EUA finalizam plano para enviar sistema de defesa antimísseis para a Ucrânia

Devido à capacidade de longo alcance e alta altitude, ele pode derrubar mísseis e aeronaves russas longe de seus alvos dentro do país.

O governo de Joe Biden está finalizando os planos para enviar o sistema de defesa antimísseis Patriot para a Ucrânia, que pode ser anunciado ainda nesta semana, de acordo com duas autoridades dos Estados Unidos e um alto funcionário do governo.

O plano do Pentágono ainda precisa ser aprovado pelo secretário de Defesa Lloyd Austin antes de ser enviado ao presidente para assinatura. Os três funcionários disseram à CNN que a aprovação é esperada.

A Ucrânia tem pedido aos EUA que enviem o avançado sistema de defesa aérea de longo alcance, altamente eficaz na interceptação de mísseis balísticos e de cruzeiro, uma vez que está sob uma barragem de ataques de mísseis e drones russos que destruíram infraestruturas importantes em todo o país.

Esse seria o sistema de armas defensivas de longo alcance mais eficaz enviado ao país, e as autoridades dizem que ajudará a proteger o espaço aéreo para as nações da Otan na Europa Oriental.

Não está claro quantos lançadores de mísseis serão enviados, mas uma bateria Patriot típica inclui um conjunto de radar que detecta e rastreia alvos, computadores, equipamentos de geração de energia, uma estação de controle de engajamento e até oito lançadores, cada um contendo quatro mísseis prontos para disparar.

Assim que os planos forem finalizados, os Patriots devem ser enviados nos próximos dias e os ucranianos serão treinados para usá-los em uma base do Exército dos EUA em Grafenwoehr, na Alemanha, disseram autoridades.

A Ucrânia pede o sistema há meses, mas os desafios logísticos de entregá-lo e operá-lo são grandes. Apesar desses obstáculos, “a realidade do que está acontecendo no terreno” levou o governo a tomar a decisão, disse o alto funcionário do governo à CNN, observando as contínuas e intensas barragens de mísseis russos.

Ao contrário dos sistemas menores de defesa aérea, as baterias de mísseis Patriot precisam de equipes muito maiores, exigindo dezenas de pessoas para operá-las adequadamente.

O treinamento para baterias de mísseis Patriot normalmente leva vários meses, um processo que os Estados Unidos agora realizarão sob a pressão de ataques aéreos quase diários da Rússia.

O sistema é amplamente considerado uma das armas de longo alcance mais capazes de defender o espaço aéreo contra mísseis balísticos e de cruzeiro, bem como algumas aeronaves.

Devido à sua capacidade de longo alcance e alta altitude, ele pode derrubar mísseis e aeronaves russas longe de seus alvos dentro da Ucrânia.

Anteriormente, os EUA enviaram baterias Patriot para aliados da Otan, como a Polônia, como forma de reforçar suas defesas e enviaram outros sistemas de armas para a Ucrânia para ajudar contra a invasão russa.

Nos últimos anos, os EUA enviaram mísseis Patriot para a Arábia Saudita e o Iraque para conter as ameaças representadas pelo Irã e seus representantes e para a região do Pacífico para deter a Coreia do Norte.

No total, mais de uma dúzia de aliados dos EUA, incluindo Alemanha, Japão e Israel, também compraram o sistema. Nos últimos meses, os EUA enviaram à Ucrânia sistemas avançados de mísseis terra-ar defensivos de médio alcance.

CNN entrou em contato com o Conselho de Segurança Nacional para comentar.

CNN havia relatado anteriormente que o governo Biden estava considerando uma mudança.

No mês passado, o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, disse à CNN que os EUA estão “muito focados” em fornecer sistemas de defesa aérea à Ucrânia.

“Agora estamos muito focados em sistemas de defesa aérea e não apenas em nós, em muitos outros países”, disse Blinken à CNN.

“E estamos trabalhando para garantir que os ucranianos obtenham esses sistemas o mais rápido possível, mas também da maneira mais eficaz possível, certificando-se de que sejam treinados neles, certificando-se de que tenham a capacidade de mantê-los e tudo isso deve venha junto e é”, disse.

“Temos um processo muito deliberado estabelecido pelo secretário de Defesa Lloyd Austin em Ramstein, Alemanha, que se reúne regularmente para garantir que os ucranianos recebam o que precisam, quando precisam”, acrescentou.

Fonte: CNN BRASIL

Nasa realizará primeira pesquisa global de águas a partir do espaço

Satélite de radar avançado foi projetado para fornecer aos cientistas uma visão sem precedentes do líquido vital que cobre 70% do planeta.

Uma missão internacional de satélite liderada pela Nasa foi lançada do sul do Estado norte-americano da Califórnia no início desta quinta-feira (13), em um grande projeto de ciências da Terra para realizar uma pesquisa abrangente dos oceanos, lagos e rios do mundo pela primeira vez.

Apelidado de SWOT, abreviação em inglês para Topografia Oceânica e de Águas superficiais, o satélite de radar avançado foi projetado para fornecer aos cientistas uma visão sem precedentes do líquido vital que cobre 70% do planeta, lançando novos olhares sobre a mecânica e as consequências das mudanças climáticas.

Um foguete Falcon 9, de propriedade e operado pela empresa SpaceX, do bilionário Elon Musk, foi programado para decolar antes do amanhecer na quinta-feira da Base da Força Espacial dos Estados Unidos em Vandenberg, cerca de 275 km ao noroeste de Los Angeles, para colocar o SWOT em órbita.

Se tudo correr como planejado, o satélite do tamanho de um SUV produzirá dados de pesquisa dentro de vários meses.

Com quase 20 anos de desenvolvimento, o SWOT incorpora uma tecnologia avançada de radar de micro-ondas que, segundo os cientistas, vai coletar medições de superfície de oceanos, lagos, reservatórios e rios em detalhes de alta definição em mais de 90% do globo.

Os dados, compilados a partir de varreduras do planeta por radar conduzidas pelo menos duas vezes a cada 21 dias, vão aprimorar os modelos de circulação oceânica, podem reforçar as previsões meteorológicas e climáticas e ajudarão no gerenciamento dos escassos suprimentos de água doce em regiões atingidas pela seca, segundo pesquisadores.

O satélite foi projetado e construído no Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) da Nasa, perto de Los Angeles. Desenvolvida pela agência espacial dos EUA em colaboração com suas contrapartes na França e no Canadá, a SWOT foi uma das 15 missões listadas pelo Conselho Nacional de Pesquisa como projetos que a Nasa deve realizar na próxima década.

“É realmente a primeira missão a observar quase toda a água na superfície do planeta”, disse o cientista do JPL Ben Hamlington, que também lidera a equipe de mudança do nível do mar da Nasa.

Um dos principais objetivos da missão é explorar como os oceanos absorvem o calor atmosférico e o dióxido de carbono em um processo natural que modera as temperaturas globais e as mudanças climáticas.

Escaneando os mares a partir da órbita, o SWOT foi projetado para medir com precisão diferenças finas nas elevações da superfície em torno de correntes e redemoinhos menores, onde acredita-se que ocorra grande parte da redução de calor e carbono dos oceanos. E o SWOT pode fazer isso com resolução 10 vezes maior do que as tecnologias existentes, de acordo com o JPL.

Fonte: CNN BRASIL

O que é a fusão nuclear, o método que pode gerar energia limpa e quase ilimitada no futuro

Processo é considerado muito mais seguro e eficiente que a fissão, atualmente utilizada em usinas nucleares.

Cientistas americanos anunciaram nesta terça-feira (13) que alcançaram um avanço histórico no campo da fusão nuclear: pela primeira vez, produziram em laboratório mais energia do que o necessário para causar a reação.

Para muitos, a fusão nuclear é a energia do futuro. Tem várias vantagens: não gera CO₂, produz menos rejeitos radioativos do que a energia nuclear conhecida até agora e não traz riscos de acidente.

A energia das estrelas

A fusão difere da fissão nuclear, técnica atualmente usada em usinas nucleares que envolve a quebra das ligações dos núcleos atômicos pesados para liberar energia.

A fusão é o processo inverso: envolve a junção de dois núcleos leves (hidrogênio, por exemplo), para criar um pesado (hélio), e isso também libera energia. É o processo que ocorre em estrelas, como o Sol.

“Controlar a fonte de energia das estrelas é o maior desafio tecnológico da humanidade”, escreveu no Twitter o físico Arthur Turrell, autor do livro The Star Builders.

Métodos diferentes

A fusão só é possível ao aquecer materiais a temperaturas extremamente altas, acima de 150 milhões de graus Celsius.

“É preciso encontrar mecanismos para isolar essa matéria extremamente quente de tudo o que poderia esfriá-la”, explicou o chefe de projetos da Comissão de Energia Atômica da França (CEA), Erik Lefebvre, à AFP.

O primeiro método é a fusão por confinamento magnético. Átomos leves de hidrogênio (deutério e trítio) são aquecidos em um enorme reator. A matéria está, então, em estado de plasma, um gás de baixíssima densidade. É controlada por meio de um campo magnético.

Esse é o método que será usado para o projeto internacional Iter, atualmente em construção na França, e o usado pelo JET (Joint European Torus), perto de Oxford.

Um segundo método é enviar lasers de alta energia para um cilindro do tamanho de um dedal, que contém o hidrogênio.

Essa é a técnica usada pelo National Ignition Facility (NIF), dos Estados Unidos, e no experimento recente.

Até agora, o principal objetivo dos laboratórios que utilizavam lasers era comprovar o princípio físico, enquanto o primeiro método tenta reproduzir uma configuração próxima a de um futuro reator de fusão.

Em que fase estamos?

Mas “o caminho ainda é muito longo” até “uma demonstração em escala industrial e que seja comercialmente viável”, alerta Erik Lefebvre, para quem esses projetos ainda exigem 20 ou 30 anos de trabalho.

Provavelmente “décadas” (mas menos de cinco), afirmou nesta terça-feira Kim Budil, diretor do Laboratório Nacional Lawrence Livermore, do qual depende o NIF dos EUA.

Agora que um ganho de energia líquida foi alcançado com lasers, “temos que descobrir como simplificá-lo”, acrescentou.

O método requer múltiplas melhorias tecnológicas, já que é necessário poder repetir o experimento muitas vezes por minuto e aumentar o rendimento.

Quais são as vantagens?

Ao contrário da fissão, a fusão não acarreta o risco de um acidente nuclear. Se houver uma falha no sistema, a reação é simplesmente interrompida, explica Lefebvre.

Além disso, a fusão produz menos rejeitos radioativos do que as usinas atuais geram. E não produz gases de efeito estufa.

“É uma fonte de energia totalmente descarbonizada, que gera poucos resíduos e que é intrinsecamente muito segura” para o que seria “uma solução futura para os problemas energéticos em escala global”, resume Lefebvre.

Devido ao seu estado de desenvolvimento, não representa uma solução imediata para a crise climática, portanto a transição para energias fósseis continua sendo vital.

Fonte: R7

Feliz FM confirma retorno ao dial de São Paulo e finaliza aquisição de canal no Rio de Janeiro

São Paulo – Informações são da própria Feliz FM SAT. Marca esteve no dial paulistano até setembro de 2019 e seguiu operando via streaming, no Rio e em Teresina.

Atualizado – A Rede Feliz SAT, que hoje tem como sua principal estação a Feliz FM 94.9 do Rio de Janeiro, anunciou publicamente o seu retorno ao dial FM de São Paulo. O projeto de formato gospel operou na capital paulista até setembro de 2019, quando foi substituído pela atual Massa FM 92.9. Em contato com o tudoradio.com, Juanribe Pagliarin, responsável pela Feliz FM, confirmou o retorno da emissora ao dial FM paulistano para 1º de fevereiro de 2023. Também foi informada a finalização do processo de aquisição das emissoras do Rio de Janeiro, onde a 94.9 FM opera como Feliz FM desde 2018.

O canal que abrigará o projeto da Feliz FM em São Paulo ainda não foi revelado, devido a uma cláusula contratual, segundo Pagliarin, que esteve em contato com o tudoradio.com. Os canais sociais ligados a Juanribe e também o perfil da Feliz FM no digital já anunciaram publicamente o retorno ao FM de São Paulo, em postagem realizada nesta quarta-feira (30).

Segundo o que apurou o tudoradio.com, o canal que será ocupado pela Feliz FM em São Paulo a partir de 2023 tem a expectativa de ser informado publicamente ainda na primeira quinzena de dezembro. E que trata-se de um processo de afiliação, de acordo com a rede.

A Feliz FM iniciou a sua trajetória no FM de São Paulo em março de 2014, quando iniciou a sua transmissão em 92.5 FM. Depois, em março de 2017, teve sua operação deslocada para 92.9 FM, onde permaneceu no ar até o dia 22 de setembro de 2019.

A programação de formato gospel idealizada pelo publicitário Juanribe Pagliarin foi responsável pelos primeiros recordes de audiência do segmento na Grande São Paulo, incluindo a passagem em 92.5 FM, com a Feliz FM ocupando o top 10.

Mesmo sem um canal no dial FM de São Paulo, a Feliz FM ficou com sua grade ativa via streaming, além das outras FMs que já carregam a sua marca. Hoje, no dial, a programação da rede está presente na capital fluminense e também em Teresina (Piauí), onde opera através da Feliz FM 95.7.

No Rio de Janeiro, a operação da Feliz FM em 94.9 FM foi iniciada em 1º de maio de 2018, mas a estreia da sua operação na praça fluminense ocorreu anos antes, em fevereiro de 2015, quando passou a ser transmitida em 89.5 FM.

aquisição completa da operação no Rio de Janeiro também envolve a AM 540 que, assim como a 94.9 FM, é ligada à antiga Rádio Fluminense. A estação na faixa AM já opera como Feliz FM e poderá migrar para o FM.

Fonte: Tudo Rádio

Lula e Geraldo Alckmin serão diplomados pelo TSE nesta segunda-feira (12)

Rito marca o fim do processo eleitoral e habilita os eleitos para os cargos; cerimônia terá início às 14h.

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Geraldo Alckmin (PSB), presidente e vice-presidente eleitos, respectivamente, serão diplomados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta segunda-feira (12), no plenário da Corte, em Brasília, às 14h.

Esse é um rito previsto no Código Eleitoral e que marca o fim do processo eleitoral — e antecede a posse. Ao receber os “diplomas”, os políticos estarão habilitados para exercerem os cargos a que foram eleitos.

diplomação também certifica a escolha da população nas urnas, acontecendo apenas após o encerramento de prazos de contestação e aprovação das contas da campanha, por exemplo. Desde 1946, o TSE expede esses documentos para os eleitos — desde então, isso só não aconteceu durante a Ditadura Civil-Militar.

A diplomação só ocorre após o fim dos prazos de questionamento e de processamento do resultado da votação. Na terça-feira (6), a Corte Eleitoral aprovou as contas da chapa que venceu a corrida presidencial. Sem essa confirmação, por exemplo, Lula e Alckmin não poderiam exercer os cargos a que foram eleitos em 2022.

As diplomações de senadores e governadores ficam a cargo dos Tribunais Regionais Eleitorais, e, segundo o TSE, estão marcadas para acontecer entre os dias 12 e 21 de dezembro.

CNN apurou que o perímetro bloqueado ao redor do prédio da Corte será estendido e que a segurança será reforçada. O TSE havia informado anteriormente que estava confirmada a presença de pelo menos 130 convidados. O esquema de segurança está sendo montado pela equipe do presidente e vice-presidente eleitos.

Posse

No dia 1° de dezembro, acontecerá a posse dos novos presidente e vice-presidente da República, em Brasília.

Nesta tradicional cerimônia, o chefe de Estado eleito subirá a rampa do Palácio do Planalto e deve receber a faixa do atual mandatário. À CNNHamilton Mourão defendeu que Bolsonaro passe a faixa para Lula.

A equipe do petista, liderada por Janja, planeja um evento com a presença de mais de 300 mil pessoas, que contará com shows de diversos artistas nacionais.

Fonte: CNN BRASIL

Anvisa e Butantan avaliam desenvolvimento de vacina trivalente contra Covid-19

A ideia é que o imunizante apresente maior imunidade contra as variantes Delta e Ômicron.

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Instituto Butantan se reuniram, na sexta-feira (9), para tratar do desenvolvimento de uma possível vacina trivalente contra a Covid-19. Segundo a agência, a ideia é que o imunizante apresente maior efetividade não somente contra a variante original do Coronavírus, como também contra a Delta e a Ômicron (BA.1).

Durante o encontro, os órgãos analisaram as informações sobre uma versão atualizada da Coronavac, fabricada pela biofarmacêutica chinesa Sinovac.

De acordo com o Butantan, até o momento, os dados sobre essa produção ainda são preliminares, já que a Sinovac conduziu apenas dois estudos pré-clínicos.

As testagens foram feitas somente em animais, mas a Sinovac já recruta voluntários para prosseguir com a etapa de testes em humanos.

Ainda na reunião, a equipe técnica da Anvisa aproveitou para sinalizar quais pontos devem ser observados em um futuro pedido de autorização para a vacina trivalente contra Covid-19.

Também foram discutidos critérios para a comprovação de segurança e eficácia do novo imunizante. Até o momento, no entanto, ainda não há pedido para autorização ou estudo clínico de novas versões da Coronavac no Brasil.

Ao Instituto Butantan, coube o compromisso de formalizar, junto à Anvisa, os dados que estão disponíveis atualmente sobre a nova vacina e também o planejamento proposto pela Sinovac quanto às próximas fases dos estudos clínicos. Em seguida, a agência reguladora deve analisar as propostas.

A Coronavac foi a primeira vacina contra a Covid-19 a ser aplicada em território nacional, sob uma iniciativa do Instituto Butantan em parceria com a Sinovac.

Em janeiro de 2021, a versão monovalente, que protege contra a variante original do Coronavírus, foi autorizada de forma temporária e emergencial no Brasil. Atualmente, a aplicação é permitida a partir dos 3 anos de idade.

Recentemente, a Anvisa aprovou a utilização das vacinas bivalentes da fabricante Pfizer, que demonstram maior eficácia contra a Ômicron (original e a cepa BA.1).

O primeiro lote do imunizante chegou ao Brasil na sexta-feira (9) com um 1,4 milhão de doses.

A remessa entregue nesta sexta ainda será analisada e avaliada pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS).

Segundo o Ministério da Saúde, as orientações sobre distribuição, aplicação e público-alvo dessas doses serão informadas por meio de uma nota técnica a ser emitida nos próximos dias.

Fonte: CNN BRASIL

Pelo menos 110 concursos públicos pelo país reúnem mais de 15 mil vagas; veja a lista

Há oportunidades para todos os níveis de escolaridade. Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios tem maior salário: R$ 32.004,65.

Pelo menos 110 concursos públicos estão com inscrições abertas nesta segunda-feira (12) no país. Juntos, eles oferecem mais de 15 mil vagas em cargos de todos os níveis de escolaridade.

O maior concurso é o da Polícia Militar do Estado de São Paulo, que oferta 2.700 vagas. As inscrições estão abertas até 20 de dezembro. Veja o edital. Todas as vagas do concurso são para cargos de Soldado PM de 2ª Classe do Quadro de Praças de Polícia Militar (QPPM), destinados a candidatos do sexo masculino e feminino, segundo a instituição.

Em São Paulo, o Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza está com concurso aberto até esta segunda, com uma oferta de 1.120 vagas para candidatos com ensino médio ou superior. Veja o edital.

Além disso, as inscrições para o concurso público com 669 vagas de nível superior na Receita Federal começam hoje. São 230 vagas para auditor-fiscal e 469 para analista-tributário. O salário para analista é de R$ 11.684,39. Para auditor, é de R$ 21.029,09.

CONFIRA AQUI A LISTA COMPLETA DE CONCURSOS

O concurso do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios é o que oferece a maior remuneração. São 30 vagas ofertadas por um salário de até R$ 32.004,65. Veja o edital.

Além das vagas abertas, há concursos para formação de cadastro de reserva – ou seja, os candidatos aprovados são chamados conforme a abertura de vagas durante a validade do concurso. Além da Receita Federal, ao menos outros dois órgãos começam a receber inscrições nesta segunda: as prefeituras de Belo Horizonte e de Jaguaraçu, em Minas Gerais, com 2 e 10 vagas, respectivamente.

Veja os detalhes de cada um dos concursos que começam a receber inscrições nesta segunda:

Receita Federal
Inscrições: até 19/01/2023
699 vagas
Salários de até R$ 21.029,09
Cargos de nível superior
Veja o edital

Prefeitura de Belo Horizonte (MG)
Inscrições: até 13/12/2022
2 vagas
Salários de até R$ 7.656,42
Cargos de nível superior
Veja o edital

Prefeitura de Jaguaraçu (MG)
Inscrições: até 10/01/2023
10 vagas
Salários de até R$ 2.424,00
Cargos de nível médio
Veja o edital

Fonte: G1

Trabalhador tem até dia 15 para pedir saque extraordinário do FGTS

Se o resgate não for realizado até essa data, os recursos voltarão para a conta vinculada do fundo.

O prazo para solicitar o saque extraordinário do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) termina no dia 15 de dezembro. Depois dessa data, o dinheiro retorna para as contas do fundo. O calendário de pagamento, que vigorou de 8 de fevereiro a 15 de junho, permitiu a retirada de até R$ 1.000 por trabalhador.

Quem não recebeu o crédito do saque extraordinário do FGTS de forma automática poderá solicitá-lo por meio do aplicativo FGTS. Todos os trabalhadores com saldo disponível no FGTS têm direito ao saque de até R$ 1.000. O crédito é feito de forma automática na conta do aplicativo Caixa Tem em nome do trabalhador.

“A opção é válida para os trabalhadores que não receberam os valores automaticamente pelo aplicativo Caixa Tem ou que tiveram os valores creditados no aplicativo, mas não realizaram movimentações no prazo de 90 dias, o que fez com que os recursos retornassem para as contas do FGTS, conforme previsto na legislação”, informa a Caixa.

Para solicitar o saque, basta acessar o aplicativo FGTS, no menu “Saque Extraordinário”, confirmar os dados cadastrais e clicar em “Solicitar Saque” para liberação do valor.

Após a solicitação, o valor será transferido para a conta do Caixa Tem em até 15 dias corridos e poderá ser utilizado em transações eletrônicas, saque em espécie ou transferência, sem custo, para outras contas. É possível realizar transações por meio do Pix, além de efetuar saque nos terminais da Caixa e nas casas lotéricas.

Segundo a Caixa, o crédito por trabalhador foi realizado por meio do aplicativo Caixa Tem para 45,9 milhões de trabalhadores, no total de R$ 31,7 bilhões. Desse montante, aproximadamente 12 milhões de trabalhadores não efetivaram o saque, o que corresponde a cerca de R$ 8 bilhões que ainda estão à disposição.

Em caso de dúvida, é possível acessar o aplicativo FGTS, no menu “Saque extraordinário”, ou os demais canais oficiais da Caixa, como o telefone 4004-0104, para capitais e regiões metropolitanas, e o 0800-104-0104, para demais regiões.

Fonte: R7

Maior roda-gigante da América Latina será inaugurada na sexta-feira em São Paulo

Atração ficará no parque Cândido Portinari e ingressos variam de R$ 50 a R$ 399; visitação pode ser feita de terça a domingo.

Uma roda-gigante de 91 metros será inaugurada na próxima sexta-feira (9), no parque Cândido Portinari, ao lado do parque Villa-Lobos, na zona oeste de São Paulo. A atração é considerada a maior desse tipo na América Latina.

Segundo a Sima (Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo), o tamanho da Roda São Paulo supera o das instaladas em cidades como Paris, Toronto e Chicago.

De acordo com a SPBW (São Paulo Big Wheel), empresa responsável pela montagem, manutenção e gerenciamento da estrutura, a roda-gigante terá 42 cabines de observação com capacidade para até dez pessoas, ar-condicionado, monitoramento por câmeras, interfones e wi-fi, além de iluminação cênica, projetada para interagir com a cidade.

À noite, a atração terá uma iluminação diferente, que poderá mudar de acordo com datas e eventos especiais. Ela está em uma área de 4.500 metros quadrados, junto à praça de eventos do parque, que é estadual. No local, também haverá espaço para a venda de bebidas, pipoca, sorvete e açaí e para fotos.

Ingressos

Os ingressos começaram a serem vendidos no dia 23 de novembro por meio da plataforma digital Sympla e custam a partir de R$ 50, com opção de meia-entrada a R$ 25, nos dias úteis.

Nos fins de semana e feriados, a inteira custa R$ 69 (até as 13h) e R$ 79 (a partir das 14h). Segundo a Interparques, que faz a gestão da estrutura, o espaço será pet friendly e aceitará animais domésticos de pequeno e médio portes. O passeio terá duração de 25 a 30 minutos.

A roda-gigante funcionará de terça a domingo, das 9h às 19h. Além do ingresso tradicional, também são comercializadas opções para cabine privativa, que comportam até oito pessoas, por valores de R$ 299 a R$ 350 (com bebidas), nos dias úteis, e R$ 350 a R$ 399, nos fins de semana e feriados. A venda inicial inclui entradas até 31 de janeiro.

Em abril, o secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido, afirmou que haverá ações e tarifas sociais para que as comunidades do entorno também usem o espaço.

Fonte: R7

Futuro do tratamento contra o câncer pode estar no tomate e na batata; entenda

Compostos chamados glicoalcaloides, achados nesses vegetais, inibem o crescimento de células cancerígenas e podem promover a morte delas, mas desafio é transformá-los em remédio.

Uma equipe de cientistas da Universidade Adam Mickiewicz, na Polônia, aposta em substâncias existentes em alimentos conhecidos para explorar novos tratamentos contra o câncer. Em um estudo publicado nesta quarta-feira (7) na revista Frontiers in Pharmacology, o grupo de pesquisadores apresenta potenciais benefícios de compostos que estão presentes, por exemplo, no tomate e na batata.

O time, liderado por Magdalena Winkiel, focou os glicoalcaloides, que têm capacidade de inibir o crescimento de células cancerígenas e promover a morte delas.

Os cinco glicoalcaloides estudados foram solanina, chaconina, solasonina, solamargina e tomatina, que estão presentes em extratos brutos da família de plantas Solanaceae — inclui tomate, batata, pimentões, tabaco e algumas plantas ornamentais.

Outras plantas da família Solanaceae são tóxicas, devido aos alcaloides que produzem como defesa contra os animais que as comem. Cientistas conseguiram, entretanto, transformar o veneno em remédio ao achar uma dose terapêutica segura.

A primeira etapa de estudos, chamada de in silico, demonstrou o enorme potencial desses compostos, já que eles não são tóxicos e não existiria o risco de danificar o DNA nem causar futuros tumores, embora possa haver alguns efeitos no sistema reprodutivo.

“Mesmo que não possamos substituir os medicamentos anticancerígenos usados ​​hoje em dia, talvez a terapia combinada aumente a eficácia desse tratamento. São muitas dúvidas, mas sem um conhecimento detalhado das propriedades dos glicoalcaloides não conseguiremos descobrir”, sugere em comunicado a pesquisadora Magdalena Winkiel.

O próximo passo é realizar estudos in vitro e em modelos animais, que vão determinar se os glicoalcaloides têm a potencial eficácia e a segurança para permitir testes em humanos.

Os compostos

Dois glicoalcaloides presentes na batata — que dependem das condições de cultivo e armazenamento — são apontados como promissores pela autora do estudo.

A solanina, por exemplo, tem potencial de impedir a ação de alguns produtos cancerígenos no corpo, além de inibir a metástase, que é a migração de células tumorais para outros locais do corpo.

Já a chaconina pode ser útil por ter propriedades anti-inflamatórias, inclusive no tratamento de sepse, sugerem os autores do trabalho.

Sabe-se também que a a solamargina, encontrada principalmente em berinjelas, impede a reprodução de células cancerígenas do fígado. Esze composto ainda tem como alvo as células-tronco do câncer, que desempenham um papel significativo na resistência aos medicamentos usados contra a doença.

Por fim, a tomatina, presente no tomate, atua na regulação do ciclo celular do corpo para que ele possa matar células cancerígenas.

Apesar de serem necessários estudos mais aprofundados, Magdalena e sua equipe dizem que há razões para acreditar que o processamento em alta temperatura melhora as propriedades dos glicoalcaloides.

A pesquisadora entende ser cada vez mais necessário se voltar ao que está no meio ambiente para encontrar novos tratamentos contra o câncer.

“Cientistas de todo o mundo ainda estão procurando drogas que serão letais para as células cancerígenas, mas ao mesmo tempo seguras para as células saudáveis. Não é fácil, apesar dos avanços da medicina e do poderoso desenvolvimento de modernas técnicas de tratamento. Por isso, pode valer a pena voltar para as plantas medicinais que foram usadas anos atrás com sucesso no tratamento de várias doenças. Acredito que vale a pena reexaminar suas propriedades e talvez redescobrir seu potencial”, afirma.

Fonte: R7