da Anatel.

“Uma rede de robôs pode usar a TV Box para fazer ataques. São ataques que tentam indisponibilizar um serviço”, disse o superintendente.

Perigo: O presidente da Anatel, Carlos Baigorri, disse que adquirir o produto ilegal é como levar o “inimigo” para dentro de casa.

Você está colocando um inimigo dentro de casa. Então, se você conecta no Wi-Fi da casa e seu celular também, ele [a pessoa que vendeu a TV Box] tem como roubar”, afirmou Baigorri.

“Tudo que você faz no seu celular, uma pessoa está olhando. Esses equipamentos podem ser controlados por terceiros”, alertou.

Fonte: G1

Núcleo da Terra desacelera, e fenômeno pode afetar duração dos dias

Alterações de movimentação poderiam permitir a compreensão do papel exato do núcleo interno do planeta na manutenção do campo magnético.

Um novo estudo aponta que o núcleo da Terra pode ter desacelarado. A constatação foi feita a partir de dados de terremotos analisados pelos sismólogos Yi Yang e Xiaodong Song, da Universidade de Pequim, e publicada na revista acadêmica Nature Geoscience.

De acordo com pesquisas realizadas ao longo dos anos, a camada mais profunda e mais quente do planeta possuía um movimento de rotação mais rápido do que o manto e a crosta. Yi Yang e Xiaodong Song acreditam que a “freada” tenha acontecido por volta de 2009.

A observação leva em conta diversos pontos do planeta, o que confirma que o fenômeno é global. “Ficamos bastante surpresos!”, afirmou a dupla à Nature Geoscience.

A mudança pode ajudar a esclarecer o papel que o núcleo interno desempenha na manutenção do campo magnético do planeta. Outra questão são as alterações que essa nova movimentação pode gerar como um todo.

Os dados sugerem que a estrutura pode até estar no processo de voltar à subrotação, o que pode causar fenômenos geofísicos mais amplos, como aumento ou diminuição na duração de um dia na Terra.

Outras alterações possíveis de acontecer seriam mudanças nas temperaturas do planeta e no nível do mar.

Fonte: R7

Planeta anão tem anéis no lugar de lua e cientistas tentam descobrir o motivo

Com base no pensamento convencional, todo o material que compõe o denso anel de Quaoar deveria ter se condensado e formado uma pequena lua, mas isso não aconteceu.

Imagens recentes de um telescópio revelaram que um pequeno planeta anão afastado no nosso sistema solar tem um anel denso ao seu redor, e não uma lua. Os cientistas estão perplexos com a descoberta e tentam descobrir o motivo formação.

O planeta Quaoar é um dos cerca de 3.000 pequenos planetas que orbitam o sol além de Netuno e, com pouco mais de 1.000 quilômetros de largura, é o sétimo maior deles.

Observações do Quaoar feitas entre 2018 e 2021 revelaram que o planeta possui um anel mais distante dele do que os cientistas acreditavam ser possível, de acordo com um comunicado de imprensa da Agência Espacial Europeia (ESA), que usou telescópios terrestres e uma nova sonda espacial para coletar os dados.

Com base no pensamento convencional, todo o material que compõe o denso anel de Quaoar deveria ter se condensado e formado uma pequena lua, mas isso não aconteceu.

“Os primeiros resultados sugerem que as temperaturas gélidas em Quaoar podem desempenhar um papel na prevenção de que as partículas de gelo se unam, mas são necessárias mais investigações”, de acordo com o comunicado de imprensa.

Além do limite de Roche

Antes dessas novas observações de Quaoar, os cientistas acreditavam que era impossível para os planetas formar anéis além de uma certa distância. Essa é uma regra geralmente aceita da mecânica celeste, que o material em órbita ao redor de um planeta formará um objeto esférico – ou uma lua – se estiver a uma distância suficientemente distante do planeta.

No entanto, essa lua será dilacerada caso se aproxime do que é chamado de “limite de Roche”, um ponto no qual as forças do planeta seriam mais fortes do que a gravidade que mantém a lua unida.

Todos os anéis ao redor de Saturno, por exemplo, estão dentro do limite de Roche do planeta. O que é intrigante sobre Quaoar, no entanto, é que seu anel fica bem além do limite de Roche, em uma área onde o material deveria formar uma lua.

“Como resultado de nossas observações, a noção clássica de que anéis densos sobrevivem apenas dentro do limite de Roche de um corpo planetário deve ser completamente revisada”, disse Giovanni Bruno, do Observatório Astrofísico INAF de Catania, na Itália, em um comunicado.

Como estudar um pequeno planeta

Coletar os dados que revelaram o anel de Quaoar foi em si um motivo de comemoração. Devido ao pequeno tamanho do planeta e à distância da Terra, os pesquisadores queriam observá-lo usando uma “ocultação” – um meio de observar um planeta esperando que ele fosse essencialmente iluminado por uma estrela.

Esse pode ser um processo extremamente difícil, de acordo com a ESA, porque o telescópio, o planeta e a estrela devem estar todos em alinhamento perfeito. Esta observação foi possível graças aos recentes esforços da agência espacial para fornecer um mapa detalhado sem precedentes das estrelas.

Também foi utilizado o telescópio Cheops, que foi lançado em 2019. O Cheops normalmente estuda exoplanetas ou corpos que ficam fora do sistema solar da Terra.

Neste caso, o dispositivo mirou no alvo mais próximo de Quaoar, que orbita o Sol ainda mais longe do que Netuno – cerca de 44 vezes mais longe do que a órbita da Terra.

“Eu estava um pouco cética sobre a possibilidade de fazer isso com o Cheops”, disse Isabella Pagano, diretora do Observatório Astrofísico de Catania, em um comunicado.

A observação funcionou, e o Cheops marcou a primeira de seu tipo – uma ocultação de um dos planetas mais distantes do nosso sistema solar por um telescópio espacial.

Os pesquisadores então compararam os dados coletados pelo Cheops com as observações dos telescópios terrestres, levando à sua surpreendente revelação.

“Quando juntamos tudo, vimos quedas de brilho que não eram causadas por Quaoar, mas que apontavam para a presença de material em uma órbita circular ao seu redor. No momento em que vimos isso, dissemos: ‘Ok, estamos vendo um anel ao redor de Quaoar’”, disse Bruno Morgado, professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro, que liderou a análise.

Os teóricos estão agora trabalhando para tentar supor como o anel de Quaoar sobreviveu.

Fonte: CNN BRASIL